Angola: à direita, nada de novo

PPCJES

Em teoria, MPLA e PSD professam da mesma ideologia: ambos se assumem como social-democratas. No mundo real, os primeiros agem como os colonos que outrora combateram, explorando um país vasto em recursos, enquanto a esmagadora maioria da população definha. Os segundos, reféns de uma variante muito particular de liberalismo, sacrificaram o Estado Social em detrimento dos apetites do capital privado. Muito mais é o que os une, do que aquilo que os separa.

Sem surpresas, o PSD integrou a coligação (im)provável que chumbou os votos de condenação apresentados por PS e BE contra a prisão dos activistas angolanos que ousaram debater e lutar pela liberdade. Tal como o CDS-PP, a argumentação dos “social-democratas” não difere muito da argumentação dos comunistas: soberania e não-ingerência nos assuntos internos de Angola.

Curiosamente, ou talvez não, o CDS-PP apresentou, em 2003, um voto de condenação pela repressão política de opositores ao regime cubano. PSD, tal como o PS, votou favoravelmente a proposta dos centristas. O PCP, que ninguém os acuse de incoerência, votou contra. Mas a contradição de posições de PSD e CDS-PP demonstra, factualmente, que os argumentos da soberania e da não-ingerência mais não são do que circunstanciais. Melhor: são uma valente treta.

É interessante assistir a este beijar do anel da ditadura angolana por parte de um partido cuja propaganda, principalmente desde que a democracia representativa o remeteu para a oposição no Parlamento, assenta, em larga medida, em acusar PCP e BE de serem partidos que rejeitam a democracia. Que foi precisamente aquilo que PSD e CDS-PP fizeram ao defender a repressão do regime angolano votando contra as propostas de PS e BE. Ou será que existe alguma diferença entre os presos políticos cubanos e angolanos?

Comments


  1. Isto de ditaduras; só quem lutou contra elas, e sofreu na prisão do Aljube ou Caxias aqui em Portugal, é que pode compreender o que é lutar pela liberdade; e nestes dias conturbados que se vive hoje no mundo ,especialmente no Brasil e Portugal,onde já se houve pedir a intervenção dos militares para o regresso à ditadura é de arrepiar os cabelos ao maior careca como eu !!!

    • Ferpin says:

      Está totalmente enganado. O PCP foi o partido que teve mais gente presa no tempo do Salazar. O voto do PCP de que aqui se fala mostra que a passagem pela cadeia no tempo da ditadura não lhes ensinou nada no que toca a solidarizar-se com os lutadores de hoje em dia.