Aproveitemos a dona Merkel


Em tom de brincadeira e após esta tirada da Sra. A. Merkel, eis uma excelente oportunidade para o governo “adiar” sine die toda e qualquer linha TGV, assim como as auto-estradas para nenhures, o aeroporto de Lisboa e a 3ª travessia do Tejo.

A própria TAP poderia iniciar o cumprimento do seu primeiro plano de reabilitação e expansão – quando previa uma frota mista de Airbus e Boeing – começando a obedecer à lei do mercado e renegando o escandaloso proteccionismo à Airbus Industries.

O governo deve aproveitar e taxar de forma esmagadora, lapidar, os automóveis de grande cilindrada e importados: no topo da lista, os BMW, Audi e Mercedes. Pelo contrário, os automóveis produzidos ou montados em Portugal, deverão sofrer um abate na taxação (VW incluídos, mas apenas os integralmente construídos no nosso país). É claro que os ersatz Seat e Skoda deverão incluir-se na lista a onerar.

Não temamos, pois não podem dar-se ao luxo político da nossa expulsão.

Conhecemos bem o tipo de sistema que vigora em Portugal, assim como as suas perversões. No entanto, também é conhecida a lista de países que têm lucrado com as vendas de bens de consumo e com os créditos enviados em direcção aos países do sul da Europa. Os supermercados portugueses são inundados por produtos Made in Germany, Spain ou France. Os circuitos de distribuição – controlados pelos estrangeiros – não compram as nossas frutas e hortícolas, enquanto há quem queira arrasar com a nossa indústria de mobiliário, promovendo o rasquíssimo lixo IKEA.
Todas as obras públicas de grande custo, recorrem à importação de equipamentos e materiais originários dos mencionados países. A existirem cortes, Portugal pode desde já começar por rejeitar – taxando-as proibitivamente – as mercadorias luxuosas e supérfluas que já não pode pagar. Prejudicando a Alemanha e a França e evitando o endividamento português. Merkel e os seus ministros ficarão assim sem mais argumentos para declarações à imprensa.
Medina Carreira está cheio de razão.

Comments

  1. maria monteiro says:

    grande mulher… é assim mesmo…

  2. Nuno Castelo-Branco says:

    Pois, mas todo o post não passa de uma brincadeira. A realidade é que Portugal está bem amarrado aos compromissos UE e não pode adoptar qualquer tipo de medidas proteccionistas. Nem sequer agravar a taxação sobre certos artigos, como os Audi, Mercedes e BMW, por sinal muito apetecidos pelos senhores do poder.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.