Efectivamente, da selecção

Exactamente, RTP. Da selecção.

Como sabemos, ‘selecção’ ≠ ‘seleção’.

E o Acordo Ortográfico (de 1990, no caso em apreço) serve para quê?

Serve para inglês ver.

Efectivamente. Viva a selecção.

***

E agora?

selecç

© PHILIPPE DESMAZES/AFP/Getty Images (http://bit.ly/29yPbxI)

If one knows the streets well, one can, by taking a zigzag path, avoid the large, busy thoroughfares that snake through the maze of smaller streets and, by following those smaller arteries, travel more or less as the crow flies.

David Byrne, Bicycle Diaries (“London”)

***

Pedro Queiroz da Costa, jornalista do Público, reflecte e pergunta:

Portugal foi campeão europeu. Já ninguém tira isso à selecção nacional. Mas e agora?

Agora? Agora, continua tudo como dantes. Basta ver aquilo que acontece no sítio do costume.

dre1172016

Efectivamente, nada mudou.

Crónicas Desportivas (5) – As ilações que Santos deve tomar

Dois jogos distintos contra duas selecções distintas, com poderios ofensivos e defensivos bem distintos e modelos de jogo quase antagónicos. Historicamente, Portugal dá-se melhor contra equipas da sua qualidade, cujo modelo de jogo seja um futebol mais aberto e mais técnico, tendo muitas dificuldades contra equipas de menor potencial como é o caso da Bulgária, selecção que faz da retranca, à falta de poderio técnico ofensivo, a sua grande arma contra as equipas de maior nomeada. Fernando Santos decerto irá tirar lições destas duas partidas realizadas na recta final da preparação para o Europeu, não esquecendo a derrota contra os Búlgaros: em França, contra Austríacos e magiares, teremos um pouco mais de Búlgaria e um pouco menos de Islândia, selecção cujo elenco é mais próximo do futebol belga.

[Read more…]

Alô Paulo Bento

Éderzito António Macedo Lopes, 4 golos marcados na Liga. Jogador português. Como em janeiro ou para a próxima temporada já não deve estar na Académica, se nessa altura ainda fores seleccionador nacional, não te esqueças de o convocar. Agora claro que não faz falta, não precisamos de um ponta-de-lança para nada, o Postiga serve perfeitamente para andar aos papéis na grande área adversária.