Eu Nunca Fui Ver um Jogo de Futebol

Deve ser por isso que o fenómeno das negociatas do futebol me passam completamente ao lado; não obstante, é uma pena não organizarmos mais esta festarola, sempre era forma de dar algum tipo de uso aos estádios deluxe de Aveiro e Leiria, já a perder peças. Na verdade, nem me preocupo mais, pago cada vez mais impostos e ainda agora perdi* o abono de família e a médica de família (que se reformou). * foi-me roubado.

É raro mas desta vez concordo, no essencial, com Mário Soares

"A UE corre o risco de afundar-se por os dirigentes e as instituições não demonstrarem capacidade nem estarem à altura para gerir a actual crise (…) Os dirigentes da UE já não falam de projetos globais, não têm visivelmente nenhum, apenas falam entre eles de dinheiro".

Mário Soares ao Expresso

Eu sei que não sou ninguém mas há muito ando a dizer isto mesmo. A quem me quer ouvir, para ai uns dois ou três que não têm alternativa quando os apanho a jeito.

Certo é a maior parte dos países da União Europeia não têm políticos a sério há uns anos, têm apenas uma comissão de administração.

Martins da Cruz, um homem de pedidos

Prega agora o ex-ministro Martins da Cruz sobre os voos da CIA:

“Se um país aliado como os Estados Unidos solicita uma coisa ao Governo português faz-se, tanto mais se essa coisa não é ilegal” RR

Claro. E se o ministro dos Negócios Estrangeiros precisa de um favor para a filha entrar na universidade, pede ao ministro do Ensino Superior, e faz-se. Mesmo que seja ilegal.

Qual "ibérica" qual carapuça…

Muito bem! Para além do “jamón”, não haverá mais nada de “ibérico”. Com esta fantástica e encorajadora notícia, já não têm desculpa para o TGV da ruína. Não teremos de suportar “obras adicionais”, “modernizações” e outras negociatas do género que apenas beneficiam quem muito bem conhecemos.

Surgindo como um simples subalterno a 1/3 da Espanha – como se precisássemos do país vizinho para organizar fosse o que fosse! -, Portugal colhia a experiência e o sucesso do Euro 2004, em contraponto ao desastre do Mundial de 1982. Há quem disto se tenha esquecido.

Más notícias, para quem já se preparava para umas transferências bancárias e oportuna alienação colectiva. Temos mais em que pensar.

Como o povo diz, não há pão para malucos.

Ernâni Lopes (1942 – 2010) não volta a defender cortes de 20% nos salários da Função Pública

Ernâni Rodrigues Lopes nasceu em 1942. Doutorado em Economia. Professor universitário no ISCEF e na Universidade Católica. Exerceu vários cargos no Banco de Portugal. Entre 1975 e 1979, foi Embaixador de Portugal em Bona. Integrou o IX Governo Constitucional, o do chamado «Bloco Central», entre 1983 e 1985, como Ministro das Finanças e do Plano. Neste cargo, tomou medidas de contenção e de rigor muito duras, dada a crise económica que então se vivia no país. Foi nesse período de tempo que o FMI esteve em Portugal.
Mais recentemente, defendeu que os Funcionários Públicos deviam ter cortes de 20% nos seus salários. Teve de contentar-se com 5%.

Na Suiça Não Há Reformas de Luxo

http://www.rtp.pt/noticias/player.swf?image=http://img0.rtp.pt/icm/noticias/images/e6/e67987ef0b3cc432424342dbe2059f62_N.jpg&streamer=rtmp://video2.rtp.pt/flv/RTPFiles&file=/informacao/gentenomundo_68076.flv

Em Portugal, sim, Portugal é um país justo, solidário, pleno de vitalidade e recursos infinitos. É urgente calar este jornalista, anda a falar muito da Suiça…

prelecção e agradecimentos


a criança e o seu erotismo

Longe de mim imaginar que as crianças procuravam ou viviam uma intensa libido erótica entre os quatro meses de concepção e quatro anos, quatro anos e meio de idade, como define Wilfred Bion no seu texto de 1966, citado mais á frente. Ainda mais longe das minhas ideias e sentimentos, que esse ser fosse criança até essa idade, em que adquire a capacidade de desenvolver o entendimento do real: e começa a desenvolver esse entendimento. Orientado pelas ideias da cultura social, pensava que o bebé no ventre da mãe mexia por ser parte da sua fisiologia. [Read more…]