Portugal – apesar do treinador…

Belo jogo, com um Eduardo cheio de confiança a dar garantias!

Os Ingleses para além de terem inventado o futebol , inventaram algumas tácticas que ainda hoje não insubstituíveis, ou quase.   Uma delas é o “target player”, o jogador que joga entre os defesas centrais e o guarda-redes, marcando-os, obrigando-os a andarem atrás dele. A primeira vantagem é que se fica logo a ganhar em número de jogadores na batalha do resto campo; a segunda é que os colegas, como o próprio nome indica, sabem por onde ele anda; a terceira é que abre espaços para os colegas entrarem. Pois bem, o Queiroz é useiro e vezeiro a não só prescindir destas vantagens como ainda por cima lhe soma uma idiotice. Apaga o Ronaldo, que precisa de espaço para as arrancadas e não sabe jogar fixo.

O Pepe, como ando aqui a dizer há um mês,  treinava com o Brasil e como se viu com uma falta de ritmo assinalável, como não podia deixar de ser. O Dany, corre, corre mas não constitui perigo nenhum; o Duda vai defendendo mas é um jogador muito abaixo dos seus colegas; o único que se safou bem, dos que entraram, foi o Ricardo Rocha.

Com esta exibição e com a volta à equipa do ponta de lança, do Simão e do Pedro Mendes, podemos chegar longe. Em principio não jogaremos, 3ª feira com a Espanha, será com o Chile, que está ao nosso alcance.

Vamos ver se o Queiroz deixa…

Comments

  1. Pedro says:

    Pois, vamos lá ver se o homem deixa…

  2. Pedro says:

    Se o Deco melhora desfaz o trio P. Mendes, Raúl M. e Tiago, continua a preferir Danny ao Simão, na lateral direita é uma incógnita e ainda desperdiça o Ronaldo. É muito.

    • Luís Moreira says:

      Ele com o trio, Pedro Mendes, Raul, Tiago na luta do meio campo e o Simão a fazer as transições, um ponta de lança a abrir espaços para o Ronaldo, e temos uma equipa dificil de bater porque defende muito bem.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.