A caminho da felicidade

escravos, china, 2010

Quando o honrado empresário português tiver todas as leis para despedir, sem indemnização, o colaborador com quem embirrou pela manhã, quando o subsídio de desemprego encolher de vez e se reduzir a meia-dúzia de meses, quando tivermos um milhão de desempregados, esta espécie de gente continuará a pedir mais flexibilidade nos despedimentos, porque sim, porque só assim se criarão novos postos de trabalho, e todos serão contratados a prazo pelo novo salário mínimo de 200 euros, e o desemprego baixará.

Então as multinacionais deslocalizarão umas fábricas para Portugal e algumas economias emergentes, esclavagistas e asiáticas, tremerão com a ameaça da nossa concorrência.

Já faltou mais.

Comments

  1. Albano Coelho says:

    Quando em meados dos anos 90 do século passado aventávamos, os da LIT-CI, que a Europa passaria por um processo de “latino-americanização” até os do seu partido nos chamavam de exagerados, catastrofistas e até tolos e outros mimos… Quem vos viu e quem vos vê.

  2. adao cruz says:

    sem tirar nem pôr


  3. O grave é que isto não é só uma realidade que será chão pisado – dentro de em Breve – Isto é o SONHO DE PORTUGUESES! NOSSOS CONTERRÂNEOS Y CONTEMPORÂNEOS QUE VOTAM NO PSD y NO CDSpp.

    O que mais assusta é a larga Y eufórica reunião em torno deste Ideal do teu Texto! Y a percentagem de apoiantes esmaga!

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.