O Metropolitano de Lisboa e do mau serviço público

Sábado, desloquei-me ao C.C. Atrium, na Praça do Saldanha, para comprar um livro na ‘Almedina’. Escolhi o metropolitano como meio de transporte.

Uma vez feita a compra, em vez de utilizar a estação do Saldanha, preferi caminhar uns bons metros até ao Campo Pequeno, onde existe igualmente uma estação que me servia. Encontrei, então, quatro italianos, um casal e os dois filhos, aflitos para adquirir bilhetes de regresso ao centro de Lisboa, em sentido inverso ao meu. Sem qualquer funcionário do Metropolitano de Lisboa (ML), e com máquinas de venda automática que apenas comunicam em português, preferiram sair e apanhar um táxi até ao Rossio.

Passados poucos instantes, sem dar tempo de entrar para o cais, surgem-me duas senhoras alemãs que, diante das máquinas, se depararam com idêntico problema. Como eram mais pacientes, lá consegui extrair os ‘cartões Viva’ e respectivos talões de viagem. Através do mapa de rede, expliquei-lhes que, no Marquês de Pombal, deviam transferir-se para a ‘linha azul’ e seguir até à Baixa-Chiado. Complicado, mas consegui.

Na Páscoa, circulam por Lisboa muitos turistas de diferentes nacionalidades que, naturalmente, vêm visitar locais e edifícios indicados nos guias de que estão municiados. A praça de touros do ‘Campo Pequeno’ é um dos ícones recomendados. Ali afluem visitantes de diversas origens.

Seria, pois, natural que a estação do ML do Campo Pequeno, além de máquinas que só vendem bilhetes em português, oferecesse os préstimos de um profissional para suporte, nomeadamente, dos ‘clientes estrangeiros’; turistas que, logicamente, representam fluxos positivos na nossa Balança de Pagamentos. Mas não. A cabina do ‘chefe de estação’, ou de quem quer que seja, estava vazia e exibia a placa ‘ENCERRADO’.

Ignoro a justificação da gestão do ML para decidir o encerramento; todavia, tenho a convicção de que, independentemente dos motivos, se trata de renúncia de prestação de um serviço público devido, falha agravada por lesar a imagem da cidade perante turistas, Melhor seria, então, encerrar completamente de todo parte das estações. Turistas e nacionais escolheriam outro meio de transporte – no Sábado, véspera do Domingo de Páscoa, a rede de metropolitano lisboeta funciona parcialmente, eis a genial solução.    

A gestão moderna, orientada apenas pelas contas de exploração, leva-me a pensar que a eliminação de postos de trabalho é o caminho eleito para resultados interesseiros dos gestores – prémios e bónus a subir. Pode ser até absurdo e lesivo do interesse público e nacional, mas a gravidade das consequências, no pensamento dos decisores, é secundária.  

Permito-me rogar aos senhores administradores do Metropolitano de Lisboa que prescindam das viaturas de alta cilindrada e de outros ‘fringe benefits’, para disponibilizar meios e colocar, onde seja necessário, os profissionais de cujo apoio os utentes carecem. Caso contrário, como dizem e bem os anglo-saxónicos, não está a ser prestada à população local e visitantes a totalidade dos serviços pagos.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    E as máquinas de entrada automática do metro? Autênticas armas que podem magoar quem seja mais novo ou mais vagaroso. E eles têm consciência disso, porque um funcionário já me veio advertir que deveria fazer passar o meu sobrinho, de 7 anos, por um canal mais largo, “para não levar com as cancelas” palavras do funcionário!

  2. maria monteiro says:

    Sim é verdade que há um espaço mais largo aberto que dá para carrinhos, bicicletas, crianças… mas quanto às máquinas automáticas sempre me lembro de fazer a selecção para português (tem outros idiomas). Normalmente os seguranças do metro que estão junto das entradas ajudam a trabalhar com a máquina automática (pelo menos já me aconteceu várias vezes) O Problema das máquinas é que não aceitam notas de 20euros e por vezes não temos onde trocar. Por exemplo no Alto dos Moinhos existe um gabinete com um funcionário mas que não vende bilhetes, só informa ou ajuda nas máquinas automáticas. Sou grande utilizadora do metro de Lisboa e não vejo que esteja assim tão mau em comparação com outros por onde tenho andado.

  3. Carlos Fonseca says:

    Maria, o problema residiu pura e simplesmente em não haver sequer um funcionário – segurança ou outro – que pudesse auxiliar as pessoas, sobretudo estrangeiras, que, com frequência, estavam a utilizar a estação. De resto, se houvesse alguém presente do Metro, nem o ‘post’ teria sentido. A estação estava abandonada aos passageiros.
    Luís, por acaso, uma das alemãs foi mais lenta e ficou meio-entalada na porta.

  4. Luis Moreira says:

    O Metro é bonito e transporta muita gente, ainda com comodidade, mas aquelas entradas são do pior.

  5. maria monteiro says:

    pior mesmo é quando as escadas rolantes não funcionam para quem queira sair junto à Brasileira… é um canseira do “centro da terra” para a superfície se não se quer esperar pelo elevador. Pois as portas não são lá muito simpáticas principalmente para quem leve sacos, bagagem, crianças, seja forte, … há sempre a outra alternativa de passagem que muito pouca gente usa mas está a funcionar.
    Quanto a não haver ninguém para informar é estranho, merece queixa porque deveriam estar pelo menos dois seguranças (na eventualidade dum “ir à casinha” está presente o outro). Nunca dei pelo Metro assim ao abandono e ainda hoje o utilizei.

  6. Carlos Fonseca says:

    Maria, já me sucedeu na saída da Brasileira. E como não posso subir escadas tão longas, tive que dar meia volta. Até acho que o nosso Metro é bastante bom por comparação aos de outras cidades, mas faltam recursos humanos nas estações e é aí a causa de uma prestação de serviços incompleta.
    Bons cafézinhos na Brasileira, tecidinhos na Paris-Lisboa e livrinhos na Bertrand ou Sá da Costa (nesta é conveniente não dizer mal da maçonaria). Cptos.

