Blogopédia: A Educação do meu Umbigo

A Educação do meu Umbigo faz hoje 5 anos, um bom dia para entrar na Blogopédia, com os parabéns ao Paulo Guinote.

A Educação do meu Umbigo é um blogue de Paulo Guinote iniciado a 30 de Novembro de 2005. Inicialmente o autor pretendia sobretudo publicar textos e reflexões académicas. Os conflitos sociais entre os professores do ensino básico e secundário e o Ministério da Educação durante o mandato de Maria de Lurdes Rodrigues fizeram deste blogue uma das principais referências dessa luta, o primeiro conflito social onde o papel da blogues e fóruns foi determinante. A Educação do meu Umbigo é um blogue que faz da sua caixa de comentários um autêntico forum, funcionando como uma rede social interactiva, e tornou-se na grande referência dos profissionais ligados à educação, sendo frequente a sua utilização pelos mass media. Paulo Guinote passou a ser ouvido nos grandes debates do ensino enquanto interveniente e comentador, respeito que nunca um professor do ensino básico fora das associações profissionais e dos sindicatos tinha alcançado. Além de algumas dezenas de colaborações regulares e ocasionais em 2010 passou a ter como co-autor Fafe.

A Blogopédia é uma wikipédia de blogues. A sua edição é aberta: pode alterar ou criar livremente entradas. É isso mesmo que pedimos: corrija, acrescente, coloque o seu blogue.

O Dia da Libertação

Ele há-de vir (pode é já ser tarde).
*sim, o desenho fui eu que fiz.

Impressoras 3D

Parece que existem há anos, mas eu só conheci agora. Absolutamente fantástico.

veja mais aqui

Dominó

dominó

Depois dos ministros que querem sair e da demissão do secretário de Estado da Justiça, João Correia, hoje é a vez do director-geral da Administração da Justiça, José António Rodrigues da Cunha, se ter demitido. Como num dominó.

Blogopédia – Dicionário da Blogosfera (Alexandra – Ana)

continuação daqui

(este post serve apenas como ténue amostra daquilo que se pretende para a Blogopédia – todas estas entradas, bem como aquelas que estejam em falta, podem e devem ser editadas na plataforma já disponível)

Alexandra Carreira – Jornalista. Já trabalhou na SIC e no Correio da Manhã. Mestre em Direitos Humanos e Democratização, sente-se intimamente ligada aos assuntos europeus e às temáticas internacionais. É uma das autoras do blogue Albergue Espanhol.

Alexandra Tavares-Teles – Jornalista. Trabalhou, entre outros, em «O Independente», no «Correio da Manhã», na revista «Sábado» e no «Diário de Notícias», onde ainda trabalha. O futebol tem sido desde sempre a sua especialidade. É uma das autoras do blogue Jugular. Aí, escreve sobretudo sobre religião e em particular sobre o cristianismo, religião que professa.  

Alexandre Borges – Nasceu em Angra do Heroismo em 1980, mas está radicado em Lisboa, onde se licenciou em Filosofia. Tem estendido o seu percurso profissional por diversas actividades. Foi jornalista, guionista, actor, produtor, encenador e escritor. Publicou até hoje obras como «Dez Histórias De Amor em Portugal» (2003), «Histórias Secretas de Reis Portugueses» (2004, em parceria com Hugo Rosa), «Heartbreak Hotel» (2005, poesia) e «Todas as Viúvas de Lisboa» e está presente em diversas antologias de poesia. De resto, foi a partir de uma antologia de dos novos poetas portugueses, publicada no México, que lançou a sua carreira literária. Na blogosfera, fundou em 2005 o blogue O Boato, que manteve até 2007 e no qual deu azo às suas interpretações filosóficas da sociedade. Entre 2007 e 2008, escreveu no 31 da Armada e no blogue e revista Atlântico, de Paulo Pinto Mascarenhas.  [Read more…]

