A China, a Europa e já agora o PCP

          Negócio da China!

negócio da chinaO comissário europeu para a Indústria e vice-presidente da CE, Antonio Tajani, acaba de alertar para o perigo das aquisições de empresas europeias pela China. Considera tratar-se de ofensiva de estratégia política dos chineses, contra os interesses europeus.

A que interesses se referirá o político, oriundo da Força Itália, de Berlusconi? Obviamente aos do poder do capital financeiro europeu. Nem dele, nem de outro comissário, nem do Presidente da CE e ex-MRPP, Barroso, ouvíramos antes observação semelhante; breve que fosse, se atingidos interesses e  direitos sociais legítimos de milhões de europeus. Perante os efeitos da deslocalização para a China de inúmeras actividades industriais de multinacionais europeias, a CE mostrou-se capciosamente indiferente. É o mercado a funcionar, diziam.

Com a Índia como companheira, a China, controlada pela oligarquia  do PC chinês, é a  pátria preferida pelas multinacionais. Motivo? Os benefícios do “dumping” social de mais amplas proporções e desigualdades do universo. Um única empresa, Foxcoon, ilustra com clareza o que é o trabalho de semi-escravidão naquele país:  12 horas diárias de trabalho, 6 dias por semana e salários mensais entre 90 e 120 euros. Contra estas ignominiosas condições de trabalho, fortemente responsáveis pela crise económica, social e de emprego a que os países da UE estão submetidos, o silêncio da CE tem sido a regra, de facto. Agora, porém, outro galo canta. Está em causa a ‘Volvo’ e, acima de tudo, um conjunto de interesses da Alemanha e França na indústria automóvel. [Read more…]

Contos Proibidos: O apoio de Kadhafi ao PS e as relações com Israel

continuação daqui

Uma outra questão essencial da política externa do PS foi o empenho com que «forçámos» o Governo Português a normalizar as relações diplomáticas com Israel, encontrando eu em Salgado Zenha o principal protagonista desta normalização. A quase totalidade da direcção socialista saída do II Congresso tinha laços antigos com os argelinos.
O apoio financeiro do coronel Kadhafi, em 1974, era uma outra importante condicionante ao reconhecimento de Israel. O que, a meu ver, era um autêntico disparate. Não só porque o país existe e era (e continua a ser) a única democracia do Médio Oriente, mas porque esse não reconhecimento tinha repercussões político-económicas em todo o mundo ocidental. Havia também que contar com o facto de existir em Israel um partido que fazia parte da IS.
A resistência do Governo, à semelhança do que se passara com os Governos Provisórios, dava lugar a rumores de que Portugal cedia às pressões do mundo Árabe, ao passo que era do conhecimento geral de que seríamos mais respeitados pelos árabes reconhecendo Israel, do que o não fazendo. Um outro fundador do PS e da chamada ala moderada do partido, Bernardino Gomes, que Soares tinha designado para certos contactos com a CIA, desenvolvia então em Lisboa uma espécie de lobby pró-israelita. Era seu assessor em S. Bento e muito diligente para com a família Soares. [Read more…]

Os mercados são como as paredes

“Apelo aos líderes políticos para estarem mais calados e deixarem os comentários para os comentadores, e perceberem que os mercados financeiros estão a ouvir”.

 

José Barroso, o mordomo dos líderes europeus, uma espécie de Alfred dos Batmans todos que mandam no Velho Continente, pede aos seus patrões que estejam “mais calados”, o que, em termos de Física Acústica, será, com certeza, um achado, porque perceber a diferença entre estar mais ou menos calado é algo que só pode pode estar ao alcance de um homem de espírito agudo e durão de ouvido.  

Passando da Física para a Biologia, penso que será urgente investigar os mercados, esses seres misteriosos que, ao que tudo indica, estão dotados de um sistema auditivo tão apurado que os leva a um comportamento assustadiço. Até vou escrever mais baixinho, que me pareceu ver um na cozinha.

Gambas à guilho/ao alhito

gambas à guilho
(clicar para aumentar)

A tempo para a passagem de ano, aqui fica uma espécie de receita.

