No alvo

Um texto certeiro, e o que se pede aos textos neste momento é que acertem no pior dos alvos: a islamofobia.

Comments


  1. inteiramente de acordo.
    em nome da liberdade
    em nome da cidadania
    em nome dos muçulmanos mortos no atentado a Charlie Hebdo

  2. Nascimento says:

    Nem mais.

  3. Ana A. says:

    A Liberdade (de expressão ou outra) também passa pelo respeito pelo outro, pelas suas crenças… E denunciar situações não precisa de ser o simples “achincalhar”, coisa que no Charlie Hebdo tão bem sabem fazer! E assim se fomenta o ódio, a intolerância e a guerra!


    • A rapariga ia com aquela minissaia e estava à espera de quê? provoca, os homens, é claro que são violadas.
      É não é?

      • Ana A. says:

        Então acha que a situação que apresenta é comparável à que expus: “respeito pelo outro, pelas suas crenças… E denunciar situações não precisa de ser o simples “achincalhar”…” Ok! A islamofobia, então, faz sentido e recomenda-se ?! Aliás, qualquer fobia estará, então, sempre dentro do conceito da Liberdade (do fóbico) que se poderá traduzir, como eu disse, no achincalhamento do “outro” ?!


        • Exactamente a mesma coisa. Sabe, o humor e s sátira existem, têm limites, mas não têm de respeitar crenças. Até porque como eles explicavam, não existindo deus, coisa mais que óbvia, estavam a gozar com o inexistente, gajo esse que nunca os processou.
          Eu tenho o legítimo direito a rir-me do que me faz rir. Chama-se liberdade.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.