Desculpem lá

mas ainda os votos estão quentes e já se diz isto?

Um país a crescer pouco, onde o número de pessoas tende a encolher, mas com demasiados desempregados. O novo Governo vai herdar uma economia mais pequena do quem 2011, mas com mais dívida pública. Mesmo que o estímulo ao crescimento faça parte dos planos, a próxima legislatura será sempre marcada por uma forte pressão para baixar despesa e pagar a quem tem financiado o país. [Económico]

Onde é que estava esta gente há uns dias? E isto dito agora é para preparar o quê? Ou muito me engano, ou começou a campanha de justificação do falhanço que será a próxima governação. Porque, sejamos claros, não estamos melhor, conforme andou a PAF a dizer. Pelo tom, tenho aqui um polegar que adivinha que o bode expiatório será, novamente, o que se passou quase há cinco anos.

Comments

  1. Hagi says:

    “Mas a tarefa será hercúlea: é que o futuro Executivo não poderá fazer tábua rasa do país que herda.”

    É realmente um artigo extraordinário que apenas se pode explicar de uma forma: o autor acredita piamente que a esquerda formará Governo.

    Caso contrário, é toda uma inovação, e lanço desde já o repto para se incluir no Código Civil a possibilidade de um sucessor herdar dele próprio.

    Cumprimentos,

    Hagi

  2. Nightwish says:

    Depois das promessas e da narrativa que agora está tudo bem, não cola. Nem dura.

  3. Edgar says:

    No emprego, na saúde, na educação, na justiça, na segurança social, na economia, na dívida, no património, nos salários reformas e pensões, enfim: nos direitos dos trabalhadores e do povo e em termos civilizacionais, quanto se recuou no tempo durante os últimos 4 anos de governo PSD/CDS? Quantos mais anos vamos recuar enquanto este governo se mantiver apesar da rejeição popular que significa a perda da maioria (menos 700.000 votos 25 deputados)?
    Enquanto isso a maioria dos portugueses que não votou neles vai continuar a sofrer, em particular os trabalhadores e os mais desprotegidos..
    O PS vais continuar a ignorar este sofrimento e a inutilizar os votos que pediu e recebeu para derrotar a direita? Não aprendeu nada nestes últimos anos? Só é de esquerda nas campanhas eleitorais?

  4. Rui Moringa says:

    Ó gente, o PS faz parte da “grande loja da viúva europeia”. Está sempre associado à burguesia financeira (lojistas) para explorar os seus concidadãos. O PS não é um partido patriota. É europeísta, ou seja, é pela nomenclatura europeia que se apropriou do poder para nos explorar. Vejam os discursos e as posições do seu grande líder Mário Soares. Os grandes empreendedores que residem cá no retângulo limitam-se a ficar com umas comissões dos negócios que patrocinam para os alemães chineses, angolanos americanos, explorando o nosso dia a dia.
    Referendamos a entrada na UE? Referendamos a entrada no Euro?
    Onde estavam os campeões da democracia? A enganar-nos.
    O PSD pertence também à grande loja da viúva europeia, O resto são cantigas.
    Divirtam-se.

  5. Aurélio Diniz says:

    Quando eles (políticos) verificarem que mais vale falar verdade, quando souberem que a mentira tem perna curta e não vai longe, já nós estamos pobres demais para sorrir aos estrangeiros, que nos vêem ver como, macacos numa jaula.


  6. Se se levou 4 anos a acusar “o outro” e a destruir pedra a pedra o que o “outro dez” agora é preciso mais uma vez acusar o “outro” de nem importa o quê – o “outro” afinal é tão importante (ainda) que nem dá para fazerem nada a não ser acusar o outro e continuarem – as eleições recentes são eloquentes – – Dramático é também a morte de pescadores que hoje na barra de Figueira da FOZ tiveram de esperar HORAS pois “parece” que o barco salva vidas nunca o tinha feito e desta vez teve mêdo das rêdes – saberiam que pescador sem rêde não é pescador ?? Afinal bastava uma mota de água para salvar os náufragos ?? E fica mais baratinho – O mar estava bravo ?? disse o comandante do Porto ?’ Deve ser a primeira vez com certeza – se calhar julgava que é como no algarve – não sei – morre-se aqui de muitas maneiras – cada vez mais mortes e mais maneiras “novas”


  7. Se se levou 4 anos a acusar “o outro” e a destruir pedra a pedra o que o “outro dez” agora é preciso mais uma vez acusar o “outro” de nem importa o quê – o “outro” afinal é tão importante (ainda) que nem dá para fazerem nada a não ser acusar o outro e continuarem – as eleições recentes são eloquentes – – Dramático é também a morte de pescadores que hoje na barra de Figueira da FOZ tiveram de esperar HORAS pois “parece” que o barco salva vidas nunca o tinha feito e desta vez teve mêdo das rêdes – saberiam que pescador sem rêde não é pescador ?? Afinal bastava uma mota de água para salvar os náufragos ?? E fica mais baratinho – O mar estava bravo ?? disse o comandante do Porto ?’ Deve ser a primeira vez com certeza – se calhar julgava que é como no algarve – não sei – morre-se aqui de muitas maneiras – vada vez mais mortes e mais maneiras “novas”