Jorge Jesus: o conforto e o risco

Jorge Jesus, em entrevista à SIC Notícias, explicou que trocou “o conforto pelo risco”. Não está só. Há cinco anos, o Expresso também trocou o conforto de uma ortografia adequada à realidade do português europeu pelo risco. Um dos resultados patentes é esta mistela:

expresso672015

Como Jesus e como o Expresso, também o Governo decidiu trocar o conforto de uma ortografia adequada à realidade do português europeu pelo risco. Eis aquilo que acontece no sítio do costume:

dre 6072015

E eis a solução.

Continuação de uma óptima semana.

Comments


  1. É absolutamente incrível e ridículo que o governo imponha uma reforma (a que chama “acordo”), de cariz obrigatório, penalizando os alunos que não a aplicam nos exames, e nem sequer se dê ao trabalho de dar o exemplo, através do jornal governamental (Diário da República). “República”, mas só se for de bananas….
    E é também incrível que várias publicações (como o Expresso), sem sequer serem obrigadas a isso, se tenham deixado embalar pelo canto da sereia, talvez acreditando no mito da “unificação”. Bastavam “cinco reis de testa” para ver que isso era impossível, além de desfigurar o Português europeu na grafia e na fonética (ao contrário do que foi propalado).

Trackbacks


  1. […] Sipowicz, depois de descobrir que algo de semelhante aconteceu ao mesmo leitor, exactamente no mesmo local e há muito pouco tempo, encontra um júri que pode exigir a candidatos a apresentação de documentos comprovativos de […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.