  7. João Pereira says:

    Venho em defesa da minha dama.
    O Metropolitano de Lisboa tem efectivamente algumas lacunas. muitas das quais a vista de todos, mas deixem-me discordar um pouco do que foi aqui dito!!
    Em primeiro lugar as maquinas automáticas de venda para além do idioma Português possuem os idiomas Inglês e Francês (queiramos ou não, são aos idiomas primordiais do nosso século XXI), isto não é único do nosso Metropolitano porque em qualquer pais da Europa as maquinas apenas possuem o menu na língua “mãe” e em inglês, porque em muitos países até o próprio francês é descurado. Assim sendo penso que não há falta de meios de informação para a aquisição de títulos de transporte por parte dos turistas nas maquinas automáticas de venda de títulos. Não é possível em termos de software inserir todos os idiomas como devem perceber! Os turistas que supostamente olharam para as nossas maquinas como um burro olha para um palácio, deviam ter olhado com olhos de ver e lido as SIMPLES instruções. além disso existe um botão em todas as maquinas por cima do monitor por onde se pode entrar em contacto com o elemento do Metropolitano que se encontra de serviço na estação.
    Segundo ponto em todas as entradas do Metropolitano encontram-se DIVERSOS diagramas de rede e digamos que não é preciso ser um génio para depreender que do campo pequeno para a linha azul há que fazer a mudança de linha no Marques de Pombal…
    Terceiro ponto os 20 euros, as maquinas automáticas do Metropolitano aceitam sim notas de 20 euros mas para pagamentos iguais ou superiores a 10 euros. Para um serviço que tem um custo de 0.80 cêntimos querer pagar com um valor 16 vezes superior é quase irreal, imagine o que seria se ao fazer uma compra de 12.5 euros paga-se com uma nota de 200… Tente numa qualquer bomba de gasolina por exemplo, num autocarro da Carris, num táxi, ou até mesmo num restaurante após fazer uma conta de 30 euros pagar com uma nota de 500!!!! Agora imagine que 45 % dos clientes do restaurante pagavam com 500 euros e quando efectua-se o pagamento já não houve-se troco disponível… (decerto que não iria gostar)
    Quarto ponto as escadas rolantes avariadas ou paradas (das duas uma porque no metropolitano ou alguém para as escadas apenas por vandalismo ou então estão avariadas). Quando alguém adquire um titulo de transporte o mesmo não garante o direito a andar em escadas rolantes ou elevadores, garante sim o transporte da estação A para a estação B, as escadas mecânicas são uma benesse, um conforto extra que o Metropolitano garante aos seus clientes, mas que também avariam como qualquer equipamento.
    Quinto ponto, os canais de acesso são totalmente seguros quando BEM utilizados e mais uma vez a falta de civismo faz com que hajam alguns acidentes. Por exemplo essa senhora que escreveu que foi advertida pelo funcionário ML para passar com uma criança em um canal mais largo não perdeu 2 segundos para ler que nos canais mais pequenos é PROIBIDA a entrada com crianças e que para isso existem canais próprios para o efeito!!!! Ora se queremos por um elefante dentro de um mini é capaz de dar mau resultado.
    E poderia continuar a refutar as diversas opiniões que aqui li…
    No entanto só tenho a dizer que os jovens deste pais aqueles que como eu estudaram, conheceram outras realidades estão fartos destes “velhos” do Restelo que só servem para deitar abaixo, que não sabem o verdadeiro sinonimo do verbo elogiar, não só no Metropolitano de Lisboa mas de tudo. Temos de longe um dos melhores Metropolitanos da Europa, dos mais limpos seguros e eficazes, e o único comentário que fazem é de mal dizer é de criticar. Não digo que não devam ter o direito a critica mas “porra” sejamos honestos!!

    um abraço

    • Julio Renato Corado Pires says:

      http://www.tcontas.pt/pt/actos/rel_auditoria/2001/20-2001v2.pdf

      Pessoas como o senhor, deviam ter vergonha na cara.
      Como é possivel uma empresa tecnicamente falida como é o caso do Metropolitano de Lisboa EP, pois assim o demonstra a auditoria do tribunal de contas de 2001.
      Apontando as causas para tal facto, e ainda vêm estes comunas oportunistas fazer greve e exigir ao país o que este não lhes pode dar.
      Eu se governasse, no final do mês não vos pagava os ordenados, que fossem pedir o dinheiro ao Animal Alves da fectrans e outras bestas do mesmo calibre desse sabotador comuna, que se não estão bem que se pirem para a Sibéria que é o vosso devido lugar e deixem o povo de Portugal trabalhar, o país precisa de trabalho e não de greves.

      http://www.tcontas.pt/pt/actos/rel_auditoria/2001/20-2001v2.pdf

  8. maria monteiro says:

    e defendeu muito bem a sua dama, João Pereira que por acaso também é a minha dama. Quanto aos 20 euros eu sei que é para pagamentos superiores a 10euros mas eu que carrego sempre 5euros de cada vez, se só tenho 20euros vou à casinha do metro e fica o caso resolvido (soube, por experiência própria, que isso não acontece no Alto dos Moinhos que parece mais ter categoria de apeadeiro). Também os 20euros nas máquinas nos parques de estacionamento são só para despesas superiores a 10euros mas lá está o senhor para nos facilitar o troco. Enfim quem é utilizador e paga tem direito a alertar para situações de que não gosta ou acha incorrectas.

    Adorei ver no dia 11 de Maio umas senhoras que discretamente borrifavam com pulverizadores de perfume os lugares onde se sentavam na carruagem do metro… não sei se as câmaras de vigilância conseguiram captar este gesto mas para começar a minha peregrinação até ao Terreiro do Paço foi foi … um delírio de cena

  9. João Pereira says:

    Obrigado pelo elogio, eu também considero que para quem faz uma compra de 5 euros pagar com 20 é totalmente normal, mas como as maquinas apenas podem dar o troco em moedas, voltamos a questão do troco disponível, no entanto no Metropolitano ao contrario dos parques de estacionamento todas as maquinas automáticas de venda de bilhetes possuem o pagamento por Multibanco (o que para mim é maravilhoso porque evita o “cascalho”).
    Algumas das funcionalidades do metropolitano são descuradas dos meios de informação. Sabiam que os passes mensais de carregamento electrónico podem ser carregados num qualquer multibanco (evitando filas e horas de ponta), sabiam que a nível de segurança de circulação de comboios o metro de Lisboa tem um sistema 4 estrelas num ranking onde 5 estrelas é para o TGV e que por exemplo o metro de Paris se fica pelas 3. Que o nosso metropolitano é pioneiro na Europa na área dos títulos sem contacto e que futuramente será possível carregar o passe no telemóvel, imagine que apenas precisará de ter o telemóvel no bolso para poder entrar nos canais.

