Os boys de cócoras

“Manda quem pode, obedece quem deve!” aqui está como um dos génios da PT (este aqui ao lado) sacudiu a água do capote para cima do outro boy…

São estas sumidades que atingem lugares principescamente pagos aos trinta e tal anos tendo como credenciais serem filhos e amigos de quem são. É claro que isto acontece em empresas que à partida têm todas as vantagens sobre as outras e podem dar-se ao luxo de desperdiçar milhões a granel.

O outro boy ( este aqui ao lado) saiu do Assembleia com uma queixa crime às costas não sem antes mostrar bem ao que vinha “Peço desculpa a Sócrates por ter utilizado o seu nome indevidamente” e mais não disse, remetendo-se ao silêncio na sua condição de arguido que no caso não cola, pois o processo não é o mesmo.

É esta gente sem coluna vertebral que está à frente das nossas grandes empresas públicas, mercê de compadrios humilhantes, sem estatuto e sem curriculum, atingem lugares e remunerações que são um vómito num país tão desigual e tão pobre como o nosso.

Entretanto, PS e ministros afadigam-se a defender a posição do boy atentando contra a nossa inteligência como podem ver nestas declarações , nada disto tem a ver com o PS nem com Sócrates. Hoje no Expresso, vem a cronologia dos acontecimentos que o primeiro ministro não conhecia e os gestores negam, com contrato assinado por Zanal e Pacheco, CEO e administrador financeiro da PT.

O país anda nas bocas do mundo, à beira da bancarrota, e nós descobrimos que o nosso destino está nas mãos destes “meninos” utilizados sem dignidade e pagos a preço de ouro.

Rui Pedro Soares – a PT devia ser poupada à vergonha

Não há mês que não venham à estampa escândalos ligados a Sócrates.                                  Mentiroso, é o menos que as pessoas lhe chamam nas ruas, nos cafés, em família, mesmo os que consideram ( e eu sou um deles) que não há razão para que se vá novamente para eleições. Nas eleições não se escolhe um primeiro ministro, escolhe-se o partido mais votado e é esse que tem o dever de indicar o primeiro ministro. Nada impede que o PS escolha outro nome para primeiro ministro.

O aparelho de Estado, as empresas públicas. os reguladores, a banca tudo está minado de assessores e adjuntos indicados pelo primeiro ministro, para poder controlar, abafar, fazer o trabalho sujo a troco de muito dinheiro. Este rapazito que está na PT como Administrador, é um exemplo de como Sócrates usa as empresas do Estado para colocar pessoas sem qualificação, sem curriculum e sem capacidade de recuo (profissionalmente, este individuo, não ganha em lado nenhum 1/10 do que ganha na PT). Estão, assim, obrigados a fazer o que seja necessário para manter as mordomias que auferem.

Quem não quer ver não vê, mas é para isto que servem as empresas estatais, para pagar favores, colocar os homens de mão (vejam a família Penedos, o pai é admnistrador na REN, um dos filhos assessor na PT e o outro filho é assessor de Sócrates) e é por isso que pagamos os serviços mais caros da Europa – telecomunicações, água, luz, combustíveis, bancários – são empresas “absorsoras” de mais-valias, a que se junta um Estado gastador e irresponsável.

Em Portugal, não vale a pena ser agricultor, industrial ou empresário de empresas de bens e serviços transaccionáveis, exportáveis ou substituidoras de importações. Meta o seu dinheiro na banca que mais e melhores dividendos oferece aos seus accionistas e vá até ao Dubai. Para quê ter dores de cabeça ?

As certidões a fechar o círculo

Diz o Sol que há conversas de Sócrates com Vara a pedir dinheiro para a campanha socialista das últimas eleições.

 

É para isto que servem as empresas públicas e os boys, que vão pagando as nomeações políticas com estas comissões de negócios "à sucata", desculpem, à socapa.

 

Sócrates vai dizendo que não sabe de nada, e quando sabe, é campanha negra. Esta teia fecha-se ferozmente quando é apanhada,  há cumplicidades perigosas e o poder dá poder, passe a evidência,  veja-se a embrulhada em que estão metidos o PGR e o Presidente do Tribunal Superior de Justiça, a ver qual dos dois dá o passo para o pântano em que se transformou a Justiça.

 

Levanta-se uma certidão e lá está Sócrates, em todas, e se não é ele são os amigos, ou os familiares e ele de nada sabe, escolhe as palavras "oficialmente", mente à Assembleia da República e os outros é que estão a "politizar" um assunto que é da Justiça.

 

Deixem a Justiça funcionar, a tal que o PS e o PSD ataram de pés e mãos, para não a deixarem ir a lado nenhum, só faltava a sociedade civil não ter opinião, já tivemos isso durante 40 anos sabemos "ler a partitura".

 

É possível este homem continuar como Primeiro Ministro? Felizmente as  escutas vão todas ser escarrapachadas nos jornais.

 

E não tenham pena, o PS fez isto a muita gente !