Gambas à guilho (numa espécie de tradução do espanhol  Gambas al ajillo) ou gambas ao alhito (em tradução directa)

[Read more…]

A religião é a lógica da cultura

A caridade da Eurest e a hipocrisia da campanha “Direito à Alimentação”

eurest488004462 Maria foi despedida da cantina de uma escola em Vila Nova de Gaia por ter levado para casa comida que iria para o lixo. A funcionária, com poucos recursos, aproveitava as sobras do dia para dar de comer aos cinco filhos.

Filomena Martins, que trabalha na Escola Alcaides de Faria, em Barcelos, tinha pão e sopa no cacifo e está suspensa de funções, com um processo disciplinar em curso.

Na cantina da Portucel, em Setúbal, uma das trabalhadoras foi revistada na segunda-feira, à saída, e como tinha sobras na carteira, está também suspensa e ameaçada de despedimento.

Estes casos, divulgados pelo Correio da Manhã, têm em comum a Eurest, empresa que diariamente fornece o almoço a 200 mil portugueses, em 1200 restaurantes e cantinas de hospitais, escolas, prisões, áreas de serviço, autarquias e empresas e vieram a público porque esta vai participar na campanha “Direito à Alimentação”, lançada com pompa e circunstância pelo Presidente de todas as caridadezinhas, a começar pelas hipócritas. Vejamos como: [Read more…]

João Salgueiro e o elefante no meio da sala

João Salgueiro é um dos suspeitos do costume. Teve o dom de contruir uma boa carreira profissional de braço dado com a política e a banca, logo os dois principais sectores artíficies da crise mundial – e interna – que enfrentamos.

Numa entrevista sauve que concedeu ao jornal Público deixou conselhos para ultrapssar a crise. Os conselhos do costume.

Com profundos laços que o mantém emaranhado no mundo da política e da alta finança, não se lhe ouviu uma palavra sobre o seus gananciosos confrades do mundo da banca. Nem um simples ‘mea culpa’, nem um reconhecimento de erros, de falhas de avaliação, de caminhos enviesados. Nada. Um imenso nada.

Até na estrondosa queda do comunismo, os dirigentes dos países do leste foram mais humildes.

O presidente de todas as vaquinhas umas atrás das outras

Sermos Avós

metáfora de sermos avós queridos e simpáticos

…para os meus netos Tomas e Maira Rose filhos de Cristan Van Emdem e Paula (née Iturra) e May Malen e Bem and forthcoming kids, filhos de Felis Isley e Camila (née Iturra)…

Foi um telefonema longínquo. Da nossa filha mais velha. Disse-me: – nasceu! Era o dia em que eu apresentava mais um livro sobre crianças, na Cidade da Guarda, com Daniel Sampaio. Fiquei sem palavras. Como era evidente, tinha estudado crianças ao longo de dezenas de anos. Com amor e paciência, em silêncio e com orgulho paternal. Como me era habitual, tinha solicitado aos mais novos, desde o primeiro dia, detalhes sobre a sua genealogia. Fomos construindo esse precioso documento entre os [Read more…]

Um bunker da especulação. Responsável? A C.M.L.


Para “grande surpresa” de António Costa – como se acreditássemos… -, a aberração será mesmo construída. Sob ameaça de instauração de um processo judicial, o promotor imobiliário conseguiu o que queria, ou seja, a construção de um mostrengo inútil, horroroso, digno mictório para qualquer transeunte. Assim e uma vez mais, ninguém tugiu nem mugiu e fez-se o habitual teatro do “faz de conta”. O pior de tudo, consistiu na escabrosa abstenção dos “partidos da direita” na Câmara Municipal de Lisboa que para cúmulo da cobardia, alegaram que “não compete aos vereadores avaliar a natureza artística da obra, mas sim agir em conformidade com a lei”.

Mais uma vitória da coligação Costa/Salgado/Zé, com os seus oportunos “abstencionistas da direita”. Não há tino, nem direito.

Saiba mais acerca do que se passa através do Lisboa SOS.