Aquilo que me chateia nos homens

Pedido o post do pré 8 de Março, que não sei mas deve ser um dia da mulher qualquer (como se algum dia existisse um especial para nós) – a propósito, ainda não fizeram uma greve por não haver um dia do homem? Adiante… deveria esperar-se que nesse dia esses homens que blogam no Aventar fizessem uma coisita especial para a mulher, tal como enviar um bruto ramo de flores para cada uma das amigas, mas claro, isso via net não tinha interesse nenhum: desapertem os cordões à bolsa e mandem por aqueles correios expressos que nos surpreendem em casa logo de madrugada, para ficarmos bem-dispostas, a pensar: quem foi o sacana que me fez levantar tão cedo.

Ora bem, supondo que na verdade esse dia é o dia da mulher, apetece-me falar daquilo que me chateia nos homens. Aproveitadores de todas as situações como lhes compete, depois que a mulher resolveu reclamar pelos mesmos direitos, passaram a achar que o cavalheirismo não fazia parte das obrigações deles. E vai daí, perdemos o direito de passar à frente quando entramos numa porta, de andar pelo lado interior dos passeios, de nos pagarem o café que bebemos na mesma mesa, e por aí fora que a esta hora da manhã não me lembro de mais nada.

Outra situação completamente catastrófica, é estar num supermercado a tentar colocar um saco de 20 kg num carrinho, que ainda por cima tem rodas e não pára quieto, e passarem por mim uma data de homens cheios de músculo e fazerem de conta que não vêm a minha dificuldade (já pensei que quando tivesse de fazer esse tipo de compras teria de colocar uma cabeleira loira e usar uma bruta minissaia; um dia experimento a ver se já tenho ajuda masculina). Melhor de tudo, é que é sempre outra mulher que se oferece para ajudar.

Bem, está feito o post que me deu na real gana… e agora, seja o dia 8 da mulher ou não, vamos ver se não levo com uma carrada de respostas ultra masculinas (não gosto do termo machista)…  porque afinal, tenham dó, sou apenas uma mulher.

MJoão Rijo

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Tem toda a razão, mas às vezes tenho medo que a mulher veja num acto de cortezia outra coisa qualquer..

  2. Youri Paiva says:

    O Dia Internacional da Mulher tem origem na luta das mulheres (e dos homens) pelos seus direitos laborais e o direito ao voto… As flores hoje pouco interessam.


  3. Hummm… no supermercado com um saco de 20 Kg? Aposto que é de ração para cão. Bem vinda ao clube!

  4. mjoao Rijo says:

    Não… o cavalheirismo não se confunde com outra coisa, e já agora lembrei-me dos transportes públicos, onde passou de moda dar lugar às pessoas idosas, grávidas, mães com filhos ao colo. Levanto-me eu que ainda não estou velha de todo:)

    • Luís Moreira says:

      Eu tambem me levanto, e deixo passar as senhoras e as meninas, e abro-lhes as portas…embora algumas fiquem muito surpreendidas.E há senhoras (poucas, mas há…) a quem beijo a mão !

  5. mjoao Rijo says:

    Pois Tereza… são mesmo duas cadelas que comem pra diabo. Já alguma vez um homem a ajudou a pegar nesses sacos de ração?

  6. mjoao Rijo says:

    Youri Paiva,
    O propósito inicial do dia internacional da mulher perdeu-se totalmente, e é lamentável que hoje em dia continue a existir a mesma descriminação entre homens e mulheres, quanto a salários , a postos de chefia, etc, etc.
    Hoje em dia esse dia é usado para fins meramente comerciais, o que para mim se torna ridículo. Que ganhem as floristas mais algum, já que são maioritáriamente mulheres.

  7. mjoao Rijo says:

    Caro Luís,
    Sendo assim, dou-lhe os meus parabéns.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.