    um abraço

  10. Carlos Fonseca says:

    Caro João Pereira, devo sublinhar que não havia ninguém de serviço na estação. E isto fez com que eu e os turistas que apoiei não tivessem a assistência que lhes evitaria a alternativa do taxi (aos italianos) e da minha ajuda (às senhoras alemãs). De resto, sou utilizador assíduo do ML, mas não especialista em máquinas de vendas de bilhetes. Uso sempre, como é natural, o cartão ‘Viva’, comprado em português, e em relação a mim não tenho queixas.
    Eu que viajei pelos quatros cantos do mundo, muitas vezes me confrontei, quando sozinho, com situações complicadas. Por ser estrangeiro e não ter quem me auxiliasse. Situações que critiquei igualmente.
    Como sabe, Portugal é pioneiro em serviços de telecomunicação electrónica e dispõe da rede de serviço de ATM’s mais vançada do mundo. Isto e a ‘via verde’ são meritórios sucessos da SIBBS e menos do ML, ou de outras entidades utilizadoras.
    Além do referido episódio, não tive razões de queixa do ML e, naquele dia, falhou algo na prestação do serviço público: a Estação do Campo Pequeno estava abandonada à sorte dos utentes.
    Acho que as posições ficam esclarecidas e não valerá a pena perder mais tempo.

  11. Ricardo Santos Pinto says:

    Sou frequentador relativamente assíduo do Metro de Paris e a maior parte das Estações também não tem funcionários, apenas máquinas automáticas. Aliás, é frequente ver bandos de jovens a saltar as barreiras e a entrar no Metro sem pagar.

  12. Carlos Fonseca says:

    Ricardo, eu tb. vi isso em París várias vezes; mas vamos bater no mesmo ponto: não há funcionários. É tb. por força da eliminação de postos de trabalho, deste e de outro género, ou seja o tal ‘downsizing’ que o desemprego pula e avança…

  13. João Pereira says:

    Naquele momento não havia nenhum funcionário visível, porque muitas vezes fica apenas um funcionário por estação e se o tal senhor tiver que ir ao WC,não fica ninguém visível, existindo para isso umas torres azuis que são denominados pontos de ajuda pelo Metropolitano, onde o cliente do ML pode estabelecer uma ligação com um funcionário. Até porque entrando na sua linha de raciocínio a constante eliminação de postos de trabalho apresenta este tipo de soluções.
    Mas dizer que é um mau serviço publico num determinado momento não haver alguém visível é no mínimo exagerado (no meu ponto de vista), assim como o RFID (Radio-Frequency IDentification) que embora e muito bem resulta dos esforços da SIBBS, não (e isto sempre do meu ponto de vista) devemos minimizar a capacidade de adaptação de outras empresas ao processo.
    Thomas Edison inventou o cinetógrafo e não lhe darei todos os louros do que do que resulta da sua utilização.
    Considero que a troca de ideias é um dos meios mais fáceis para atingir o conhecimento, por isso encontrei nesta troca de argumentos um conjunto de ideias diferentes das minhas, não considerando de todo este post uma perda de tempo antes uma produtiva argumentação. E digo-lhes que escrevi porque no meu entender o que li me pareceu exagerado e injusto, nada mais que isso.
    Um abraço

  14. João Pereira says:

    E deixo de bom agrado aqui o desafio de um Post, onde o tema se centre no oposto, no que de bom tem a nossa rede de transportes públicos. Onde terei todo o gosto de mais uma vez comentar.

    Cumprimentos

    • Luís Moreira says:

      Caro João Pereira, mande um artigo sobre as aqulidades dos transportes públicos que o aventar publica.

  15. gabriel Ramos says:

    Caro João Pereira, já que é tão conhecedor do metropolitano de Lisboa, gostaria de fazer-lhe a seguinte Pergunta: O que é que o sr. pensa da mais que provável privatização do metropolitano de Lisboa? Acha que é normal e justo que uma empresa que paga tão altos salários aos seus funcionários, que tem tanta gente nos seus quadros que nem sabe bem o que lá está a fazer, seja sustentada por todos os Portugueses (incluindo os que não o usam , como é o meu caso) Para quê tanto engenheiro? E os inspectores o que é que lá andam a fazer?? Será normal haver tanto operador de linha, e o que é que eles fazem para além de andarem a (fisgar) as meninas das bilheteiras??? O que acha do ordenado de um/a agente comercial (bilheteiras) 1080 eur. subs. refeição, subs. transporte para familiares, etc, etc(por turnos de 7 horas) Quanto a higiene recomendo que veja o estado das estações BELAVISTA, BAIXA-CHIADO, INTENDENTE, MARTIM MONIZ,etc,etc. Falando na segurança, aconselho que faças as suas viagens nos ultimos comboios (1h/1h15) principalmente na linha azul, e depois diga-me se se sentiu seguro!!!

  16. gabriel Ramos says:

    Destaco porém que o salário que aqui refiro (dos funcionários das bilheteiras) é dos mais baixos da empresa, se é dos mais baixos….imaginemos como serão os mais altos:)

