Cofres cheios…

cofres cheios

Comments

  1. Marquês Barão says:

    César trata-lhe da saúde. Já anunciou que vão aumentar as dividas e esvaziar o pecúlio. Está feita mais uma chamada dos contribuintes á parada.

    • Nightwish says:

      O teu patrão a gente já sabe que não paga as dívidas.

      • Marquês Barão says:

        O seu patrão gosta mais de receber.

        • Nightwish says:

          Dívidas? Eu não tenho clube partidário, isso é só para o futebol.
          Meu caro, os seus amigos aumentaram a dívida em 40% em 4 anos e tornaram-na impagável com a fraca economia que destruíram. Já nem o FMI acredita no pagamento.
          Fora isso, não devia estar tão contente por o estado poder retirar o dinheiro que quiser dos cidadãos, não é isso que os faz dizer que têm medo do socialismo?

  2. joao lopes says:

    eis a nova tecnica da direita:a direita encheu os cofres ,o ps esvaziou-os….grande mentira,foi anibal cavaco silva que deitou dinheiro fora,basta lembrar a velha historia da agricultura:dou-te dinheiro para comprares um jipe desde que não faças…agricultura…

  3. José almeida says:

    É “dinheiro de sangue” que não nos pertence. É propaganda demagógica nojenta, exibida como escalpes desta política inumana. É um comentário mentiroso, absurdo e escabroso. E só de imaginar que depois das eleições isto vai continuar…. dassss.


  4. Duas hipóteses: ou é mentira ou é verdade.
    Tanto num caso como noutro, o governo franqueia aos olhos do povo o seu ADN miserável e a sua atitude é despudorada.
    1 – Tratando-se de uma mentira, será mais uma pérfida manobra eleitoralista, pouco própria de quem se está a “lixar” para as eleições. Teríamos assim que chegar a uma conclusão de fazer corar o senhor Jacques de La Palice: “O governo está a mentir”. E então acrescentaria eu, para entrar no jogo: «A neve é branca»; «A água molha»; «Gaivotas em terra, carapaus no mar»; «Passos Coelho não tem o lábio de cima»; «O Papa é católico»; entre outras lapalissadas.
    2 – A ser verdade, o governo traz para cima do bolo a cereja que lhe faltava, escancarando um salazarismo execrável e fetidamente repugnante. Ser ditador numa ditadura é coisa ruim; ser ditador em democracia é a ruindade absoluta. Contavam-me os meus avós que, em tempos já idos, enquanto o povo mirrava de fome e miséria, gabava-se o despótico santacombadense de ter os cofres bem cheios. Pelos vistos, esses tempos fazem o nosso sapiente governo suspirar de coita de amor e saudade. Não bastasse a fisionomia de Passos ser tão próxima da do dito (penteiam-lhe o cabelo para trás e empastelem-no de brilhantina; vistam-no de fato preto ou cinza escuro, com gravata do mesmo tom; pousem-lhe sobre a cabeça um chapéu da época e vê-lo-emos ressuscitado), consolida-se ainda a essência salazarista do primeiro-ministro na arte de mal governar.
    “Tá” bom de ver: a ser falsa ou verdadeira, a declaração não passa de mais uma repulsiva secreção política de um governo incompetente e irresponsável, que se está a “lixar” para os portugueses.
    A minha opinião? Não se trata de um cofre cheio de massa, mas de uma Caixa de Maria Pandora Albuquerque que será aberta em breve.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.