Lição para ditadores


Com o Magrebe a pegar fogo, uma notícia parece surpreendente, mas perante os factos noticiados, a longa permanência no poder pode facultar algumas lições a reter.

Pelo que se diz, o sr. Muhamar Kadhafi precavê-se de qualquer eventualidade e olhando para um bem conhecido antecessor em certas praxis políticas – para mais, nosso vizinho -, decide-se a fazer aquilo que Salazar, Brezhnev e Ceausescu – entre outros, muitos outros – não quiseram ver e menos ainda, fazer. Franco parece ter sido o único e os resultados estão à vista.

Chegam notícias de uma possível instauração de Monarquia Constitucional na Líbia. Sabe-se que Kadhafi nutre uma profunda aversão por clericalismos e o facto da chamada Irmandade Muçulmana estar em avanço – só não o vê quem não quer -, impele o homem das sedas e tendas, a uma decisão que poderá ter consequências quanto à estabilidade na região.

“And basically, I think he’s setting himself up to do what Franco did in Spain, which was to return the country to a constitutional monarch.”

Esperemos para ver. Entretanto, para saber mais, este post e respectivo link, elucida-nos.

Comments

  1. É o que se costuma designar por “ir de cavalo para burro”. Mas tem piada.

  2. Estonteante, Nuno.
    Inclinava-me ( a priori ) para a oficialização Napoleónica do Kadhafi como o Auto-proclamado-Imperador.

  3. Nuno Castelo-Branco says:

    Achas, João? Pelos vistos, a Espanha antes de 1975 estava melhor.

    • Não disse que está pior, no caso da Líbia seria sempre uma mudança para pior. Os ditadores ou acabam na rua, ou mudam as moscas. No caso do estado espanhol, mais que na rua deles, mudou com medo da nossa. Mas ainda hoje lhes faz falta não terem ido para a rua.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.