  17. João Pereira says:

    Caro Gabriel Ramos,
    em primeiro lugar a privatização do metropolitano é muito difícil, falamos de uma empresa com um passivo estremo e com custos de manutenção altíssimos. Não se esqueça que ao contrario da carris que nada tem de investir em infraestruturas o metropolitano é que tem que pagar a via onde circula , claro que tudo subsidiado belo estado mas não faria sentido se não o fosse visto que o preço que todos pagamos pelo serviço é imensamente inferior aquele que é o seu real custo. Aqueles que defendem um serviço de metropolitano privado vão torcer a orelha quando tiverem que suportar no preço do titulo todos os custos operacionais. Por outro lado meu caro o DIREITO ao transporte publico esta consagrado na constituição e até hoje dando-lhe o exemplo dos hospitais s.a. a coisa não correu assim tão bem. Sabe o intuito de uma empresa publica é servir a população enquanto o intuito do privado é o lucro. E diz a historia que onde só se pensa em lucro perde-se na segurança. Não pude deixar de ficar indiferente a sua frase “seja sustentada por todos os Portugueses (incluindo os que não o usam , como é o meu caso) ” se pensarmos assim, porque é que eu devo pagar a estrada que o Sr. usa no caminho de casa, onde provavelmente não passo? Ou porque é que eu devo ajudar com os meus impostos quando o senhor tem de recorrer a um hospital se eu tenho seguro de saúde e não recorro ao hospital publico? Ou porque é que os meus impostos devem pagar os estudos dos seus filhos quando eu não tenho filhos? O principio de um estado social é esse mesmo, todos ajudamos para o desenvolvimento sócio-económico, e uma boa rede de transportes públicos ajuda no desenvolvimento do Pais. Basta olharmos para os países mais desenvolvidos! Já que falou em salários, tenho de dizer que faltou a verdade, primeiro não há na empresa metro o cargo de agente comercial, há sim agente de tráfego e o salário são 1032€ para trabalho no subsolo, 365 dias por ano, por turnos, com turnos de 7 horas sim mas sabe que durante essas 7 horas muitos deles e delas nem conseguem sequer ir a casa de banho porque não há 5 minutos para uma pausa! Quanto aos operadores de linha categoria que não existe são os responsáveis pelas estações principais, tendo também a imensa responsabilidade de autorizar a marcha de um comboio em marcha de emergência (ultrapassar um sinal vermelho), eu não sei por si mas eu quando vou dentro de um comboio, dentro de um túnel quero que a pessoa que autoriza o comboio onde vou a ultrapassar um sinal vermelho seja um profissional de excelência e essa excelência paga-se como em qualquer profissão. (Só os trabalhos sem responsabilidade é que são mal remunerados). Sabe eu passo pela baixa-chiado e sempre que lá passo vejo uma senhora com um carrinho a limpar a porcaria que NÓS fazemos! E em relação a segurança na ultima Proteste o metropolitano foi eleito o transporte publico onde é mais notória a presença de policia. Palavras deles.. não minhas! Mas na minha opinião o pior de tudo são os prestadores de serviço do metropolitano, os seguranças que se acham funcionários que mandam papaias a tudo e todos e que não se remetem as suas funções que é vigiar, coisa que nem sempre são capazes! É comum ver um conjunto deles em cafés juntos as estações a beberem as suas cervejas ao invés de se tornarem visíveis! Esses sim são muito bem pagos! E a empresa metro gasta imenso dinheiro com esse péssimo serviço! Para bom entendedor….. um abraço meu caro!

  18. João Pereira says:

    Não digo que o metropolitano de lisboa seja perfeito, muito longe disso tem imensos problemas como é obvio. Mas o que me custa é que todos falamos do que não interessa… o que interessa que o rapaz ou rapariga que trabalha ganhe A ou B, quando o passivo é de milhões.. quem achar que chegamos a este passivo fruto do ordenado de quem lá trabalha com salarios como o que referiu, não entende nada do que fala! Querem falar dos problemas do metro? Então falem da transferencia de passivo do estado para a empresa.. dos emprestimos que a empresa tem de fazer devido ao atraso do estado.. etc… tanta coisa que não passa pelos 1000 € que alguém pode ou não ganhar.

  19. Gabriel Ramos says:

    Li com atenção a sua resposta, e confesso que ainda pensei se lhe deveria responder ou não! O ponto principal da minha opinião é que sou totalmente a favor do utilizador-pagador, quem utilize que pague. Devo informa-lo que tambem tenho seguro de saúde e seguro de vida, portanto não será necessário o sr. com o dinheiro dos seus impostos pagar as minhas idas ao hospital ( sou jovem e raramente estou doente, quando necessito dirijo-me ao hospital da CUF descobertas) também ainda não sou pai, portanto não é com os meus filhos que os portugueses e o Estado gasta o dinheiro de impostos na sua educação. Enquanto houver neste paísinho mentalidades de tudo para uns e pouco para os outros, nunca iremos a lado nenhum! O sr. defende a sua dama (visto ser funcionário da mesma) mas olhe um pouco em seu redor e seja sincero consigo próprio se acha honesto, aquando das greves que vocês fazem, prejudicarem milhares de utentes que vos pagam o salário, olhando só para os vossos próprios interesses. O país não está em crise? Então que paguemos todos e não só alguns!!!! Eu sou funcionário de uma empresa multinacional, tenho que apresentar resultados, se não venho para a rua, a minha profissão é delegado comercial( por isso considero-me bem pago, a minha mádia mensal é de 3500 eur. mês…mas produzo para isso). Alguns de vocês são arrogantes, mal formados e não têm como missão o bem cumum nem o serviço público ( já cheguei a assistir a situações vergonhosas nas estações, com oreadores comerciais (nova designação para os agentes de trafego) desde o utente fazer perguntas ao funcionário e o mesmo estar a assistir a filmes dvd na respectiva bilheteira (linha vermelha) e nem sequer passar cavaco ao referido utente. Quanto há segurança que o senhor fala, isso é mais um péssimo exemplo dado por quem contrata essas empresas (não se percebe bem o tipo de segurança nem que serviço os individuos em questão prestão ) pois olhamos para os referidos srs. e alguns eu não queria nem para fazer a segurança do meu quintal, quanto mais de um meio de transporte em que dia a dia se movimenta tanta gente. São outros parasitas, que não fazem lá falta nenhuma, coloquem a PSP (CI) Deixemo-nos das tretas dos vossos sindicatos …e trabalhem que é para isso que vocês são pagos, andem com a fardinha arranjada e deixem-se de tretas de haver gente de tatuagem visivel, rabo de cavalo (homens) e brinquinho na orelha. Fazem o que fazem, porque têm a empresa que o povo vos deixa ter. Numa empresa privada não faziam nem metade do que andam a fazer….Aconselho que as pessoas pesquisem na internet, o acordo de empresa destes srs. e fico com muita pena de estarem 7 horas debaixo do chão e ganharem tão mal (coitadinhos) os mineiros produzem mais e ganham menos.
    Sempre ao seu dispor