Uma esquecida União Europeia


Durante a I Guerra Mundial, na Alemanha acalentou-se seriamente o projecto da criação de uma Europa, cujos contornos, ainda que difusos, decerto a tornariam numa muito alargada réplica do Reich renascido em 1871, quando vitoriosa sobre a França de Napoleão III, a Prússia ergueu-se como suserana dos Estados componentes das Confederações alemãs do Norte e do Sul. De facto, ao longo da guerra foi sendo projectada a criação de reinos no leste, precisamente nos territórios que os austro-alemães iam conquistando ao colosso russo. A Finlândia receberia o seu rei proveniente da Casa de Hesse, enquanto a soma da Estónia e da Letónia, faria surgir os Ducados Bálticos Unidos com Adolfo Frederico de Meclemburgo Schewrin como soberano. Na Lituânia, Guilherme, Duque de Urach, seria feito rei com o nome local de Mindaugas II. O mesmo se preparava para a Albânia, Polónia e talvez, a Ucrânia. Neste espaço que ia da Silésia às margens do Volga, Guilherme II seria o previsível Kaiser de facto, embora se conservasse a aparente soberania local dos novos potentados instalados.
O projecto pan-Europeu anda sempre indissoluvelmente ligado à preponderância da potência continental de cada momento e se os séculos XVI e XVII apontavam a Casa de Áustria como a provável herdeira dos Césares romanos, a ascensão francesa acalentou o mesmo sonho, desde Luís XIV a Napoleão I.

[Read more…]

Poupe mais aumentando a despesa

Governo cria nova empresa pública para gerir PPP e grandes obras. Faz sentido.

Portugal in solvente

PORTUGAL in solvente

Portugal está “insolvente” e terá de pedir ajuda, diz o Citigroup.

Depois são os jornalistas os obsessivos. Devem trabalhar no BCE.

Os jornalistas, esses obsessivos

«Sócrates diz que situação económica é ‘obsessão’ dos jornalistas» (Sol). Interrogava-me quem eram afinal esses “mercados”. Agora já sei. Trabalham nas redacções e emprestam dinheiro. Devem ser os da RTP. Ouvi dizer que ganham bem.

As vozes do dono não chegam ao céu

A devoção canina pelo império já assaltou os nossos jornais (que ainda não repararam no caso Brasil, como de resto a comunicação social brasileira se esforça como pode por fazer).

Teresa de Sousa não podia faltar à chamada, e no Público inventa que “estamos perante uma realidade nova que coloca problemas muito sérios às democracias. E  que coloca problemas igualmente muito sérios à imprensa livre das democracias.“, isto depois de desvalorizar as revelações já feitas, classificando 5 dos melhores jornais do mundo como simples cuscuvilheiros.  O que já se sabe sobre as pressões para isolar o governo democraticamente eleito da Venezuela, sobre a peculiar forma de a polícia brasileira lidar ao estilo CIA  com suspeitos de terrorismo, não tem importância nenhuma. Dar destaque às verdadeiras cusquices, tipo o que diz um diplomata de Putin, Sarkozy ou do putanheiro italiano, para não se reparar no importante, deve fazer parte das instruções do embaixador em Lisboa aos directores dos jornais portugueses, e ainda nenhum dos 722 documentos ligados a essa embaixada foi publicado.  [Read more…]

Mais um cartaz da campanha de Cavaco Silva

cavaco disse à pide que estava integrado no salazarismo

a materialidade dos afectos

a afectividade é erótica, porém material

As crianças observam-nos. As crianças sabem de nós. As crianças descortinam-nos. Esses pequenos seres entre os 12 meses e os cinco anos, imitam-nos. Procuram em nós uma satisfação sentimental das suas emoções e colmatar os seus desejos de uma resposta simpática no difícil processo de amar. Um processo que requer um parceiro, esse processo de ida e volta, conjugado no verbo amar: de simpatia, de antipatia, com raiva, ou, simplesmente, não amar. [Read more…]

The famous five

thre famous five ´

Três pode ser número divido mas é o cinco que está na moda. Que o diga a Irlanda.

