Acorda Porto!

ladrao
Podemos falar no desnorte da SAD do FCPorto nos últimos tempos? Claro que sim e eu já escrevi sobre isso. Podemos falar na falta de “unhas” do treinador do FCPorto? Obviamente e eu também já escrevi sobre o tema. Podemos falar sobre a qualidade do plantel? Então não! Embora o FCPorto tenha um bom plantel no que ao nosso campeonato diz respeito. Já para a CL é outra conversa, considero-o curto mas é a realidade do nosso futebol que não consegue competir com as centenas de milhões de Inglaterra ou Espanha embora até se consiga fazer uns brilharetes. Posto isto, e de arbitragens?
 

Ora, é aqui que a “porca torce o rabo”. Entendo que as constantes más arbitragens de que o FC Porto tem sido vítima não o são por acaso. Como é típico do nosso país, as autoridades (políticas, empresariais e do mundo da bola) gostam de ser fortes com os fracos e fracos com os fortes. E estando o FCP a viver um momento interno complicado, com uma SAD em queda, com um treinador “tenrinho” e muito “educadinho”, com uma massa associativa em choque com o presente e com o seu timoneiro, o seu líder, cansado e sem a força do passado, sem a influência que sempre o caracterizou (para o bem e para o mal) muitos abutres estão agora numa espécie de “vingança” e toca a humilhar o Porto. Sim, o que se passou ontem, independentemente do futebol praticado, foi uma humilhação. Com contornos tão patéticos que até já ultrapassaram as nossas fronteiras: é ver o que dizem jornais como o AS em Espanha ou o Mirror em Inglaterra e as redes sociais em vários países – o vídeo da expulsão de Danilo corre mundo expondo a vergonha e dando uma magnífica imagem da seriedade da nossa arbitragem e do que se está a passar no nosso futebol.
 
Estou convencido que isto nem é uma “maquinação” para beneficiar o Benfica. Não, o Benfica é apenas o beneficiário acidental. É mesmo um ataque cerrado ao FC Porto numa tentativa de o aniquilar aproveitando a situação interna que se vive. É mesmo “a vingança” do sistema que está a aproveitar a fraqueza actual da liderança portista para vingar anos e anos em que foram subjugados e tiveram de “levar” com as constantes vitórias do Porto a todos os níveis. É a vingança daqueles que foram preteridos no passado. Daqueles que hoje querem agradar a uma suposta nova liderança do futebol/sistema português. Daqueles que nunca gostaram – por muito que isto irrite boa gente – do Porto a afirmar-se, qual aldeia gaulesa de Astérix, no centralizado submundo do futebol português. Alguns dirão que estou a exagerar. Pois. Para esses recordo os tempos em que bastava o Porto passar a ponte para já estar a perder. O tempo dos calabotes, a maravilha que era no tempo da outra senhora onde a alternância se fazia dentro das fronteiras de Lisboa.
 
Foi isso que o Porto, pela mão de Pinto da Costa e José Maria Pedroto, combateu numa guerra (guerra, sim, não tenham medo das palavras) que venceram e que hoje, os do costume, tudo fazem para destruir. E até estão a conseguir. Estão a saber aproveitar as nossas fraquezas actuais. Estão a ver que nos podem humilhar sem nada acontecer, que podem expulsar o Danilo por ter sido empurrado pelo árbitro, que podem fazer vista grossa a grandes penalidades, que podem condicionar as arbitragens, que podem tudo. Tudo.
 
Até quando? Até os adeptos do FCPorto deixarem. Até agora, tivemos sempre quem o fizesse por nós e para nós. Por isso nos aburguesamos. Porém, esse tempo acabou. O Pinto da Costa (que para o bem e para o mal, repito) tratava de nos defender, de não deixar que ninguém nos humilhasse, já não o consegue. Está cansado e muito mal rodeado. Se fosse hoje, bem que nos penhoravam mesmo a retrete (lembram-se?).
 
