O que andamos a fazer em Lisboa?


A Fundação oriente esforça-se, mas isso não basta. Existem comunidades luso-descendentes espalhadas por toda a Ásia, do Ceilão a Goa, Damão, Diu, Cochim, Malaca, Bangkok. Numa área do mundo onde surgem oportunidades de desenvolvimento económico e cultural, possuímos um precioso legado histórico que se encontra ao abandono. Temos o principal: a gente que lá ficou e teima em educar os seus filhos na tradição portuguesa. Do que estamos à espera?

Comments

  1. Carlos Loures says:

    É um problema que vai de Olivença a Malaca. Abandonamos pessoas que gostam de nós. Será um pouco por falta de meios; mas creio que, principalmente, a nossa diplomacia não quer ferir susceptibilidades. Alguma pobreza e muita cobardia.

  2. Nuno Castelo-Branco says:

    Muita ignorância, sobretudo. E desdém. Essa gente não surge no MTV, nem nas “cimeiras” e sobretudo, não pertence ao selecto grupo dos “beautiful people” das revistas de grande tiragem. É deveras emocionante sabermos que estando Goa separada de Portugal há quase 50 anos, ainda existir tanta gente que se dá ao trabalho de ensinar o português às suas crianças. Carlos, o Youtube está CHEIO de videos destes.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.