Barcelona (FCP) 5 – A. Madrid (SLB) 0, sim são golos e não só

Há uma comunidade ibérica nestes resultados, toda uma península que diz no relvado: gastais mais, e perdeis ainda por mais.

Feliz e contente, lembro aos nacionalistas de trazer por casa que cada um ganha a vida onde melhor lhe pagam, mas antes disso há causas.

E não é por causa de quatro emigrantes portugueses que se muda um afecto.

Não mudei o meu. Tomai lá mais 5, falangistas madrilenos.

Wikileaks: os telegramas dos srs. embaixadores, um exemplo brasileiro

A comunicação social portuguesa limita-se a transcrever as agências internacionais sobre a devassa feita aos telegramas dos embaixadores do império. Está mal.

Sempre que acharmos oportuno publicaremos no Aventar o que vai saindo e respeite a países lusófonos (passe o neo-colonialismo da expressão).

Neste caso um artigo de Natalia Viana, especial para WikiLeaks, onde se descobre como discretamente Lula mandou a lei e os direitos humanos à fava:

“A Polícia Federal frequentemente prende indivíduos ligados ao terrorismo, mas os acusa de uma variedade de crimes não relacionados a terrorismo para não chamar a atenção da imprensa e dos altos escalões do governo“

Em segredo, Brasil monitora e prende suspeitos de terrorismo

.
[Read more…]

Tony Carreira, o Plagiador

A história já é de 2008 e nunca pensei vir a escrever sobre ela. Mas os comentários de algumas senhorecas mal-educadas, num post que escrevi sobre o concerto de Tony Carreira no Pavilhão Atlântico, obrigam-me a regressar a tão momentoso assunto.
Pois bem. Se o máximo que têm a dizer sobre Sérgio Godinho é que ele é um «garrafão sem pescoço» e que «parece o cu de um cão a cagar, sem expressão e sem alma», minhas senhoras, isto diz tudo vós e sobre a forma como entendem a música.
Quanto a Tony Carreira, lamento, porque até gosto da personagem de homem humilde e trabalhador que ele criou, mas foi acusado de plágio ainda há dois anos. É, pois, um plagiador. Não são necessários grandes argumentos.
Basta ouvir a música que aqui vos deixo, do mexicano Crstian Castro, publicada em 1997 sob o título de «Después de ti más nada». E comparar com a que Tony Carreira publicou em 1999, «Depois de ti mais nada» (que original). Poderão também dar uma olhadela à letra de cada uma das músicas.
Tirem as vossas conclusões e, como já dizia no post anterior, instruam os vossos ouvidos.


Não é igualzinho? Até as malucas aos gritos! Agora vejam a versão Tony: [Read more…]

falar de crianças

as crianças sabem e entendem

Retirado do meu livro de 2008: A ilusão de sermos pais.

Falar de crianças, é uma temática complexa. Primeiro, porque o conceito, às vezes, é usado como substantivo para definir um comportamento, outras vezes como adjectivo se queremos denegrir indivíduos do nosso grupo social dos quais não gostamos, revelando assim a existência de um pensamento negativo sobre pessoas do nosso grupo social. Por outras palavras: é um conceito manipulável. A definição de criança pode ser complexa: não é um conceito que faça referência sempre á mesma idade, porque pode-se ser denominado criança ao nascer, nos cronológicos quatro anos, ou, como definem a lei positiva e canónica no caso português pode-se tornar a ser criança por diminuição da capacidade de entender o real ou desenvolvimento da capacidade de usar a razão E, finalmente, o conceito criança muda conforme é empregue nas várias ciências que falam dos mais novos, no senso comum – o mais usado – e na cultura que é referida, é dizer, muda conforme seja permitido agir dentro dum Estado, uma Nação, Etnia, ou Grupo Social tout court. [Read more…]

O FMI e o Ritz

Dizem as más-línguas que o FMI já está no Ritz.