Depois do que se passou ontem entendo que já não resta espaço para falinhas mansas, para diplomacias bacocas as quais nem tão pouco são características do nosso ADN. O “Somos Porto” de que tantos hoje enchem a boca é o do “antes quebrar que torcer”, o do “contra tudo e contra todos” e “custe o que custar”.
Acorda Porto!!!
 
(publicado originalmente na página de facebook “Futebol Sem Dogmas“)

Comments

  1. Konigvs says:

    Quando li o título pensei que o conteúdo versaria sobre tentar fazer luz sobre os problemas próprios e não sacudir a água do capote.

    Vir falar de árbitros inexperientes quando o próprio Pinto da Costa veio defender o sorteio? (quando antes defendia as nomeações?) Defender o sorteio é poder ser arbitrado pelo árbitro pior classificado! Vir falar mal da arbitragem quando antes se fazia crer que os únicos problemas eram criados (pelo sportinguista) Vitor Pereira?

    Acho é que o Pinto da Costa devia ouvir os conselhos que dá aos outros:

    “Só os burros é que falam de arbitragem”.

    • Paulo Marques says:

      Quando se promovem árbitros das distritais à revelia das leis da FIFA é por alguma razão.
      E quando se assina contracto com filhos da liga não é pelo lindo futebol.

      De resto, concordo, não é de hoje. Só quem se deslumbra com Jesus, Vitória, Jonas e demais mancos é que não vê o óbvio.


    • PORQUE ESTÃO SEMPRE A dizer o “ADN” do Porto? O PORTO NÃO É UMA PESSOA É UMA COLECTIVIDADE, só as pessoas teem ADN.. ou então eu estou burra de todo. QUEM NÃO TEM ADN nenhum é o treinador, coitado, farta-se de fazer rabiscos como se estivesse a ensinar atrasados mentais. um PC normal já o tinha mandado estudar desenho.e outras coisas mais. VOLTA ESPELHO ESTÁS PERDOADO PORQUE ALEM DUM BONITO FUTEBOL ÉS UM BONITO HOMEM. Vale mais uma imagem do que mil palavras.

  2. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Isto dá pano para mangas, mas vamos lá.
    Caro Fernando de Sá, faça a análise até ao fim e não pare no ponto onde chama a atenção para …”a realidade do nosso futebol que não consegue competir com as centenas de milhões de Inglaterra ou Espanha …”
    Vá mais longe e pergunte onde param esses milhões que o FC do Porto ganhou durante 30 anos, tempo em que utilizando as suas palavras …” Pinto da Costa (que para o bem e para o mal …) ” o Clube armazenou milhões, com transferências chorudas, nomeadamente. E pergunte, porque perdeu o FC do Porto aquela característica de comprar praticamente sempre só bons ou excepcionais jogadores.
    Depois fale da asfixia da concorrência, nomeadamente a nível interno das pressões e da teia de interesses, do verdadeiro polvo que se criou no futebol em que Pinto da Costa fazia o que queria e como queria.
    Chamar aos que vêem um personagem como Pinto da Costa a receber a paga do que fez, de “abutres” é de alguém que não tem memória, nem consciência da corrupção que por aqui grassou, adoçada com chocolate e temperada com fruta fresca e que, provou-se, prejudicou directamente e factualmente directos competidores nacionais.
    Devemos ter memória e sobretudo não vir fazer o papel de “virgem ofendida” para junto daqueles que têm memória e que ainda têm recurso ao You Tube para ver todas as maquinações que envolveram várias estruturas e que passaram incólumes porque em Portugal, nem banqueiros, nem agentes do futebol são acusados do mal que alguma vez tenham feito.
    Aquilo a que chama de “guerra” foi uma tramóia urdida por pessoas que não podem, nem sabem viver sem os seus “queridos inimigos”. Foi isto que conduziu ao “contra tudo e contra todos”. Se lhes tirarem os “queridos inimigos”, o “peito largo” esvazia-se naturalmente.
    Temos o mesmo a passar-se, trinta anos depois, num outro clube de Lisboa. Os mesmos tiques e a mesma filosofia.

