Contos Proibidos: Memórias de um PS Desconhecido. Da reunião de Caracas da Internacional Socialista à fusão do PSP com o PSOE


Carlos Andrés Perez, Presidente da Internacional Socialista em 1976

continuação daqui

«Atento à evolução política na Península Ibérica, o Presidente da República da Venezuela, Carlos Andrés Perez, cujo partido, Accion Democrática, era observador da Internacional Socialista, percebeu que a «Revolução Portuguesa» e a evolução democrática em Espanha iriam ter enorme impacto na América Latina, onde ele, chefe de Estado de um país produtor de petróleo, pretendia ter um papel de relevo. O presidente venezuelano, que tinha sido eleito em 1974, acompanhava de perto a crescente importância da Internacional Socialista e, como tal, desenvolveu todos os esforços para reunir em Caracas uma cimeira semelhante à que acabara de ocorrer em Portugal. Mas, enquanto em Portugal a iniciativa partira de Olof Palme, a ideia da reunião de Caracas partira de Klaus Lindenberg, representante da Fundação Friedrich Ebert naquele país. Esta fundação já na altura investia consideráveis meios naquele subcontinente e tinha escritórios e representantes alemães em quase todas as capitais latino-americanas. [Read more…]

Miguel Santos Guerra – pensar a Educação

Via terrear, um vídeo do Miguel Santos Guerra. Um MESTRE Espanhol que diz tudo sobre educação! Obrigatório para os que não são Professores. Imprescindível para estes:

Contos proibidos – O ficheiro completo

O Aventar começou a publicar em Setembro de 2009 os «Contos Proibidos» de Rui Mateus, o livro proibido que revela as «façanhas» de Mário Soares e seus acólitos entre as décadas de 70 e 90 do século passado.

No entanto, deparámo-nos desde o início com um problema: a forma como o grande Ferrão digitalizara a obra, página a página em formato PDF, não permitia o copy + paste habitual nestas circunstâncias. A única solução era transcrever manualmente o conteúdo do livro, tarefa morosa para quem não tem os blogues como fonte de rendimento.

Mão amiga, mas anónima, fez-nos chegar uma versão leve do livro, que permite copiar e colar do princípio até ao fim. Fica mais fácil o nosso trabalho. Passaremos a publicar diariamente um excerto do livro, mas não queremos deixar de disponibilizar desde já a totalidade da obra neste formato, bem como os anexos e as fotografias. [Read more…]

Brrrrrr … Que Frio

Brrrrr … Que frio!

Mais um drama se abateu sobre os cidadãos portugueses. Já não bastava a recessão que teima em não acabar, veio agora o frio.

Nestes dias, a temperatura desceu muito. Os termómetros marcam valores abaixo de zero em muitos locais do país, e parece que vai continuar assim mais algum tempo. Imagine-se que até no Algarve faz frio, em Dezembro, a meio do mês, quase com o Inverno a entrar-nos pelas portas dentro.

O que parece ser um facto é que Portugal tirita de frio. [Read more…]

Os testes Pisa 2009 vistos por quem não sabe ver

Um senhor chamado Joseph Conboy, apresentado como investigador do  Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, vem hoje ocupar uma página no Público defendendo a amostra dos testes Pisa 2009 em Portugal. Diz ele:

Embora possamos especular sobre uma amostra viciada, não temos nenhuma razão concreta para questionar o rigor da amostragem efectuada pela OCDE. Estas alterações na natureza da amostra provavelmente resultam de taxas de retenção que, lentamente, vão diminuindo, bem como da implementação de legislação que permite alunos sobredotados avançarem um ano escolar.

Acontece que em Portugal não está ainda implementada nenhuma legislação deste tipo, e provavelmente uma legislação inexistente não produz resultados, já para não falar do facto de alunos sobredotados serem por definição em número estatisticamente irrelevante para influenciarem um estudo deste género. Quanto à amostra viciada já me ocupei com o assunto ontem e chover no molhado não vale a pena.

Arranjem um investigador que conheça o sistema de ensino português, vá lá, e que especule menos. Não é que sirva para alguma coisa, mas sempre se poupam os jornais à publicação de disparates risíveis.

Portugal tem dois problemas: a crise económica e a eleição presidencial

este era Portugal. Hoje em falência, o Terreiro do Paço será também vendido?

Fui convidado a investigar e leccionar em Portugal, em 1981. Gostei do país, da sua terra e da sua gente e da forma de resolver os seus problemas. Eram dois meses apenas esse convite, mas gostei tanto, que falei com a minha família e propus mudar-nos a um país sem comparação com os outros países da Europa. Farta a família de andar por tantos países, recusou o convite, ficaram em Cambridge e eu tinha que viajar entre um e outro. Aliás, foi preciso confrontar ao meu chefe, Sir Jack Goody e anunciar que cancelava o meu contrato com ele e ficava no Porto do Galo – nome romano para Portugal -, porque havia muito trabalho para ser feito. Ficou furioso, disse-me que no nosso Departamento havia mais ainda. Não ouvi e fiquei. Esses dois meses passaram a ser 30 anos… até ao dia de hoje.

Nunca pensei que a República Portuguesa ia ter tantos problemas para resolver em frente de si. Especialmente económicos, políticos e éticos. Se na Grã-Bretanha tomávamos conta do penny, em Portugal era do tostão antes, hoje em dia do cêntimo.

Não há dia em que não se deva poupar. Não há dia em que não devamos pensar duas vezes antes de levar a mão à carteira. Olhamos os preços, comparamos, e as compras passam a ser um cumprido passeio. Aliás, já nem compramos o que costumamos adquirir. [Read more…]

Braga é Amor…