Vistos Gold: o favor de Miguel Macedo ao ex-patrão de Sócrates que não fez manchete

O Ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, observa ensaios com fogo durante a visita ao Laboratório de Estudos sobre Incêndios Florestais da Universidade de Coimbra, na Lousã , 6 de março de 2012. PAULO NOVAIS/LUSA

Formalizada a acusação contra o passista Miguel Macedo pela prática de três crimes de prevaricação e um de tráfico de influências, algo raro em Portugal, a imprensa continua a dar pouca atenção a este caso, preferindo dar destaque aos temas do momento: a crise política, a ameaça terrorista e o incontornável José Sócrates, que ao contrário de Macedo ainda aguarda acusação.

Por falar em Sócrates, a SIC Notícias fez saber que um dos crimes de prevaricação que consta na acusação do ex-ministro da Administração Interna diz respeito à ajuda que terá dado a Lalanda e Castro – o ex-patrão de José Sócrates na Octapharma Portugal que há poucos meses foi constituído arguido da Operação Marquês e fez umas quantas capas de jornais – para escapar ao pagamento de 1,8 milhões de euros de IVA, referentes a ganhos obtidos por uma empresa sua com a vinda de dois grupos de cidadãos líbios a Portugal para receber tratamento médico. Miguel Macedo terá então pedido ajuda ao secretário de Estado Paulo Núncio e, algumas reuniões depois, a Autoridade Tributária, sempre tão implacável, acabou por esquecer a dívida, lesando o Estado Português em 1,8 milhões de euros. A dúvida permanece no ar: será Paulo Núncio o senhor que se segue?

Entretanto, e por falar em capas de jornais, os principais títulos portugueses voltaram o colocar Sócrates em destaque, citando a peça do Diário de Notícias que refere que “A Autoridade Tributária fez contas ao dinheiro que acredita que Sócrates recebeu de fonte ilícitaPortanto quando a Autoridade Tributária acredita que algo de ilícito aconteceu temos destaque. Quando a mesma Autoridade Tributária se esquece de uma avultada dívida ao Estado que envolve um ex-ministro, um secretário de Estado e o ex-patrão do infame Sócrates assobia-se para o lado e faz-se de conta que nada disto tem importância. Notável.

Foto: Paulo Novais/Lusa via Inépcia

Comments

  1. joão lopes says:

    por mera diversão fui ao mirone à procura do macedo,e o macedo nem vê-lo,claro,como se espera,e o socrates(o tal que ainda espera a acusação),la estava o socrates no mirone:é mesmo “divertida”, chic e trendy,a pasquinada direitola.grita muito como a gritadora oficial do regime:a tininha do ginasio.

  2. Ana A. says:

    Bom perante os factos, só temos uma coisa a fazer: – descriminalize-se a corrupção, o tráfico de influências, o branqueamento de capitais (afinal, os paraísos fiscais, existem e recomendam-se), etc., etc. – invocando-se, tipo o “usucapião adaptado” ou sei lá, a “tradição”. É que da forma como isto anda, o “normal” já passou a ser a excepção, e já não há boa vontade que aguente!

  3. Sergio Pereira says:

    Mas afinal para o que é que eles querem ir ao pote?
    Passos Coelho explicou bem isto aquando da campanha eleitoral em 2011, não se lembram?
    Ele disse aquando o BE apresentou a moção de censura e passo a citar ” Não chegou a hora de irmos ao pote”
    Parece impossível que com tanta literatura ou seja livros que saem para o mercado, a explicar como eles (os politicos) enriquecem, ainda nos espantemos de estas trafulhices, da corrupção, tráfego de influências, etc. etc.
    Claro que esta gente nos países nórdicos onde a justiça não está comprada e instrumentalizada, pelos grandes grupos de poder e outros como os Mações estariam todos presos, uns por corrupção e outros por encobrimento.
    É claro que por exemplo, agora parece que se vai candidatar a presidente um Senhor chamado Paulo Morais, que até se dá ao luxo de ir a assembleia e chamar~lhes corruptos e muitos até pelos nomes, mas os portugueses querem votar noutro fala-barato do sistema como Marcelo Rebelo que estas coisas passam~lhe ao lado.
    Enfim, os portugueses só têm aquilo que merecem. pois sabendo de sobra o tipo de pessoas que são e às máfias a que pertencem e ainda assim os escolhem, o que é que eles podem e devem fazer?

  4. luis barreiro says:

    Para todo o facho de direita não deve de haver presunção de inocência, pois este é outro corrupto, e as escutas bem o provam.
    Mas no caso do Sócrates acho que deve de haver presunção de inocência, e para quem for de esquerda também.


  5. Paulo Lalanda de Castro, nunca foi patrão de Jose Sócrates. O patrão de ambos é WOLFGANG Marterra principal dono da OCTAPHARMA. Pode pesquisar um bocadinhos antes e dar informações falsas?

Trackbacks


  1. […] e engrossa o lote de alegados favores do ex-ministro a empresários poderosos. Depois do recente caso Lalanda e Castro/Octapharma, que com a ajuda da Autoridade Tributária e de Paulo Núncio resultou no perdão de uma dívida […]


  2. […] avançou o Público, os crimes em julgamento prendem-se com o caso dos helicópteros Kamov e com o favor que o ex-ministro terá feito ao ex-patrão de Sócrates, que, com a ajuda do então secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, o centrista Paulo Núncio, […]


  3. […] caminho, para além do favor ao ex-patrão de José Sócrates, caso que nem com a associação do nome do ex-primeiro-ministro despertou grande interesse na […]


  4. […] Já Miguel Macedo, a braços com a justiça por crimes de prevaricação e tráfico de influências,…. Claro que, por vivermos num país onde a esquerda controla a imprensa com mão-de-ferro, as ligações de Miguel Macedo ao antigo presidente da Octapharma em Portugal não estão a ter o mesmo destaque mediático que a relação com José Sócrates. O que não invalida que o ex-ministro de Passos Coelho não passe por Évora um dia destes. […]


  5. […] por algo que aconteceu entre 2011 e 2015. O elogio de Assunção Cristas ao homem a quem o país e o amigo do ex-ministro Macedo devem muito. A determinação do PSD em acabar com a pouca-vergonha. O Costa a ser trucidado pela […]


  6. […] muito bem atribuído, podemos ver esse grande camarada que é Paulo Núncio, um indivíduo a quem a cunha institucional não é alheia, merecendo o lugar que ocupa no cartaz pela sua vasta experiência em áreas como a isenção e a […]


  7. […] que governa Portugal com mão de ferro, pouca-vergonha que se torna ainda mais intolerável se considerarmos o alarido que a imprensa fez em torno das ligações ao ex-patrão do eterno e todo…, ou não fosse Sócrates o grande responsável por toda a corrupção, prevaricação e tráfico de […]