    Hoje os “queridos inimigos” são os árbitros. E há casos em que têm razão, mas mais uma vez, não levam o assunto até ao fim. O F.C. do Porto, não pode ser aquela equipa que perde pontos, porque o árbitro não marca um penalty. Não perde com o Moreirense e empata com o Feirense em casa, porque o árbitro não marca um penalty. O Porto tem obrigações nas competições nacionais e internacionais. Tem uma estrutura, tem um plantel e fundamentalmente tem jogadores de nível.
    Ou deveria ter e se os não tem, vá até ao fim e questione o porquê.
    Ontem, num outro jogo também o árbitro não marcou um penalty e ainda assim a equipa prejudicada não deixou de ganhar avantajadamente.

    Deixem os “queridos inimigos” em paz e olhem para dentro. Olhem para o dinheiro que desapareceu, lê-se que em manobras pouco claras, olhem para as péssimas contratações que foram feitas e sobretudo, para uma equipa completamente desequilibrada, onde a falta de um jogador é desculpa para tudo e, quando um jovem marca um golo, é um herói até à quarta feira seguinte.
    Olhem um pouco para dentro de casa e depois, com a alguma razão que vos assiste, critiquem o que se passa no exterior.

    Ou ainda não perceberam que é exactamente isso que os que puseram o FC do Porto nesta situação querem justamente ouvir? O choradinho, os “queridos inimigos”, a centralização, o Terreiro do Paço, … , aquele paleio que andamos a ouvir há mais de trinta anos … e como se diz em brasileiro, é “conversa para boi dormir”.
    Não pare. Vá mesmo até ao fim.
    Cumprimentos.


    • Caro Ernesto, resolvido o problema do comentário, e ainda bem pois é um excelente comentário, aqui vai a resposta dentro do possível de uma caixa de comentários:

      1. Escrevo sobre o FCPorto, de vez em quando, no Aventar (muito pouco) e noutros locais (bastante) como nas páginas de facebook (além da minha) “Futebol Sem Dogmas” e “FêCêPê-Friends Club of Porto”. Nelas, principalmente na segunda visto ser um espaço de portistas (que por sinal a SAD do FCP e os seus funcionários detestam, vá se lá saber o porquê) tenho abordado a questão financeira e feito exactamente as perguntas sobre onde pára o dinheiro que o FCP ganhou (com abordagens reais através das contas conhecidas da SAD e do Clube.
      Aliás, aqui ficam alguns links de textos meus no Aventar sobre a temática do FCP que se cruzam com o seu comentário:

      https://aventar.eu/2016/02/09/cronicas-do-rochedo-v-pinto-da-costa-o-politico/

      ou, sobre as contas:

      https://aventar.eu/2016/01/07/fcp-o-complexo-basco/

      Ainda recentemente escrevi, nesses fóruns, que não são as más arbitragens que justificam ter uma equipa a jogar mal, a falhar golos, a falhar em termos técnico-táticos, etc.

      Agora, nas questões da fruta e quejandos, desculpe Ernesto mas estão todos bons uns para os outros – é ouvir as escutas que apanham Luís Filipe Vieira, é recuar ao tempo da outra senhora, etc., etc., etc. É tudo “farinha do mesmo saco”.
      Um abraço e obrigado pelo seu comentário.

      • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

        Caro Fernando Moreira de Sá.
        Para já felicito-o pelo modo como expõe os temas e a clareza do comentário. Não conhecia, de facto, o que escreveu sobre o F C do Porto caso contrário, não teria escrito o que escrevi.
        sobre as questões das escutas dá para perceber que eu tenho uma má vontade nata contra o Sr. Pinto da Costa, pessoa que não trouxe ao Norte aquilo que ele e outros pensam que, de facto, trouxe.
        Desde há muitos anos que afirmo que quem lhe tirará o tapete são os homens do Norte, os verdadeiros homens da cidade do Porto. E isto porque historicamente o povo do Porto sempre se pautou por padrões de justiça e equidade que não reconheço ao personagem.
        A imagem que ao longo destes anos ele passou da gente do Porto – infelizmente mistura-se com muita facilidade a bola com o País – foi muito negativa.
        Para quem conhece a história, sabe que as gentes do Porto sempre foram irreverentes, mas nunca arruaceiros ou trapalhões e na confusão País-bola, foi essa a imagem que se passou.
        Não foi por uma razão que foi apelidado de “rei do Norte” ou mesmo “papa”.
        Terá alguma razão no que toca às conversas telefónicas. Mas em todo o caso, só conheço um que foi apanhado a fabricar resultados, com claro prejuízo de outro contendor. Nesta modalidade, Pinto da Costa leva a medalha e isto, será o mais sujo de tudo o que foi feito, pois transformou-se em prejuízo directo.
        Abraço e obrigado.


      • por acaso quem iniciou essa campanha do apito dourado foi o então PRESIDENTE DO sportem (do jj) FIAS DA CUNHA. Todos os dias ele e um baixinho muito feinho do Recorda , falavam da fruta


  3. Esforço brutal para defender e branquear o Benfica. Pode não ser o causador, mas pimenta no rabo dos outros é refresco para mim.

  4. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Será que o comentário que fiz foi “censurado”?


    • ????

      • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

        Explico. Tinha feito um comentário que validei e não mais apareceu. É estranho, mas, sem duvidar da boa vontade democrática do caro Fernando Moreira de Sá, nestas páginas aparecia-me um artista que era useiro e vezeiro em cortar os comentários que não iam de encontro às suas ideias.
        Que fique claro, que não pretendo dizer que procederam de igual modo, mas que foi estranho foi. Ou eventualmente, um daqueles cortes de Net que acontecem.
        Mas não há qualquer problema. Penso que o caso agora, está esclarecido.
        Cumprimentos.


        • Caro Ernesto, penso que terá sido um problema qualquer da net pois não encontro o tal comentário e além disso a caixa de comentários deste post está aberta e não foi censurado nenhum comentário. Pode repetir o comentário? Um abraço e obrigado.

        • Ricardo Ferreira Pinto says:

          Aprovei agora um comentário teu, Ernesto, que estava no spam. Não sei por que razão foi lá parar.

          • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

            Olá Ricardo.
            Provavelmente foi um daqueles cortes pontuais de Internet e terá sido no momento da validação que ele foi activo.
            O assunto está completamente esclarecido e tenho a agradecer a vossa actuação.
            Abraço.

  5. Paulo Marques says:

    Fernando, o PC à muito que está mais preocupado com os negócios do filho. Estas arbitragens não apareceram esta época, mas a matreirice de uns são penalties e expulsões de outros.


    • nunca falar dos filhos e da família das figuras publicas. Se me disser que ele pos na rua UMA MULHER QUE PODIA SER SUA NETA, e trocou por outra com ar de pessoa ma tudo bem é a vida da figura publica. mas teve o bom senso de ir viver para SANTO Tirso, TERRA LINDA. assim LÁ NO SEU CANTINHO. DE PANTUFAS E ROUPÃO, Com umas cadelinhas ou gatinhas. terá uma vida recatada e talvez fique por ali e não se aventure com outra neta..

  6. nuno says:

    Estamos a falar da equipa que reclama um penalti por assinalar a seu favor em cada jogo que jogou esta temporada?

    A equipa não joga para ganhar o campeonato nem as taças e apostam tudo no Guiness World of Records, é isso?

