No País dos Papa-Charlies


Santa Paciência… todos nós aqui temos que ter para fazer humor em Portugal“.

No país dos indignados onde, como diz Bruno Nogueira hoje – “não há um único programa de humor nas televisões generalistas sobre política”  –  toda a gente clama ser “Charlie”, vão poucos anos (1987) sobre a censura explícita ao programa “Humor de Perdição“, de Herman José. Depois de uma “entrevista histórica” à rainha Santa Isabel, o programa foi tirado da antena: uns quantos bois haviam-se queixado à RTP que não podia ser, isto de andar a gozar com personagens históricas, não pode ser. E o programa foi cancelado.
Claro, há que relativizar, o tempo passa e a mentalidade muda. Devem ter sido outras as razões para que o Contra Informação também tenha desaparecido da tv em sinal aberto.

Ridendo castigat mores, Gil Vicente?

Comments


  1. Há pior: acrescenta o cartoon do António com um papa de preservativo no nariz. Caiu o Carmo, a Trindade e a tipa de Fátima não ficou nada bem.

    • AntónioF says:

      Também se pode procurar no Youtube o vídeo do João Grosso!

    • José Peralta says:

      E a propósito desse “cartoon” de António (o Papa com o nariz “preservado” !) lembro-me de ter visto, na ocasião, num programa de TV, um conhecido fadista muito “macho”, muito “marialva”, indignadíssimo com o “cartoonista” porque : “O Papa era o pai de nós todos…” – Na altura, o meu pensamento foi que o problema era do fadistoche, porque eu, desde sempre sei de quem sou filho, orgulho-me do meu Pai, já falecido, que não foi o Papa, ao contrário do do “macho marialva”, que o que devia ter feito, era queixar-se ao Vaticano por o “pai dele” não ter usado preservativo…(Ah ! E lembro também que o “cartoon” de António, era um competente murro no estômago do Papa de então e de todos os “fadistoches”, por dizer que o uso do preservativo era proibido aos católicos, numa altura em que eram quase desconhecidas outras protecções contra a Sida.)

  2. AntónioF says:

    «Pois, o encontro de Alvalade! O Sporting se tiver juízo pode ser campeão!»
    Até a Belinha sabia qual o problema!


  3. Lembremo-nos ainda da indignação violenta que o tipo da bola suscitou quando brincou com o Ronaldo…


    • O tipo da bola não foi despedido nem viu o seu programa suspenso como aconteceu com o Hermam ou o João Grosso.

  4. Nightwish says:


    • E esta, já agora:

      • AntónioF says:

        Creio que foi o Abecassis que disse, se não ele foi algum deputado do então somente CDS (ainda não existia o PP – Paulo Portas) que disse que com a Nossa Senhora não se brinca.

        P.S.:Os Mártires islamicos também acreditam em Virgens no Além

  5. nuno says:

    E ainda temos de levar com o cretino do Luís Pedro Nunes armado em campeão da liberdade de expressão, um tipo rendido aos poderes que lhe agradecem a inocuidade e falta de graça do irrelevante pasquim que dirige.

  6. joao lopes says:

    “a vida de brian” foi proibido na irlanda ,durante muitos anos.e os monty não só nao se intimidaram,como ainda fizeram pior(ou melhor,depende do ponto de vista).alias a BBC nunca teve a coragem de os censurar.la esta,a coragem que nunca faltou ao grande john cleese e companhia.

  7. Eu Mesma says:

    Nunca engoli a perda do Contra Informação, programa brilhante, bem feito, que foi sendo arrastado para o olvido, primeiro para um programa num canal por cabo com óbviasaudiências menores e por fim para um sucedâneo internético esforçado mas menos contundente que o original. Espero sinceramente que os salazarentos que contribuíram para o fim do maravilhoso programa não estejam agora armados em bons a dizerem que são Charlie Hebdo nem a planear uma ida de luxo a Paris para se mostrarem na manifestação, porque se calhar, vai-me dar mesmo vontade de lhes vomitar em cima. Esse cinismo é a pior coisa que se pode fazer aos que tombaram às balas dos neo-nazis disfarçados de muçulmanos. Digo eu. Viva a liberdade.

  8. Conceição Palma says:

    Só uma pequena observação: uma coisa é suspender-se programas ou despedir-se alguém…. Outra, parece-me a mim, bem diferente, é desatar-se aos tiros com as pessoas, fazendo-as pagar com a vida… Não me parece que sejam coisas comparáveis. Mas se calhar sou eu que estou errada, pronto…

Trackbacks


  1. […] Volta, GIl Vicente, ‘tás perdoado… Fascismo em Ruílhe nunca mais! […]


  2. […] mesmo tempo tenta silenciar vozes divergentes, como por exemplo o cancelamento do programa “Humor de Perdição” em 1987 por caricaturar personagens […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.