Rui Moreira, Tango e Governabilidade

Os partidos, os partidos, e os partidos. As lições aos partidos. A moralização dos partidos. É espantoso que o dr. Rui Moreira, nesta entrevista, revele demasiada permeabilidade a uma aliança com o Partido Socialista, vendo nela uma solução natural para a câmara do Porto, o que na verdade equivale a tresdizer [tresleitura dos eleitores!] o que se disse dos partidos e das dinâmicas partidárias no poder local ao longo de toda a campanha.

Para que serviu o terror caça-hereges do dr. Lobo Xavier, o pudor eremita do dr. Pacheco Pereira e os pruridos preferencialistas do dr. Costa, tudo e todos contra a putativa perigosíssima eleição do dr. Menezes, se a eleição do dr. Rui Moreira, ao que parece, já redunda nisto, nesta forma de capitulação?! Dentre todo o tipo de alianças possíveis arquitectáveis para a governabilidade do Porto, alugar agora a barriga aflita de independente inexperiente ao PS de Pizarro para que o PS cresça, lidere, federe, no Porto, não lembrava ao careca. Na prática, quem dança o Tango com o PS, leva um pontapé no cu, não tarda, secundarizando-se naturalmente.

Depois de ter ganho a autarquia sem maioria absoluta, o independente Rui Moreira, apoiado por um certo CDS e um certo PSD enrustido, entrega afinal a sua independência, o seu projecto, as suas ideias, à caução determinante de um partido, o PS?! Se um tango não se dança sozinho, ao dr. Moreira já não importa a governabilidade proporcionada por quem votou nele, por quem confiou nele e por quem o pode apoiar nas causas e batalhas da cidade?! Será preciso chamar o António, que por acaso se chama Manuel Francisco Pizarro de Sampaio e Castro?!

Não percebo como é que os eleitores do PSD-Porto interpretarão esta rendição. Nem percebo o que os eleitores do CDS-Porto ganham com isto. Do que tenho a certeza é que o tal ethos do Porto que aparentemente rechaçou Menezes, os seus porcos assados, as suas bailarinas pimba e os seus interesses nebulosos, também não suporta fraqueza ou demasiado azar na rifa. Como será, dr. Moreira?! Se não é político, vai ter de se tornar num, quer queira quer não queira.

Comments

  1. makarana says:

    Fico sempre com o leve trago na boca de que o Joaquim não aceitou os resultados eleitorais no Porto…

  2. Subn says:

    Tudo é preferível à demagogia populista de Menezes. Com esse é que não há acordo possível !

  3. Mind Klee Nexo says:

    Os maiores palhaços da Câmara do Porto até hoje foram Fernando Gomes e Nuno Cardoso. Depois de endividar a CMPorto Fernando Gomes foi para o Governo onde fez o “favor” ao país de abrir um precedente gravíssimo: andou a fingir que resolvia a ilegalidade do caso Barrancos e afinal só arranjou foi maneira de legalizar o crime e estender a ilegalidade daquele tipo de touradas desde o Minho ao Algarve! Tudo por votos!
    Quanto a Nuno Cardoso, tal como Menezes, ele é simplesmente a corrupção tripeira com pernas, metido com o FCPinto até ao pescoço!

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.