Rir ou punir, eis a questão!

erdogan

É sabido que os ditadores ou candidatos a tal têm pouco sentido de humor e adoram triturar quem arranja maneira de fazer humor sobre a sua falta de humor. Estamos a assistir a um caso apimentado que se enquadra nessa problemática humorística e tem honras de destaque nos média alemães de hoje. Um humorista alemão apresentou, num programa satírico, um poema com uma forte sátira ao presidente turco Erdogan. Segundo consta, chamou-lhe de tudo (não pude ver o vídeo porque já foi retirado da net; existe um outro vídeo, de outro programa de sátira política alemão, com legendas em inglês, que (ainda) não foi retirado).

Pois isto foi elevado à categoria de caso diplomático, tendo Erdogan exigido da Alemanha que o humorista seja condenado por “ofensa a órgãos ou representantes de Estados estrangeiros”, o que pode resultar numa pena de prisão até 3 anos ou uma multa correspondente. O Ministério Público alemão viu-se pois obrigado a analisar o caso e ainda não se pronunciou, mas irá fazê-lo hoje ou amanhã. Entretanto, Erdogan não fica à espera e apresentou agora pessoalmente queixa à Alemanha, exigindo julgamento por ofensa à sua honra; O vice-primeiro ministro turco Numan Kurtulmus não quer ficar atrás e afirma que o poema “ultrapassa todas os limites da decência”, é “uma ofensa aos 78 milhões de turcos” e um “grave crime contra a humanidade”; “E por isso é claro que, como República da Turquia, exigimos que este homem insolente seja imediatamente castigado pela legislação alemã por ofensa a um presidente”. Porém, acrescenta ainda, “a Turquia não pretende exercer pressão política absolutamente nenhuma contra a Alemanha”. É piadético, ou não é piadético??? Mais que sabido é o que acontece a quem tem a veleidade de ser engraçadinho na Turquia…

Angela Merkel, que já foi obrigada a declarar que houve “ofensa propositada”, está metida num imbróglio, entre não picar o “aliado” para conseguir gerir o problema dos refugiados e espicaçar a opinião pública alemã que, veja-se bem, é tão descarada que leva à letra os direitos democráticos da liberdade de expressão, de imprensa e culturais. Um pormenor também espirituoso: Yanis Varoufakis publicou no twitter um “Hands off from Jan Böhmermann”…

A ver no que vai dar este inusitado tumulto político que nada mais faz do que, mais uma vez,  “consubstancializar”  duas visões distintas do mundo.

Comments

  1. jpfigueiredo says:

    É um teste interessante mas que não irá fugir muito do que já se anuncia: condenação pública dos termos da intervenção e salvaguarda jurídica do direito de expressão de acordo com a jurisprudência do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, no qual aliás a Turquia – e, já agora, Portugal – é regularmente condenada por violação à liberdade de expressão.


  2. Do ponto de vista estético a música é um pavor. Ofende-me a sensibilidade (sou tão sensível como qualquer turco otomano). Merkel tem razão: é claro que houve ofensa propositada. Não era esse o propósito? O senhor Erdogan o que tem a fazer é esperar pelo músico e pregar-lhe duas bofetadas. É que não se insulta assim a nobre arte de Orfeu, que também era turco, que raio. Depois limpe-lhe o nariz com a água do Bósforo para ver se lhe tira aquele timbre anasalado que só fica bem no big brother.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.