Um cordão humano de propaganda?

manif

Alguns jornais deram ontem destaque a um cordão humano que apela a uma espécie de consenso cavaquista entre os partidos: entendam-se desde que o entendimento não inclua CDU e BE. Deve ser mais uma dessas iniciativas da sociedade civil cozinhadas entre a São Caetano e o Caldas.

A manifestação, que conseguiu reunir 1000 pessoas – todos independentes, claro está – teve como mote “Unir o que está dividido”. Como se alguma vez PS, PSD e CDS-PP tivessem sido um só. Como se tivessem feito uma campanha eleitoral de apelo à convergência. É possível que estas pessoas não tenham estado muito atentas às narrativas do PàF e do Partido Socialista. Depois de tudo o que foi dito, depois de todas as acusações e práticas subterrâneas, um entendimento entre ambas as partes seria verdadeiramente surreal.

A intenção deste “movimento cidadão” é garantir uma solução de governo moderada. E por moderada deve entender-se aqui uma solução que passe por manter tudo como está: austeridade radical, cortes salariais, desinvestimento no Estado Social e vassalagem absoluta á ditadura dos mercados. Estranha forma de moderação. Aquela moderação ao bom velho estilo dos brandos costumes. Deus, pátria e família.

Depois temos o casal entrevistado pelo Expresso. O senhor, antigo militante do PSD na casa dos 68 anos, decidiu participar nesta iniciativa porque “coligação e o PS têm muito em comum que é preciso aproveitar” afirmando, contudo, que com esta direcção do PS não existe possibilidade de acordo e acrescentando que um governo de esquerda “daqui a seis meses o Governo já não existirá e estaremos a caminhar de novo para um 1975”. Aproveita ainda para classificar Catarina Martins como “uma falhada” que “parece uma ditadora a falar” e que a “única coisa que quer é poder”. A esposa, uma socialista de 67 anos, que até refere um historial de acesas discussões ideológicas com o marido, reforça a oposição à negociação do PS à esquerda e refere que “Este acordo à esquerda tinha que ser discutido e falado antes. Estamos à beira de um abismo, porque o que o Sr. António Costa quer é o poder”.

Ler os destaques do Expresso e não ver ali toda a propaganda pós-eleitoral disseminada pela coligação PSD/CDS-PP parece-me uma impossibilidade. Está lá tudo: o desespero da direita para que o PS se volte a virar para o seu lado do espectro, a suposta instabilidade inevitável que decorre de um governo de esquerda que nos atirará para um novo PREC, o ataque ao BE, o partido aparentemente mais aberto a um entendimento com o PS (nem por isso apontam baterias à hesitante CDU), o acordo à esquerda que devia ter sido pré-eleitoral, como se o acordo que garantiu os quatro últimos anos de governo o tivesse sido, o abismo, a catástrofe e o Costa que só quer é poder como se Passos e Portas tivessem olhado a meios para o obter.

A diferença é que, desta vez, ao invés de tais apelos nos chegarem da parte das estruturas partidárias ressabiadas, dos comentadores ao serviço do regime ou dos clones plantados nas redes sociais, chegam através de um simpático casal com idade para saberem do que falam, um casal que se manteve unido apesar da clivagem ideológica que os separa, um casal de possíveis reformados que, apesar dos cortes a que foram sujeitos, preferem a dura realidade da austeridade ao papão comunista que poderá misturar os netos com leite e comê-los ao pequeno-almoço. É tudo tão ternurento que é quase impossível não sentir empatia. Afinal de contas, não são políticos mauzões e corruptos, são pessoas como eu e o caro leitor, que até podiam ser nossos pais ou mesmo avós. Chega a ser poético. Ou será apenas um cordão humano de propaganda? É que o cheiro é mesmo muito parecido…

Foto: Tiago Miranda@Expresso

Comments

  1. joão lopes says:

    nem 300 eram,e só lá vi “tios” e “tias” das av.novas,os tais que recebem muito acima …das suas necessidades.

    • Ironia says:

      João Lopes, afinal conheces pelo menos cerca de 300 “tios” e “tias” das av.novas!!!

      • joão lopes says:

        são exactamente os mesmos que passam a vida a pedir “borlas” nos espetaculos da Gulbenkian(devem querer levar os maços de notas para a cova ou para a cova de iria)


    • Já suspeitava…

  2. Nightwish says:

    “Compromisso Portugal” diz-lhe alguma coisa? O nome da organização é quase o mesmo…


    • Isso não era aquela coisa do Alexandre Relvas e do Carrapatoso que ajudou o Passos a chegar ao poder? Malta que depois até financiou o Observador?

      • Nightwish says:

        http://observador.pt/2015/10/30/movimento-compromisso-democratico-sai-a-rua-por-alternativa-moderada/

        Um grupo de cidadãos anónimos e sem filiação política criou o Movimento Compromisso Democrático. Entre iniciativas, o grupo quer promover uma “alternativa moderada” no meio do “clima de crispação”.

        O Movimento Compromisso Democrático lançou um Manifesto que já conta com 1.500 subscritores, a ser entregue “às figuras do Estado”. Vai ser também promovido um cordão humano no dia 4 de novembro ligando as sedes de PSD, CDS e PS à Assembleia da República

  3. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    “Ainda há tempo”.
    E porque não “Ó tempo volta pr’a trás” ?
    A reportagen da TV foi feita de forma a não mostrar o “cordão”. Suspeitei de imediato que não passaria de um “atacador” … curto.

  4. práfrentex. says:

    Quem pagou o jantar?.

  5. Joao Jose Tavares Capelo says:

    Que cordão?……palhacada

  6. Joao Jose Tavares Capelo says:

    Não acreditem nas sondagens recentes,…..falsas…..todos os partidos subiram ….menos o pcp.mas mas assembleia e de esquerda …….o resto é fantasia, os jornais de tendência de direita.

  7. J.Pinto says:

    E se for o próprio PCP ou BE a excluir-se, haverá algum problema? Esperemos pelas cenas dos próximos episódios, para ver quem é quem e, caso haja acordo, ver quem é que dura mais de 6 meses-1 ano.

    Tenho dito…