Décalogo de MuBarack Obama

(Este texto de um grande amigo meu, parece-me muito oportuno)

Décalogo de MuBarack Obama

por César Príncipe [*]

Assegura o Livro do Êxodo que Javé/Deus ditou as Tábuas da Lei a Moisés/Profeta. Assegura o Deuteronómio que foi o próprio punho de Javé a passar a letra de forma os Dez Mandamentos. Doutos e circunspectos biblistas garantem haver Javé gravado as pedras, pois os humanos tendiam a quebrá-las. De qualquer modo, o Verbo é Divino e as dúvidas tiram-se na Guerra dos Seis Dias no Sinai ou na Escola de Gaza. A sublevação do povo egípcio vem recolocar na Agenda o papel de Deus no Médio-Oriente. Desde logo, a actualização da Lei de Moisés. Em verdade vos digo, a Lei de MuBarack Obama. De resto, o presidente dos EUA confessou ter redobrado as preces desde que o povo egípcio saiu à rua. De facto, desta vez, não foi para exibir chagas e pedir esmola. Foi para reclamar direitos e liberdades. Cansou-se de dormir nos cemitérios. Optou por dormir, com alarmes ligados, na Praça Tahrir. Mas os profetas também não dormem. Eis as Novas Tábuas da Lei (versão sugerida pelo velho católico, apostólico e romano Silvio Berlusconi e pelo cristão-novo Tony Blair: o primeiro, porque Ruby, estrela do serralho bunga-bunga/Palácio da Ordem de Malta, é egípcia e Silvio é persona grata; o segundo, porque é um compagnon de route de serial-Killers e salteadores de Enciclopédia):

1.º Amar a Deus sobre todas as coisas. Onde se lê Deus, ler Petróleo.

2.º Não invocar o nome de Deus em vão. Onde se lê Deus, ler JuDeus.

3.º Guardar domingos e dias santos de guarda. Onde se lê de guarda, ler da guarda.
4.º Honrar pai e mãe e outros legítimos superiores. Onde se lê legítimos superiores, ler superiores.
5.º Não matar. Onde se lê não, ler só.


6.º Não pecar contra a castidade. Onde se lê pecar, ler vacilar.


7.º Não roubar nem injustamente reter ou danificar os bens do próximo. Onde se lê não roubar nem injustamente, ler justamente roubar.


8.º Não levantar falsos testemunhos. Onde se lê falsos, ler verdadeiros.


9.º Não desejar a mulher do próximo. Onde se lê não desejar mulher do próximo, ler desejar a próxima mulher.


10.º Não cobiçar as coisas alheias. Onde se lê as coisas alheias, ler os 70 mil milhões do faraó.

Assim falou Javé aos revoltosos, instando a que não se deixem guiar pela Al-Jazira nem por SMS/redes tele-sociais; que se mantenham imóveis como esfinges, tocados pelo disco solar de Ámon-Hosni, o que contempla os construtores de pirâmides com dois a três dólares e trinta chibatadas por dia. O raís falou. Disse compreender os sinais das tecnologias de ponta. Reforçou o escudo de protecção e os diplomatas de carreira e de correio entram em frenesim. Desconfiando de Alá, Javé antecipa-se e prepara um Governo para a Ditadura atravessar o Deserto da DemocraCIA. O Programa de Transição não poderia ser mais abrangente e transparente. O déspota/super-corrupto conduzirá os escravos do Nilo até Setembro. O vice-chefe do crime organizado velará pela tranquilidade dos Senhores da Região & da Globalização. Em Portugal, a ditadura mudou de ditador e chamou ao processo evolução na continuidade. Só uma revolução militar-popular interrompeu a evolução do regime, seis anos depois. Imaginemos um 25 de Abril com Américo de Deus Mubarack Tomás a presidir à sua queda e o director da PIDE, Suleiman Silva Pais, elevado a vice-presidente. Para que a múmia Hosni seja removida e toda a sua corte seja desalojada e julgada em Tribunais Populares (o TPI não julga fiéis de Javé), convidamos os democratas do Planet a dar um empurrão, ajudando uma das civilizações mais remotas da Humanidade a estilhaçar as Tábuas de MusBarack Obama.

Todos a Tahrir.

Liberation Square.

[*]Escritor/Jornalista.

Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .

Comments

  1. Rodrigo Costa says:

    … Bem prega S. Tomaz —olhem para o que ele diz; não olhem para o que ele faz…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.