Os crimes da troika

051622-000-A_machtohnekontrolle_05-1422989505341

«Há centenas de pessoas que morrem todos os meses porque não têm acesso a cuidados de saúde, mas essas mortes não aparecem em lado nenhum. Mas nós, os médicos, nós sabemos.» – Um médico grego entrevistado pelo jornalista alemão Harald Schumann (doc estreado há horas aqui).

Comments

  1. Carlos Manuel Reforço says:

    “Atenas vai criar comissão parlamentar para pedir reparações à Alemanha”
    Deveria fazer o mesmo que Atenas se não tivesse cá em Lisboa este governo do PSD/CDS-PP de direita ultra-liberal quase a roçar o fascismo (mas parece-me que já vai havendo censura porque quando se escreve algo no facebook que não agrada ao poder instituído é cortado) .e que infelizmente está de mãos dadas com a Alemanha e mesmo depois do presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker ter afirmado que a troika ultrapassou os limites e feriu a dignidade do povo português e deste país que tem 9 séculos de história e merecia mais respeito e consideração de toda a União Europeia, pois somos pobres, humildes, honestos e hospitaleiros e não deveríamos estar a ser esmagados com tanta austeridade, porque não devemos de ser com toda a certeza os carrascos desta União Europeia senil, mórbida e desunida e não coesa como seria apanágio de todos aqueles que no início deste projeto como Jean Monnet e Robert Schuman propuseram em 9 de Maio de 1950 que imbuídos nas raízes históricas da União Europeia, que residem no fim da Segunda Guerra Mundial e na vontade de impedir um novo conflito na Europa (coisa que não está a acontecer basta vermos o que se está a passar na Ucrânia embora não seja um país da União Europeia, mas é um país de Europa), propuseram naquela data que a produção de carvão e aço, essenciais para o esforço de guerra, fossem colocadas sob uma autoridade comum. Esta ideia levou à criação da Comunidade Europeia do Carvão e do Aço (C.E.C.A.) em Abril de 1951 e que daí até 25 de Março de 1957 com a assinatura do tratado de Roma deram origem à Comunidade Económica Europeia (C.E.E.) e que levou até à atual União Europeia em 10 de Dezembro de 1991, no Tratado de Maastricht (Holanda) que ironicamente me dá vontade de dizer tratado dos mais tristes, porque esta União Europeia é mais uma desunião do que união e coesão, daí a minha grande tristeza, e com esta Alemanha de Angela Merkel não se vislumbra um feliz e próspero futuro.

  2. joao lopes says:

    os burros ultraliberais portugueses vão dizer sobre este documentario o seguinte:o jornalista alemão que fez o doc. é comuna,o melhor era ir para a coreia do norte,e fidel isto e aquilo,a venezuela bla bla bal,o syriza já morreu e o batista bastos é tontinho…enfim,os habitual argumentario dos fanaticos do “mirone viva o mario machado.pt”

  3. Nascimento says:

    Tenho acompanhado as postagens de S.A. e elas sâo do melhor que aqui se escreve. Parabéns.

    ps. Escapou-me o documentário.Será possivel vê-lo de novo mas com legendas? Obrigado.


  4. Reblogged this on O Retiro do Sossego.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.