Um filme sem Sol

Este AntiCrist é um filme que coloca o realizador perante os seus fantasmas. Só podia ser realizado por alguem que vive na penumbra, em regiões onde a luz é sempre escassa, vidas vividas para dentro de si mesmas, não há ponta de esperança e muito menos de alegria.

É uma dor que se compraz a si mesma, sem justificação, sem utilidade, sem refúgio. De degrau em degrau, a culpa leva-o ao inferno, à insanidade.

Afinal pode-se viver sem sermos responsáveis pelos nossos actos ? A memória é o drama do ser humano , mas é tambem o que lhe permite ser mais digno e melhor. . O limite é não sermos capazes de viver com o nosso passado!

Este filme mostra essa verdade, a que não podemos fugir, de uma forma muito dolorosa…

Comments

  1. maria monteiro says:

    do anuncio foi filme que não me cativou, agora com este teu post vou deixá-lo para o fim da lista


  2. Do mesmo realizador guardo na memória um dos meus filmes de culto, “Ondas de Paixão”. Um filme que nunca esqueci pela fantástica história que nos conta.
    Por acaso estou curiosa para ver este. O que aqui está escrito ainda me abriu mais o apetite.

  3. Fernando Moreira de Sá says:

    Ó Luís, por tua causa agendei um post para a 01h30 sobre cinema. És o culpado, eheheheh.

  4. Luis Moreira says:

    Grandes filmes,Fernando!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.