    • Paulo Marques says:

      Já quem não se queixa é o clube do regime, tem-nos em qualquer lance propício. Ainda no penúltimo jogo teve mais um ridículo.

      • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

        Provavelmente o dito clube do regime já percebeu que é o único a ser castigado quando fala de árbitros.

      • nuno says:

        O clube a que Paulo Marques (adepto do clube do chamado sistema Apito) chama do regime sofreu três penaltis esta temporada. Ainda esta temporada o referido clube não jogou várias vezes contra dez adversários, como sucedeu com os do apito. E ainda agora, na taça da Liga, sofreu um penalti que ninguém assinalou. E de que ninguém se queixou. A única diferença é que marcou quatro golos ao adversário, coisa que o FCP e o SCP se esqueceram de fazer (e, aliás, esqueceram-se de fazer neste último jogo e nos dois anteriores dos seus grupos).

        • Paulo Marques says:

          A diferença abissal entre as arbitragens dos 3 grandes em Portugal e na Champions fala por si.

          • nuno says:

            Pois fala, Marques. Esta época o Benfica teve três penaltis a seu favor. O Porto queria uns 17, um por jogo. Querem o prémio dado pela cerveja irlandesa.

            A estatística assinalada diz o seguinte só para a Primeira Liga:

            A. Expulsões em Jogos do FC Porto
            1ª Marcelo do Rio Ave/Alex Telles do Porto
            7ª Tobias Figueiredo do Nacional expulso
            12º Artur Jorge do Braga (golo único aos 90+5 minutos)
            13º Ícaro Silva do Feirense
            14ª João Patrão do Chaves

            Expulsões em Jogos do Benfica
            15ª Pizzi Benfica

            5 expulsões de adversários (uma delas anulada pela de Alex Telles) e Zero do Benfica

            B. Grandes assinaladas Penalidades a favor do FC Porto e do Benfica
            1ª Benfica GP Setúbal
            7ª Porto GP Boavista
            13ª Porto GP Feirense
            14ª Benfica GP Estoril

            Empate 2-2.

            Ao contrário do que o FCP diz, o clube que domina a arbitragem não foi favorecido por 15 ou 17 grandes penalidades, mas apenas por um número modesto, razoável e provável delas.

          • Paulo Marques says:

            Os jogadores expulsos nas vésperas nunca contam… enfim. Depois estranham quando vão para fora e vão para a rua, seja na champions ou noutros clubes.

          • nuno says:

            Paulo Marques, Arranje mas é números dessas alegadas expulsões de véspera (para as duas equipas) e deixe-se de tretas.

            Quem reclama uma grande penalidade por jogo, precisa de se escudar em números reais se quiser ser levado a sério.

            Os números das expulsões e dos penaltis assinalados estão aí e parece que é o Porto que leva vantagem clara num dos itens.

          • Paulo Marques says:

  7. Nome Obrigatório says:
  8. Nome Obrigatório says:
  9. Nome Obrigatório says:
  10. Nome Obrigatório says:
    • Konigvs says:

      E curiosamente eu escrevi isto:
      ” Vê-se agora um Porto como nunca se viu nos últimos trinta anos. Completa desorganização, decisões incompreensíveis, guerras de bastidores e começou a habituar-se a perder, até onde sempre ganhava, no dinheiro. E há muito que não se via o clube querer muito um jogador (já de épocas anteriores) e vê-lo fugir para o rival.”

      • Paulo Marques says:

        O Rafa já fez alguma coisa que merecesse o desperdício do slb?


        • O seu tom dá para perceber nos comentários e temo não ser possível uma conversa como o post do meu amigo e adversário merece. Mas vou tentar. Leu o meu post? O que está errado lá? Qual é a sua avaliação para se perceber a sua análise, porque destes comentários percebo que o único problema que tem é com a história.

          • Paulo Marques says:

            A diferença abissal entre as arbitragens dos 3 grandes em Portugal e na Champions fala por si.