  20. João Pereira says:

    Para alguem que não utiliza”seja sustentada por todos os Portugueses (incluindo os que não o usam , como é o meu caso)”, sabe categorias, sabe salarios” que acha do ordenado de um/a agente comercial (bilheteiras) 1080 eur. subs. refeição, subs. transporte para familiares, etc” consultem a tabela salarial http://www.strup.pt/conteudo/Contrato_Trabalho/empresa_sectores/metropolitano_lisboa/salario_metro.pdf , pode-se ver que quem entra apenas recebe pouco mais de 650 € uma verdadeira fortuna! sabe que há funcionarios de rabo de cavalo , que usam brinco, já assistiu a inumeras situações.. “andem com a fardinha arranjada e deixem-se de tretas de haver gente de tatuagem visivel, rabo de cavalo (homens) e brinquinho na orelha” sabe tudo mas não utiliza. Sabe que são arrogantes e mal formados, mas não utiliza.. “( já cheguei a assistir a situações vergonhosas nas estações, com oreadores comerciais (nova designação para os agentes de trafego)” diz até que os prestadores do metro são “São outros parasitas, que não fazem lá falta nenhum”.
    Pode ser o menos mau transporte publico de lisboa e tem MUITO que melhorar para servir com excelencia todos os seus clientes, para mim apenas se fala da ponta do iceberg e isso não mudará nada!

    Com os meus cordiais cumprimentos,
    João Pereira
    Ps: a “minha dama” é e será qualquer um, qualquer empresa, qualquer cidade, qualquer coisa.. que seja atacada sem direito a resposta!

  21. Gabriel Ramos says:

    Pois é sr. Pereira, eu sei muita coisa…e sei também que a informação que o sr. colocou não é a correcta (em relação a tabela salarial do metropolitano de Lisboa) a informação está desactualizada, mas enfim…cada um acredita no que quiser!!!
    Posso informa-lo também, que não utilizo presentemente o metro como meio de transporte, mas já o ulilizei (principalmente nas minhas deslocações para o ISEL, pois foi lá que estudei)
    Posso também informa-lo que sei o que sei, porque tenho um familiar, que tal como o sr. é funcionário da mesma empresa (comuna e sindicalista convicto, que defende os interesses dele e de gente como ele).
    Eu para poder defender a minha opinião, informei-me (não gosto de falar do que não sei)
    E já agora é de crer, pelos seus anteriores comentários que tal como o meu tio, também seja contra a privatização dos outros SUGADORES de dinheiros públicos:
    Sector Energetico-GALP ENERGIA, EDP, e REN.
    Transporte Aereo- TAP e ANA.
    Financeiro -BPN e CAIXA SEGUROS.
    E já agora, e para ser mais breve: REFER, EMEF, RTP e CTT ?????

    A mim não me chateia nada, que um funcionário de uma empresa priváda tenha de vencimento mensal 20 000 eur. mês ou mais.
    Esse dinheiro não é pago com os impostos dos portugueses, mas sim com o dinheiro dessa mesma empresa, que tem que dar lucro!
    Se ele o ganha é porque o merece, se não daria concerteza lugar a outro.
    Na empresa onde o sr. trabalha há gente a mais, que não deveria de lá estar, o mesmo se passa na TAP que são as que melhor conheço.
    Sempre deu geito, arranjar lugar para o filho/a, a mulher, o tio , a prima, a sobrinha ( só para o cão e o gato é que ninguém se lembrou ainda..LoL)
    Não me chateia nada ver um jornalista ou apresentador da SIC ou TVI, receber o que recebe mensalmente.
    Mas não posso concordar com os vencimentos muito elevádos, pagos na RTP (eu, tal como o sr. e todos os outros pagamos o ordenado dessa gente) e a RTP como sabe é outra empresa que só acumula prejuízos.
    Nalgumas dessas empresas que referi há pouco, os prejuízos são acumulados de dia para dia, e quando se fala em baixa de salários, é o ai Jesus que ficamos mais pobrezinhos.
    Nunca fui sindicalizado, nem nunca serei!
    Jamais ficaria do lado daqueles que promovem a luta de trabalhadores contra trabalhadores (é o que vocês fazem com as greves, prejudicando milhares e milhares de cidadãos, para exclusivo beneficio próprio).
    Somos infelizmente um País de gente conformada e inactiva, e que aceita tudo o que lhe dão.
    Que não produz quase nada e não é incentiváda a produzir.
    Enquanto houver dinheiro para o telemóvel e para a gasolina para pôr no carro, o povinho irá continuar a fechar os olhos.
    O pior é quando começar a faltar o dinheiro para isso, aí sim é que isto dará um estoiro.
    Como deve saber, só existem duas maneiras de uma sociedade andar para a frente: Por evolução ou por revolução.
    Houve uma pequena evolução de mentalidades em Portugal, com as novas gerações (pós 25 de Abril) mas a REVOLUÇÃO é que ainda não foi feita.
    Quanto a mim, resta-me continuar a pagar para esta gente toda com os meus impostos (empresas publicas que só dão prejuizo, subs de inserção para gentalha como os ciganos e pretos, rendimentos mínimos, etc, etc, etc.)
    E com isto… VIVA O ESTADO SOCIAL, pena tenho eu com 26 anos de ainda não ter ganho coragem de mandar esta terrinha ás malvas e ser mais um a emigrar para o estrangeiro.
    Mas como trabalho numa multinacional, no futuro terei oportunidade de pensar nisso.

    Com os meus mais sinceros cumprimentos,

    Gabriel Ramos

    Ps: Nada me move contra si, mas defendo as minhas ideias até há morte se for preciso.
    É lamentavel, viver num país tão injusto assim.
    Os que produzem não são incentivádos, e os que pouco ou nada fazem é que são reconhecidos…é o que temos.

  22. Gabriel Ramos says:

    E já agora, preparem-se para o próximo PEC.
    Pois se esse também não funcionar vem aí o FMI e então, podem fazer as GREVES que quiserem ( a menos que chova dinheiro) que obviamente irão ser confrontados com diminuições de salários e de outras regalias que têm. Os Portugueses de 1ªpagam tudo e não têm direito a nada (vocês não fazem greves para lutar contra o ordenádo minimo nacional que é uma vergonha) Os outros por enquanto têm sido priveligiados…até ao dia.
    Façam como eu e tantos outros, se não ficarem satisfeitos com o que irão ganhar no futuro, procurem TRABALHO no privádo.