É o que dá o António Borges ter gostos sofisticados…

Braga é uma Grande Cidade

Braga é uma grande, grande cidade circundada por uma Via Circular com troços virtualmente portajados e velocidade máxima legal de 120 km/h e outros troços a 50 km/h. Até tem uma curva com nome: a "curva do feira nova". Quase todos os dias ali se despitam automóveis… Braga é uma cidade "estranha". Aqui ficam alguns vídeos…:

[Read more…]

O PCP e os Anarquistas

18 janEdgar Rodrigues não foi exactamente um historiador do movimento operário português: prefiro considerá-lo um empenhado militante anarquista que no exílio se dedicou à memória da sua causa, e leio este excerto da sua obra como um testemunho, discutível, mas a ter em conta.

.

.

A CGT (…) Mobilizou os seus elementos mais destacados ainda em liberdade, promoveu reuniões e por fim elaborou um plano de acção insurreccional para todo o país. Fez contactos com a Federação das Associações Operárias, ligada ao PS, com Organismos Sindicais Autónomos, e procurou a Comissão Inter-Sindical, subordinada à ISV, sob comando do PCP, que também aderiu, em princípio. Todos ficaram de acordo! Não houve indecisões nem alterações durante os primeiros contactos! Nasceu então a Comissão Coordenadora para congregar todas as forças proletárias dispostas a enfrentar o fascismo (…). [Read more…]

Retratos Directos

O base.gov.pt é um manancial de informação sobre a forma como os nossos governantes desbaratam o erário público. Já sabemos que se gastam milhões em festas e enchidos. Mas nem tudo é dinheiro desperdiçado, para benefício das artes também existem adjudicações directas!

O retrato que reproduzo neste post, de Sua Excelência Tenente General Fernando Manuel Paiva Monteiro, comandante da Academia Militar custou a módica quantia de 17 150 euros. Coisa pouca para ilustração dos nossos garbosos militares.

[Read more…]

o pequeno pecador

Retirado do meu livro de 2008: A ilusão de sermos pais

Wagner – Die Walküre: “The Ride of the Valkyries” (Boulez)

Olhos felizes, sorrisos brilhantes. Silêncio no beijo. Respeito na carícia. Uma mão doce a percorrer o corpo. Suavidade, ternura, sedução. Silêncio: uma criança está a ser projectada. O imaginário de dois, transferido a um entre momentos de sedução, brinca e pensa: como é que será, os teus olhos, a minha boca, o teu andar? A felicidade prometida no Jardim do éden, a felicidade que nasce nesse primeiro encontro? Quando um corpo chama o nosso, faz sentir a nossa pele rizada, a querer correr dentro da outra uma e outra, e outra vez, com doçura, com respeito, com a alma a brilhar [166]. A paixão. O amor. O presente dos novos, o futuro dos velhos. A lembrança dessa outra pessoa que nos faz sentir a alma quente e terna, a cabeça perdida, ideias que iluminam e aquecem a tarde de um Domingo de Inverno. O Jardim de

[Read more…]

Rui Veloso – Canção de alterne

EXTRA EXTRA EXTRA EXTRA

O Aventar soube de fonte segura que a Wikileaks vai contratar o PGR para ganhar know-how quanto à forma como o Segredo de Justiça em Portugal… é violado.

Les Cheminots – le film


Depois de Inglaterra, a França…

“Au fil des rencontres, en découvrant leur travail quotidien, apparaît le fonctionnement de cette entreprise de service public. Depuis sa création, le chemin de fer a fédéré des métiers différents. Une communauté s’est construite autour d’une culture du travail et de la solidarité. Aujourd’hui, l’heure est à l’ouverture à la concurrence. Le réseau et les services sont séparés, les métiers cloisonnés.
Les cheminots se sentent de plus en plus isolés. Le bouleversement est profond. Le sens même du travail et son efficacité sont remis en cause. Au-delà des cheminots, l’ensemble de la société est touchée.”