    • Paulo Marques says:

      E eu escrevi isto:
      “Claro, como se os erros não fossem sempre para o mesmo lado, por muito que os Mérdia tentem disfarçar. Basta ver o circo por o slb ter tido um penalty de oferta e o silencio em relação ao protegé Tiago Martins.”

      Mantém-se.

  11. Manuel Rocha says:

    Mas isto aqui é o jornal “O Jogo” ?

    • Fernando Antunes says:

      Concordo.
      Discutem bola como se isto fosse a caixa de comentários dos escarros jornalísticos que são os diários desportivos. E tantas citações do correio da manhã provam o degredo deste tipo de discussões de café. Quem traz assuntos de arbitragens de futebol para aqui, baixa significativamente o nível de inteligência do blogue, o que é pena.
      Escrever sobre expulsões em jogos de futebol (com os problemas que o país tem) tem o mesmo valor fútil e idiota que escrever sobre expulsões na casa dos segredos. E um clube com um historial de árbitros em prostíbulos a queixar-se de ser prejudicado contra o moreirense numa taça à qual diz não dar relevância, desculpem, mas não vejo a importância que isso tem.

  12. Manuel Rocha says:

    Aos srs responsaveis do Aventar.
    A continuar o baixar do nível, com “discussões importantíssimas”, sobre penalties e coisas do género, estão a afugentar as pessoas que querem ver discutidos assuntos reais, e não um dos tres “F” com que o Salazar conseguiu controlar Portugal durante muitos anos.


  13. Fernando Antunes e Manuel Rocha:

    O Aventar, onde escrevo quase desde a sua fundação, publica artigos sobre todos os temas. No meu caso escrevo sobre política, sociedade, música, viagens, crónicas e até sobre futebol. Não sei se se recordam mas o Aventar chegou mesmo a ter um espaço sobre futebol. E nesta casa escrevem sobre futebol (de vez em quando) tanto adeptos do Porto, como do Benfica, Académica e Sporting. Sem esquecer outros clubes que por vezes são tema (recordo por exemplo o Salgueiros). O Aventar é assim mesmo, plural, democrático e livre.

  14. Fernando Antunes says:

    Escrever sobre futebol enquanto indústria, escrever sobre questões como o Football Leaks, por exemplo, sim, é tema.

    Escrever sobre selectivos casos de arbitragem que prejudicam o clube A, B ou C, não tem nada a ver com a pluralidade ou democracia ou liberdade editorial. Recordo que esses são também os argumentos do correio da manhã ou dos tablóides britâncos para a liberdade de publicarem lixo informativo que não acrescenta massa cinzenta à sociedade.


    • Caro Fernando Antunes, o Aventar é um blogue colectivo onde cada um dos seus autores escreve sobre o que muito bem lhe apetece e ao leitor cabe a escolha de ler ou não ler, que isto é de borla e tudo. Somos vários a escrever, raramente, sobre bola como sobre outros temas. Aqui a escolha do que é escrito é dos autores do blogue e a decisão de ler ou não ler é do leitor.

      • Fernando Antunes says:

        Eu não lhe retirei essa liberdade. Apenas escrevi e reitero, com a mesma liberdade que o Moreira de Sá e igualmente de borla, que publicações que não trazem nenhuma informação útil e racional aos seus leitores, a não ser uma manifestação gratuita de clubite futebolística aguda do seu autor, rebaixam consideravelmente o nível de diferenciação do próprio blogue no universo dos blogues de discussão política ou cultural nacionais. Sem desprimor.

  15. nuno says:

    Fernando Moreira de Sá não é o mesmo que criou uma realidade virtual de apoio a Passos Coelho? Agora, quer fazer o mesmo com o FCP – agremiação vencedora do troféu Guiness World of Record para o único clube do mundo a sofrer mais de um penalti por jogo?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.