    Cumprimentos

    Gabriel Ramos

  23. Henrique Neto says:

    Por acaso encontrei este artigo no Google, e ao ler os primeiros comentários, acabei por ler todos, e não pude deixar de escrever para dizer, que concordo em quase tudo com o João Pereira, porque também eu, estou cansado de só ouvir falar mal quando também há para falar bem (às vezes há mais para falar bem do que há para falar mal, e mesmo assim o mal sobressai). Este assunto do Metro, é outra dessas ocasiões, onde se podiam dizer mil maravilhas do serviço do metropolitano mas ao invés, só se ouve deitar abaixo. Estaríamos bem se esta forma de estar e de pensar fosse apenas relativa ao metro, mas o problema é que os portugueses são assim em tudo. Há alguns dias, a RTP exibiu uma reportagem sobre como vivem os americanos em Portugal e o que eles pensam de nós. Havia um americano, maestro, que considerava, que o povo português em geral é demasiado modesto para as qualidades que tem. E acho que a palavra muitas vezes nem é modéstia, é mesmo estupidez: Gabriel Ramos, é verdade que há muitas melhorias a fazer nas empresas públicas, em matéria de recompensas de administradores e ordenados, mas pelas suas palavras vivemos num país de corruptos, ladrões e mentirosos, e apesar de haver alguns, isso não é verdade. E é precisamente de raciocínios como o seu que não há a evolução de que fala, pois se todos nós tivermos um raciocínio egoísta como o seu, aí não seria só o ouvir dizer mal, pois aí, o país pararia mesmo. O que Portugal precisa neste momento, é de gente com mente aberta, espírito empreendedor, que esteja disposto a sujar as mãos por um país melhor, e não da mentalidade “tenho o meu no final do mês e fico contente, o resto que se lixe”. Portugal precisa de cidadãos que realmente o sejam, que saibam criticar, quando é preciso, e talvez mais importante ainda, saibam dar valor ao que de bom se faz cá dentro, e este último faz muita falta, e não é por não se fazer nada de bom, porque até se faz muito, apenas não se sabe. A mentalidade portuguesa evolui muito é certo, mas houve muitos “restícios” que ficaram, infelizmente.

    • carlos fonseca says:

      Caro Sr. Henrique Neto,

      Devo dizer-lhe, antes do mais, que aquilo que critiquei foi um facto, ao que me dizem comum em estações menos frequentadas do ‘metro’ lisboeta, ao fim-de-semana. Neste caso, foi a do ‘Campo Pequeno’, onde, como relatei e por ausência de qualquer funcionário, tive que valer a dois diferentes grupos de turistas estrangeiros. Como outros portugueses presentes, inferi, e com a minha experiência profissional fi-lo naturalmente, que o sucedido seria produto dos ‘downsizing’s’ e de outras medidas do género – medidas, diga-se, que é vulgar encontrar como estratégias políticas de empresas públicas e privadas, esquecendo-se do dever de cumprir com os consumidores. Por contraste, esse tipo de austeridade não se aplica geralmente, como sabe, às superestruturas das sociedades empresariais.
      Ao contrário do que concluíu e escreve, e ainda por desconhecimento do percurso que marca a minha vida, não tem informação suficiente para me qualificar do que quer que seja. Ao uso dessa pretensão, chama-se subjectividade. Objectividade, essa sim, é cingir-se ao episódio real que mereceu a minha crítica: uma estação do Metropolitano de Lisboa sem qualquer funcionário. Um espanto para os italianos e alemãs a quem vali. Como para outros passageiros portugueses então presentes.
      Dou por encerrado o assunto.

    • Gabriel Ramos says:

      Bom dia, sr. Henrique Neto.
      Antes de mais, as minhas mais sinceras desculpas por só agora ter a oportunidade de responder ao seu comentário.
      Permita-me dizer-lhe que li com atenção aquilo que escreveu, e o que a mim me parece é que o sr. é daqueles portugueses que ainda vê o nosso País em tons rosa,(e esses sim, como votam naqueles que contribuiram para o actual estado do país,(PS, PSD e CDS) mais não fazem do que acenar com a cabeça e dizer que sim, pois se estamos mal, poderíamos estar bem pior) não acredita viver em Portugal no meio de corruptos, ladrões e mentirosos.
      Ora vejamos: Corrupção-Caso Freeport, Parcerias público-privádas, documentos da compra de submarinos que desaparecem e ninguém foi… (porque será???) Negociatas da Lusoponte, Banca Nacional, Financiamento de partidos, Obras públicas sem fim, com custos muito superiores no seu final, etc, etc, etc ( podia estar aqui a manhã toda, mas basta o sr. ler jornais, ou ver os noticiários da tv para saber isso)
      Isso é o quê???
      LADRÕES- Já diz o velho ditádo ROUBAS UM PÃO ÉS UM LADRÃO, ROUBAS UM MILHÃO ÉS UM BARÃO.
      A frota automóvel da assembleia da república, foi toda renovada este ano ( em tempo de crise) só para o presidente Jaime Gama, vieram DOIS carritos BMW, deve de ser por o sr. ter um rabiosque mt grande, um só não lhe chega.
      O sr. sabe que um bom advogado, um bom engenheiro, arquitecto, ou outro profissional que tenha orgulho na sua actividade, não vai para deputado pois cá fora ganha muito mais do que o ordenado que um deputadozeco desses do circo de S.Bento aufere. (Pois alguns deles só servem para bater palmas e rirem-se uns dos outros)
      Eles estão lá é para abrirem as portas (quando de lá saírem, para que empresas como a LUSOPONTE (Ferreira do Amaral-PSD) e MOTA-ENGIL (Jorge Coelho-PS)
      possam sacar (roubar) o dinheiro de todos nós Portugueses.
      Quando paga a sua factura da EDP, com o acréscimo de 42%????? a mais do que deveria pagar, não acha que está a ser roubado????
      Compra um automóvel, paga o IVA e o IA e a roubalheira contínua. Paga dois impostos pelo mesmo produto (mas está tudo bem…vivo num país côr-de-rosa, e continuo sem ser roubado) etc, etc, etc…e podia continuar tb aqui a manhã toda (mas de certo que lê jornais, vê televisão e ouve rádio).
      E sobre os mentirosos: Desde Abril de 1974, que andamos a ser aldrabados por esta gente.
      Em campanha tudo prometem, depois esquecem-se do que prometeram e vão é tratar da vidinha deles ( é tratar da vida porque a morte está certa…como dizia o outro…LoL)
      Ele é beijinhos nas varinas, é visitar lar de idosos, fábricas há beira da falência,etc,etc,etc…tudo serve para enganar os ótarios.
      Mas tb, o que podemos esperar de traidores que pisaram a bandeira (Màrio Soares) bufos da rádio Argel (Manel-o TRISTE) de Panascas ( Paulo Portas) o antigo e espero k desaparecido João de Deus Pinheiro (Ex ministro PSD) que fugiu do país para não ir para o ultramar, enquanto que os outros foram para lá, para lutar isso sim pelo seu PORTUGAL.
      Mas os outros é que estão bem pk são os democratas????? e os patriotas!!! ???

