PS começa a dar os primeiros sinais de cedência a Bruxelas

orcamento_estado A proposta de orçamento apresentada pelo governo socialista ainda não passa de um draft mas já está a ser alvo de críticas e a levantar muitas dúvidas de vários sectores nomeadamente de Bruxelas.

Aliás ainda hoje Carlos César, líder parlamentar do Partido Socialista, admitiu que poderão vir a ser feitas algumas cedências à Comissão Europeia.

Este anúncio de Carlos César penso que é estratégico vindo assim abrir caminho a algumas cedências prévias de António Costa que amanhã terá que enfrentar os deputados na Assembleia da República.

E não tenho dúvidas que este será o tema forte do debate quinzenal no Parlamento.

Estou curioso para ver a estratégia que Pedro Passos Coelho vai começar a trilhar na oposição ao governo agora que se conseguiu libertar de alguns dirigentes do PSD que o condicionaram, nos últimos anos, mas que agora passaram a meros figurantes.

Mas será também interessante observar os primeiros sinais de um novo CDS que está claramente num processo de mutação que vai implicar um novo posicionamento político do partido que vai passar a ser liderado por Assunção Cristas.

Porém amanhã será também o dia em que o governo terá que dar resposta às dúvidas e perguntas da Comissão Europeia. E parece-me que Bruxelas está de pé atrás com o governo português, sobretudo pelas diversas regressões já levadas a efeito pelo executivo no sector dos transportes.

Apesar das divergências parece-me que a proposta final de orçamento poderá ficar pelo meio termo com cedências de ambas as partes.

Mas será que a proposta final do orçamento de estado, negociada com Bruxelas, terá o apoio parlamentar do BE e do PCP?