Cofres cheios…

cofres cheios

Comments

  1. Marquês Barão says:

    César trata-lhe da saúde. Já anunciou que vão aumentar as dividas e esvaziar o pecúlio. Está feita mais uma chamada dos contribuintes á parada.

    • Nightwish says:

      O teu patrão a gente já sabe que não paga as dívidas.

      • Marquês Barão says:

        O seu patrão gosta mais de receber.

        • Nightwish says:

          Dívidas? Eu não tenho clube partidário, isso é só para o futebol.
          Meu caro, os seus amigos aumentaram a dívida em 40% em 4 anos e tornaram-na impagável com a fraca economia que destruíram. Já nem o FMI acredita no pagamento.
          Fora isso, não devia estar tão contente por o estado poder retirar o dinheiro que quiser dos cidadãos, não é isso que os faz dizer que têm medo do socialismo?

  2. joao lopes says:

    eis a nova tecnica da direita:a direita encheu os cofres ,o ps esvaziou-os….grande mentira,foi anibal cavaco silva que deitou dinheiro fora,basta lembrar a velha historia da agricultura:dou-te dinheiro para comprares um jipe desde que não faças…agricultura…

  3. José almeida says:

    É “dinheiro de sangue” que não nos pertence. É propaganda demagógica nojenta, exibida como escalpes desta política inumana. É um comentário mentiroso, absurdo e escabroso. E só de imaginar que depois das eleições isto vai continuar…. dassss.


  4. Duas hipóteses: ou é mentira ou é verdade.
    Tanto num caso como noutro, o governo franqueia aos olhos do povo o seu ADN miserável e a sua atitude é despudorada.
    1 – Tratando-se de uma mentira, será mais uma pérfida manobra eleitoralista, pouco própria de quem se está a “lixar” para as eleições. Teríamos assim que chegar a uma conclusão de fazer corar o senhor Jacques de La Palice: “O governo está a mentir”. E então acrescentaria eu, para entrar no jogo: «A neve é branca»; «A água molha»; «Gaivotas em terra, carapaus no mar»; «Passos Coelho não tem o lábio de cima»; «O Papa é católico»; entre outras lapalissadas.
    2 – A ser verdade, o governo traz para cima do bolo a cereja que lhe faltava, escancarando um salazarismo execrável e fetidamente repugnante. Ser ditador numa ditadura é coisa ruim; ser ditador em democracia é a ruindade absoluta. Contavam-me os meus avós que, em tempos já idos, enquanto o povo mirrava de fome e miséria, gabava-se o despótico santacombadense de ter os cofres bem cheios. Pelos vistos, esses tempos fazem o nosso sapiente governo suspirar de coita de amor e saudade. Não bastasse a fisionomia de Passos ser tão próxima da do dito (penteiam-lhe o cabelo para trás e empastelem-no de brilhantina; vistam-no de fato preto ou cinza escuro, com gravata do mesmo tom; pousem-lhe sobre a cabeça um chapéu da época e vê-lo-emos ressuscitado), consolida-se ainda a essência salazarista do primeiro-ministro na arte de mal governar.
    “Tá” bom de ver: a ser falsa ou verdadeira, a declaração não passa de mais uma repulsiva secreção política de um governo incompetente e irresponsável, que se está a “lixar” para os portugueses.
    A minha opinião? Não se trata de um cofre cheio de massa, mas de uma Caixa de Maria Pandora Albuquerque que será aberta em breve.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.