      A conversa do sr. é tipica do funcionário público, será que acertei?
      Quanto menos se fizer e se falar melhor!!!
      Não nos toquem é nos nossos direitos adquiridos…de resto está tudo bem.
      Quando existem auditorias a empresas públicas, desde há muito a alertar para esse problema. Ex: auditoria do tribunal de contas ao metropolitano de Lisboa ( é só ler na internet)

      Sou contra o estado social, quando vejo novas vagas de gente a emigrar ( mas desta vez gente formada: enfermeiros, médicos, engenheiros, investigadores,etc) gente capaz, mas farta deste país.
      Nem os do leste cá querem ficar… e fica cá a escória dos brasileiros, pretos e ciganos, que é para esses que pagam os que se esforçam e contribuem para este país.

      Se depois de tudo isto ainda vive um sonho côr-de-Rosa, contribua para o estado social, dando-lhes o seu dinheiro e viva FELIZ!!!

      P.S-Atenção aos blindados que não vieram para a cimeira da NATO, na altura não foram precisos, mas serão no FUTURO com as futuras revoltas socias que ainda estão para vir.

      Sinceros e cordiais cumprimentos

      Gabriel Ramos

  24. José Santos says:

    Caro Gabriel, li com atenção os seus comentários, e infelizmente tenho que lhe dar alguma razão.
    Embora não concorde com tudo o que diz, e verificando a data em que os mesmos foram comentádos, apenas me atrevo a dizer que o Gabriel parece ter adivinhado quando mencionou a possivel privatização da empresa metro de Lisboa EP.
    Como todos podemos verificar essa questão nos dias de hoje, infelizmente ( para os que nela trabalham e público em geral ) nada nos trará de bom:
    Embora não o conheça, penso que o Gabriel mostra ser uma pessoa inteligemte, apenas e desculpe a minha sinceridade, por vezes um pouco mais de óptimismo e positivismo, não lhe fariam nenhum mal.
    O nosso país tem 868 anos de história, grandiosa por sinal.
    Já soube enfrentar e vencer outras crises, saberá concerteza resolver pelo melhor mais esta.
    Considero lamentável, que empresas como o ML e muitas outras empresas tenham que ser privatizadas, isso revela incompetencia e muitos erros por parte de quem as geriu.
    Resta-me a esperança, com 72 anos, que se aprenda com os erros e que não se voltem a repetir.

    Desejo felicidades a todos, e um pouco mais de compreensão, optimismo e esperança.

    Cumptos

    José Santos

  25. susana says:

    Vergonhoso é eu ter de me deslocar diariamente com uma bebe num carrinho e ir trabalhar e ter que carregar com o carrinho em maos com a bebe la sentada ou entao depender da boa vontade dos outros para poder subir e descer escadas de acesso as gares pois o elevador da estaçao de metro do Cais de Sodre que da aceso a rua no piso superior tem um botao que so funciona quando apetece e o elevador que da acesso da gare ao ponto das bilheteiras dizem que funciona mas que mantem desligado porque tem infiltraçao isto sim é vergonhoso e mais ainda é as resposta que os funcionarios nos dao quando fazemos queixa.
    Reclamaçoes faço diariamente no livro mas que até a data nenhum efeito surtiram.E quando pedimos ajuda aos seguranças que se encontram no piso exterior (Grupo 8) a resposta que me dao é que nao pertencem ao metro e que terei de deslocar-me pelas escadas ” respostas hilariantes é o que oiço diariamente”……
    Acredito que quem nao passe por situaçoes semelhantes possa dizer que o metro tem condiçoes excelentes, da vontade de rir e quanto a higiene e segurança entao ai é o descalabro total….
    Mas o que lhes interessa é que nos pagamos todos os meses um passe de quase 50 euros e que o dinheirinho fica la para o lado deles isso é que é bom……E nós que nos desenrrasquemos….
    Pois se as estaçoes de metro menionam que teem determinado equipamento (escadas rolantes, elevadores,etc….) só teem de estar a funcionar e ja que pagam a tanta gente para andar a ver passar as horas que as coloquem a verificar se os equipamentos estao ou nao em condiçoes para serem utilizados pois e se nao funcionam que os reparem e que gastem ai o dinheiro e nao em renovaçoes de frotas automoveis ou promoçoes e etc etc etc…….

  26. gato says:

    o boi

  27. Luis says:

    Tenho 63 anos e sou “cliente” do Metro de Lisboa desde o 1º (primeiro) dia. Contudo, e não obstante considerar o “nosso” metro dos melhores que conheço em vários Países, é sem duvida dos que tem os funcionários mais ordinários e incompetentes. Ou é os canais que não funcionam bem, ou os cartões que se imcompatibilizam com o sistema (por apenas 7 euros compra-se outro cartão, esta a solução do Metro). Como se tudo não chegasse, ainda nos presenteiam com sucessivas greves, que nos obrigam a ir a “penantes” pro trabalho, quando já pagamos o direito ao transporte, sem que haja a preocupação dos alternativos. Não será isto um ROUBO? Agora vejamos a “qualidade” de condução da maioria dos “arrogantes” maquinistas. Desde nos fecharem as portas nas “trombas”, quando estamos a entrar nos veículos, até à emoção da condução aos solavancos, onde quem viaja de pé pode aproveitar para um util exercício fisico matinal. Já assisti à queda de pessoas. Uma vez avisei um sr. motorista que estava a transportar CARNE, mas que não era para abate. Enfim, são alguns crapulas (felizmente que tem funcionários educados e atenciosos) que denigrem a imagem do que poderia ser um ex-libris da cidade. Para terminar, informo esses “senhores” que aufiro 4 vezes menos que esses transportadores de carne!

