O Sol em formato pdf

O Sol quando nasce que seja para todos.

As primeiras 7 páginas da tal edição. http://d1.scribdassets.com/ScribdViewer.swf

Crónicas de um governo sem receio que já  levam um granadeiro a sentir-se encornado.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Tenho que reconhecer que este merece o título de “Serviço Público!”

  2. Xequemate says:

    Obrigado pela publicação. No entanto, comprei pela 1ª vez o SOL não por curiosidade mas para ajudar o jornal a sobreviver e como apoio ao jornalismo de investigação. Esta gente não presta mesmo!

  3. Francisco Vieira says:

    Independentemente de conseguir ou não adquirir a edição imprensa do Sol, agradeço este duplo “serviço público” que é divulgar o que se pretende esconder (censurar?).
    Questiono-me se a avidez para conhecer o trabalho jornalístico corresponde a verdadeiro interesse em acabar com a manipulação da informação e da comunicação social ao nível do Governo e do partido do governo no poder.
    O tal “partido da liberdade” e os seus dirigentes estão a prestar um mau serviço ao país e aos seus cidadãos que merecem mais respeito.
    Não basta comissários da propaganda oficial desmentirem para anular a realidade. Aliás, quanto mais se esforçam mais se desconfia.E, a verdade, como o azeite, está a mostrar o que muito boa gente já desconfiava há muito.
    Se no tempo do poder (maioria) absoluto houve tentativas de condicionar a imprensa quanto mais jornalistas e jornais incómodos!
    Portugal não é a Itália, mas está cada vez mais parecido com certas atitudes e comportamentos sociais e políticos.
    Que o jornal SOL não desista!

    • Luís Moreira says:

      Obrigado, Francisco! Já chega de sermos tratados como atrasados mentais que pagam impostos!

  4. Luis Moreira says:

    Eles começam a saltar do barco…

  5. Pedro Rocha says:

    Uma vergonha este jornal. Ao contrário do que se diz, não existe qualquer jornalismo de investigação (custa dinheiro), apenas tem servido de veículo para colocar textos que ninguém sabe se são verdade, entregues em mão por pessoas que sabem o que estão a fazer. Os jornalistas ou psedo-jornalistas, para mim não passam de instrumentos baratos que são utilizados por quem efectivamente tem poder, julgam-se acima de tudo, reclamando serviço público. Ninguém tem o dom de reclamar para si Serviço Público, muito menos quando não se é remunerado por tal. E se tudo fôr falso, quanto Serviço Público vamos nós pagar por uns “jornalistas” terem criado este foclore. Existem instituições num estado democrático que têm competência e regras bem definidas para avaliar se os cidadãos que se encontram debaixo da sua jurisdição estão ou não em cumprimento da conduta que se lhe é exigida. Quando os cidadãos em vez de lutar civicamente e exigir a essas instituições o cumprimento das suas obrigações apoioam “jornalistas” que mal sabem escrever e muito menos analisar estão a demitir-se de valores e principios fundamentais para a organização de uma sociedade justa e igualitária, deixando que interesses dos quais muitas vezes desconhecemos a origem mas que apenas zelam por poucos, normalmente os mais poderosos. É uma pena que a emoção se sobreponha à razão e que um jornal como este, que publica o que publica, ainda tenha leitores. Não presta e está a prestar um péssimo serviço ao nosso fragilizado país.

  6. Luis Moreira says:

    Então as escutas não existem? É uma hipótese…

  7. António Soares says:

    Este Rocha é…penedo…

Trackbacks


  1. […] recentes Maria** em José Sócrates nega plano do Governo para controlar os mediaLuis Moreira em O Sol em formato pdfLuís Moreira em O resumo do Paços – SportingLuís Moreira em Sermão de Santo António aos […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.