Erguer a cabeça e seguir em frente, por Cavaco Silva

Sócrates 4ever

Ao chegar a Lamego, supostamente pela estrada que comitiva presidencial percorreu na sua deslocação para as comemorações do 10 de Junho, Cavaco Silva deparou-se com o simpático cartaz que podem ver em cima, dos irredutíveis apoiantes desse estratega que é José Sócrates, que conseguiu recusar a prisão domiciliária antes mesmo do juiz Carlos Alexandre recusar a sugestão do Ministério Público para a conceder. O ex-primeiro-ministro continua assim atrás das grades do Estabelecimento Prisional de Évora, sem que se conheça qualquer acusação, enquanto o homem do dinheiro se encontra no conforto do lar. Ainda não foi este ano que Sócrates deixou de ser o único primeiro-ministro a não receber qualquer condecoração no 10 de Junho.

Na sessão solene de boas vindas da passada Terça-feira na Câmara Municipal de Lamego, Cavaco Silva chamou a atenção dos portugueses para a necessidade de “erguer a cabeça e de seguir em frente”, arte que o presidente tão bem domina. Quando no final de 2008 o governo do agora recluso José Sócrates anunciou a nacionalização do banco da rapaziada amiga, Cavaco já lá estava, de cabeça erguida e a seguir em frente quando se viu associado a vendas de acções e permutas de moradias no mínimo suspeitas que mereciam investigação policial. Durante algum tempo até foi mantendo alguns destes amigalhaços debaixo da sua asa. Com os holofotes quase todos em Oliveira e Costa, o empreendedor do século segundo Pedro Passos Coelho ainda se passeava pelo Conselho de Estado e alguns ex-quadros de topo da maior fraude bancária da história de Portugal surgiam na Comissão de Honra da sua recandidatura em 2011. Cavaco seguia em frente de cabeça erguida.

Neste 10 de Junho, Cavaco Silva voltou a cruzar-se com o BPN. De cabeça erguida, Presidente da República seguiu em frente condecorou esse destacado socrático que foi Teixeira dos Santos, o ministro que liderou o mal explicado e altamente danoso processo de nacionalização do BPN, o tal que não iria custar um cêntimo aos contribuintes. Sete anos depois, o problema está longe de resolvido, mas os amigos de Cavaco conseguiram safar-se, ninguém foi responsabilizado por absolutamente nada e a factura de alguns milhares de milhões de euros continua a subir. A medalha das castas, sempre negada a Sócrates, foi então entregue ao seu número 2 – apesar da insistência, por motivos óbvios, da propaganda de direita em atribuir esse papel a António Costa – que até ficou de fora das listas para as Legislativas de 2011, na altura aparentemente de relações cortadas com Sócrates.

Há dois meses atrás, Teixeira dos Santos ergueu a cabeça e falou com o Expresso. Na entrevista, contou a história de como teve que convencer José Sócrates da necessidade de avançar para o inevitável resgate:

“Tornei muito claro ao primeiro-ministro que teríamos de o fazer e que o país iria enfrentar grandes dificuldades se não o fizéssemos e que esse pedido de resgate era incontornável. Seria fatal como o destino”, sublinhou Teixeira dos Santos, avançando que Sócrates ainda lhe pediu 24 horas para ver se não haveria alternativas. Contou ainda que, como não foi encontrada outra solução, decidiu sinalizar ao país, numa entrevista ao “Jornal de Negócios”, que o resgate teria de ser pedido, empurrando o primeiro-ministro para essa decisão.

Digam lá se não é de dar uma medalha ao senhor: ergueu a cabeça e seguiu em frente com a nacionalização do BPN, transferindo para o povo português uma dívida estratosférica da responsabilidade dos amigos criminosos do senhor que actualmente decide quem tem direito às medalhas da casta, e pressionou o primeiro-ministro a avançar para o resgate, surgindo de cabeça erguida meio ano antes das eleições Legislativas em entrevistas ao Expresso e à TVI24 a recordar essa pressão, a revelar que Sócrates adiou o pedido de resgate por motivos eleitorais, a acusar António Costa de cumplicidade no processo e a fazer cair um dos grandes mitos socráticos que dizia que Portugal não teria estado à beira do default, imediatamente antes da chegada da Troika. No dia em que Cavaco se dedicou a fazer campanha pela coligação no poder, condecorar um Teixeira dos Santos foi um belo presente para quem, de cabeça erguida, tão útil foi para a pretensões eleitoralistas do PSD e do CDS-PP. Como se o desastre BPN não tivesse sido nada com ele. Sai uma Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo que isto sim são “destacados serviços prestados no exercício das funções em cargos de soberania ou Administração Pública, e na magistratura e diplomacia, que mereçam ser especialmente distinguidos”. De cabeça erguida e pronto a seguir em frente.

Comments

  1. j. manuel cordeiro says:

    Já agora, sabe-se quem é que pagou o outdoor? Nem sempre o óbvio é o que acontece heheh


    • A julgar por um certo passado recente, a possibilidade de ser um golpe ao bom velho estilo dos manipuladores de foruns da TSF não pode ser descartada 🙂

  2. Rui Silva says:

    Nacionalizar, definitivamente não é boa ideia. Dá sempre o mesmo resultado: por o contribuinte a agar as contar de uns quantos…

    cumps

    Rui SIlva

    • Nightwish says:

      Ao contrário das privatizações, em que o contribuinte paga as contas de uns quantos e nem sabe, e ainda tem um terço do dinheiro a sair do país.

      • Rui Silva says:

        Mas só paga uma vez.
        Enquanto nas nacionalizações paga todos os dias.

        cumps

        RS


        • Mas olhe que isso se calhar acontece porque ultimamente só nacionalizamos coisas falidas…

        • Nightwish says:

          Só paga uma vez? O monopólio da electricidade e da gasolina é todos os meses, para os bancos o IRS não perdoa, a água é já a seguir…
          Entre muitos outros… o estado privatiza e depois vai pagar mais alto pelo mesmo serviço, para nem falar nos subsídios às PPP e empresas de transportes…

  3. maria celeste ramos says:

    MERDAMERDAMARDAMERDINHAMERDINHACÁCA´CÕCÕCÕCÕRÕCÕCÔ

  4. NIKO says:

    o lanranjal ficou incomodado com o artigo. sempre a gamar e olhar em frente. ABUTRES

Trackbacks


  1. […] governo socialista que alguma propaganda está a tentar branquear para lá colocar António Costa, até porque o agora comendador, ingenuamente ou não, até tem sido muito útil para a campanha elei…. Quero portanto deixar esta dedicatória ao senhor comendador, que com certeza terá perdido dias a […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.