  28. português envergonhado says:

    http://publication.prod.wcm.impresa.pt:8080/sicnot/programas/miguelsousatavares/article1357434.ece

    Sindicatos da treta, bandalhos de trabalhadores e um país há deriva.

    Olhem para o que está a acontecer na Grécia, e de tantas greves que fazem não alteram nada.
    Não é com greves que se levanta um país…nem com chulos.

  29. Dina Mendes says:

    Ola! Desculpem me intrometer mas parece-me que me podem ajudar!
    Estarei em Lisboa este verao com im bebe e gostaria de saber se se pode andar com um carrinho de bebe no metro e ja agora no autocarros em lisboa, e ha elevadores na estaçoes de metro?
    Muito agradecida por qualquer ” imput” que me possao dar!
    Ate ja!!

  30. Santos says:

    Bom dia Dina, pode andar com um carrinho de bébé no metro e nos autocarros da carris.
    No metro até já andam com cães, alguns deles de raças bem perigosas.
    Mas aviso desde já, que no metro é quase MISSÃO IMPOSSIVEL, e na carris só é viável nos horários com menos afluência.
    Eu já vi senhoras com carrinhos de bébé na carris, se é permitido ou não, não lhe sei dizer!
    Mas como nunca vi nenhuma ser impedida de entrar com o carrinho no autocarro, penso k não seja proibido.
    Para ter a certeza, pode telefonar para o gabinete de relações publicas ou visitar o site dessas empresas e procura lá informação.
    No metro a maioria das estações tem elevadores, mas na maioria delas, ou estão avariados ou não têm condições minimas de higiene e segurança, para uma senhora andar com uma criança pequena.
    Para já não falar k nos horários com mais movimento, os comboios circulam completamente cheios o que torna impossivel a entrada ou saída de um carrinho de bébé.
    Além disso existem escadas, e mesmo as escadas rolantes são perigosas.
    Se optar andar de metro com a criança, aconselho que quando subir ou descer uma escada, a sua criança não esteja dentro do carrinho.
    O que eu faria era:
    Contactar um funcionário ou segurança , para ajudar na deslocação do carrinho.
    Se o carrinho cair, como não está lá dentro a criança evita graves danos ( pois carrinhos de bébé existem muitos, mas os nossos filhos são únicos )
    E fique preparada desde já, que a maior parte dos funcionários e seguranças dizem-lhe que não assumem responsabilidades se algo acontecer ao carrinho do seu bébé.
    Espero ter ajudado…cps.

  31. Sofia says:

    existe umas bandeirazinhas no ecrã que servem para selecionar a língua!!!

  32. Sofia says:

    já agora… já andaste de metro ou noutros transportes públicos de outro país?? é que eu já e acredita é bem pior!! principalmente nos E.U.A.

  33. Dina Mendes says:

    Muito obrigada Santos!
    Agradeço a franca participaçāo!
    Cumprimentos

  34. Gabriel Ramos says:

    Mais uma boa oportunidade, para o metro de lisboa ser privatizado.
    Já faltou mais…;)

  35. Maria says:

    li muitos comentários, mas li sobretudo um que me fez bastante impressão: diz receber 3500 euros por mês, porque diz ele, “produz para isso” e escreve com tanto erro ortográfico que nem alguém com a 4ª classe. Eis alguns graves erros ortográficos lidos por aí: “prestão” cumum” “Quanto há segurança” e “até há morte se for preciso”. Não gosto de ver a minha língua tratada desta forma, desculpem

    • Gabriel Ramos says:

      Normalmente não respondo a comentários de gente triste, ressabiada e tendenciosa.
      Apenas gostaria de lhe fazer uma pergunta :
      A senhora que escreve tão bem, quantos prémios NOBEL já ganhou ??
      A senhora já leu alguma vez um livro de José Saramago ??
      Se leu, sabe que esse senhor não sabia escrever ( utilizava muito mal as pontuações ) no entanto ganhou um NOBEL da literatura.
      Eu até compreendo que exista muito boa gente, a ficar assustada com o que aí vem ( o fim de certos privilégios nas empresas de transportes ) mas temos pena….
      O que aconselho é que se dirija ao supermercado e compre uns saquinhos de boa disposição, pois da maneira como escreve revela ser uma pessoa frustrada e triste….ou então fale com o seu marido ( se for casada ) para lhe dar mais atenção, pois pelas sua escrita imaculada, demonstra que precisa de desabafar de carinho e atenção. ( coisas da vida)
      Ele que não trabalhe tanto, o dinheiro não é tudo…..
      Comentários como o seu são típicos de pessoas tipo sra. Drª no desemprego ( professora ?? ) ou alguém que está prestes a ficar sem os direitos que julgava adquiridos.
      Mas tenha calma que daqui a 30 anos, a coisa vai melhorar.
      Peço desculpa por não lhe poder dar mais atenção, mas tenho que trabalhar.
      Em relação aos erros que diz que dou, deve-se em parte a escrever depressa demais, e já diz o provérbio “ Depressa e bem, não há quem ´´.

      Lembre-se que os amadores e burros construíram uma arca ( a arca de Noé ) e como foi construída com competência, atingiu o seu objectivo.

      Profissionais, génios e inteligentes, construíram o TITANIC, que afundou na primeira viagem.

      Eu prefiro ser competente no meu trabalho, fazendo-o bem e com responsabilidade.
      Por isso mereço tudo o que tenho conquistado na vida.
      Prefiro dar erros e ser feliz, do que ter um mestrado e ser frustrado.

      Desejo-lhe uma semana calma e feliz, e não se enerve que não vale a pena.

      Se houver um pouco de humildade em si pense nestas últimas palavras que irei escrever.

      “Dizer a verdade, é arranjar inimigos ´´

  36. Pedro says:

    É mentira que as máquinas automáticas sé vendam em português.

    TODAS têm as opções de espanhol e inglês.

    E TODAS as estações têm botões de ajuda em que basta tocar no botão para falar com um funcionário ou segurança que eventualmente se deslocará ao local se tal for necessário.

    TODAS as máquinas também têm esses botões.

    Pelo amor de deus, peguem no que realmente está mal, mas não inventem.

Trackbacks


  1. […] This post was mentioned on Twitter by Blogue Aventar. Blogue Aventar said: O Metropolitano de Lisboa e do mau serviço público: Sábado, desloquei-me ao C.C. Atrium, na Praça do Saldanha, par… http://bit.ly/bNJEc6 […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.