Terroristas norte-americanos atacam Wikileaks

O pânico americano derivou em terrorismo:

O site Wikileaks anunciou que está a ser alvo de um ataque informático, mas que isso não impedirá a publicação, prevista para hoje à noite, de documentos norte-americanos sensíveis em diversos jornais. in Público

Entretanto a página que tencionava utilizar esta noite para pesquisar os documentos, o http://owni.fr/, já está fora de combate. É provável que os terroristas ao serviço do Pentágono se estreiem hoje em grande escala, lançando uma ciberguerra de consequências imprevisíveis. Sabe-se que a Wikileaks estava preparada para isto. E vai ter muita gente do seu lado.

A guerra das favelas, batalha perdida de uma guerra onde os governos já foram derrotados

Policia-no-Rio-de-Janeiro

A ocupação militar das favelas do Rio de Janeiro pode encher ainda mais as prisões brasileiras, pode trazer uma ilusória esperança aos favelados, mas está condenada ao fracasso.

Porque o problema é social, e se alimenta da miséria. O Brasil tem dado grandes passos na erradicação da pobreza absoluta, mas não acabou com ela. Os traficantes das favelas podem cair mas outros os substituirão: o dinheiro fácil onde reina o desemprego terá sempre candidatos.

E porque a guerra da droga está perdida para os governos, em particular o dos EUA, que não admitem a rendição, no Brasil como no México, ou como em Portugal. Há tráfico de substâncias ilícitas porque as substâncias são ilícitas. A sua legalização será a única forma de controlar o problema a nível de saúde pública e de terminar com os traficantes. Claro que o branqueamento de capitais ficaria mais difícil e a humilhação de assumir um erro teria custos políticos. O problema é esse.

Fala que não entende…

em frente de crianças que pensa não entendem, grande engano

Retirado do meu livro de 2004: A ilusão de sermos pais,

1. A criança, esse subentendido.

Foi a frase de uma das pessoas que trabalha comigo, durante um Seminário de Etnopsicologia da Infância, a decorrer durante o ano académico. De imediato várias ideias saltaram na minha cabeça. A primeira coisa que me ocorreu foi perguntar: o que é uma criança? Conceito definido por imensas teorias de imensas escolas que percorrem o mercado da erudição académica, já comentadas no Capítulo anterior. No entanto, a criança é uma entidade heterogénea de idades diferentes: há a cronologia que acompanha o transcorrer da sua vida, há capacidades definidas conforme as possibilidades de entendimento do real há o contexto que rodeia os mais novos e os adultos que definem o conceito. [Read more…]

O Baú das Músicas Portuguesas – VII

Um baú como este, cheio de discos mais ou menos antigos, diversificados e de géneros distintos, tinha que lá ter umas canções de um rapaz de Braga, cabeleireiro, que sonhava fazer uma música onde coubessem o Minho e Nova Yorque ao mesmo tempo. António, era o nome do rapaz.

Hoje há wikileaks, pânico nas embaixadas

Hillary_Clinton Hoje à noite deverá ter início mais uma operação Wikileaks: 250 000 memorandos da diplomacia dos Estados Unidos, de e para as suas embaixadas.

Hillary Clinton contactou pessoalmente diversos governos (pelo menos a Inglaterra, Israel, Austrália, Noruega, China, Dinamarca e Canadá) numa tentativa de antecipar e minimizar os prejuízos, que podem ultrapassar em muito as denúncias passadas de crimes de guerra no Iraque e Afeganistão. Sendo a diplomacia a arte da hipocrisia em todo o seu esplendor, promete.

Em Portugal, país que esteve ameaçado de invasão americana em 1975, ficaremos talvez a saber o que o império pensa realmente de nós. Desconfio que vai ter piada.