Moção de censura do BE faz vítimas no… BE

No dia seguinte à apresentação da intenção de moção a trinta dias do BE, a propósito das declarações de J. M. Pureza, escrevi num comentário a um post meu

Dá a sensação de repentismo e improviso, um pouco como se JMP viesse à pressa apagar um fogo que F. Louçã ateou ontem.

A demissão, hoje, do membro da mesa nacional do BE Paulo Silva vem confirmar o que eu suspeitava. Mas não só. Vem confirmar, se ainda fosse necessário, que o partido que se apresentou há uns anos reinvindicando uma postura e uma ética diferente dos outros partidos políticos é, agora e nesse sentido, farinha do mesmo saco, roída pelo mesmo bicho.

Do ponto de vista ético e de seriedade política, o Bloco vem perdendo – não apenas agora – legitimidade para criticar as derivas dos outros, chamem-se eles José Sócrates ou Paulo Portas. A continuar assim assistiremos ao progressivo esvaziamento do Bloco de Esquerda.

Isso acontecer numa  altura em que o descontentamento popular atinge valores muito elevados é prova de grande inabilidade política.

Comments

  1. Augusto says:

    Ainda há dias li que 30 militantes do CDS tinham abandonado o partido no Barreiro, e isso teve alguma relevância……


  2. O CDS tinha 30 militantes no Barreiro?

  3. José Pereira (Eu Próprio no facebook) says:

    Eu ainda não percebi bem esta história… Onde está o texto da moção? Eu gostaria de tomar posição mas não tenho bases. É óbvio que qualquer moção que eliminasse o governo de Sócrates teria algo positivo, fico é no receio que essa mesma moção se venha a revelar “emenda de soneto”. Que o BE ainda não me convenceu de maturidade (ou seriedade) política é outro facto. O que me irrita sobremaneira no mundo político português é a falta de coerência de quem quer que seja!
    A saída de Paulo Silva deixa-me na boca um travo a cobardia, se o texto da moção ainda, realmente, não foi redigido. Agora, contudo, é tarde, visto a posição do CDS anular à priori a moção. É sim, mais uma derrota do BE a jogarem sozinhos…


  4. Mas existe no bloco uma estrutura organizada,a nível Nacional????
    Pergunto isso pela seguinte razão,o B.E. expulsou na semana passada o seu 1º militante.
    Ora esse militante João Pereira é um individuo que não tem ideologia politica nenhuma, que foi eleito vereador em Olhão à conta de um trabalho do movimento de cidadania activa “Somos Olhão”. que ele dizia ao B.E. ser o criador e o cérebro ,quando era falso.
    O B.E. em vez de indagar quem era esse personagem(que tem duvidas a operários da construção civil,ao fisco e à segurança social na ordem de milhões de euros) aceitou-o de braços abertos, como se fosse o Messias que ia salvar Olhão da corrupção existente na autarquia.
    Um partido a sério não deve de investigar a seriedade de um cabeça de lista a uma Câmara??
    Sendo eleito esse sujeito que fez uma campanha eleitoral baseando em falasa promessas a pessoas que sabia de antemão que não as podia cumprir,não bastando isso a campanha do B.E. em Olhão foi feita à base de b ailinhes com musica pimpa,acompanhados churrascos de carne assada e muita imperial á mistura, na avenida principal de Olhão, onde ele prometia às pessoas que se fosse eleito continuaria com essas festas e bailaricos.
    Como era previsível foi eleito,pois a campanha de denuncias contra a corrupcção,feitas pelo “Somos Olhão” levou as pessoas a pensar que ele iria ser o salvador de Olhão,pois ele dizia às pessoas que ele era a alma desse movimento.
    Será que a haver uma estrutura central organizada não devia de discutir esses casos,ainda por cima, quando o filho de Mario Soares foi ao programa de Mario Crespo na Sic e afirmou que o B.E. em Olhão tenha um cabeça de Lista à CMOlhão que era vigarista???
    A semana passada esse militante foi expulso,das fileira do B.E. mas continua a servir-se da sede do B.E. em Olhão,tendo enfeitado na sede de fotos dele próprio dizendo que agora era um vereador independente,e argumenta que foi expulso por não apoiar o Manuel Alegre,nas eleições à presidência.
    Será que se o Bloco tivesse uma estrutura onde discutisse os problemas essas situações eram possíveis?


  5. Ó Atento de Olhão…

    O Bloco é uma invenção de uns jornalistas de Lisboa que se encontravam em Bares do Bairro Alto e da Graça/S. Vicente para beber uns copos e fumar umas ‘ganzas’ e que eram compostos por umas gajas trintonas e quarentonas todas com ar de ‘quem quer mas não tem’ de cabelos com cortes estranhos e cores ‘maradas’ e gajos bem pensantes que não sabem bem se gostam de peixe ou carne e na duvida saltitam entre os pratos procurando respostas que nunca encontram e que depois, mercê de amizades cúmplices que conseguiram ocultar a verdadeira face negra que estava por trás daquelas personagens, que se preocupam tanto com o casamento ‘gay’, como eu com os problemas sexuais da Cassandra brasileira, mas que pegando nesse tema, ganhou as simpatias dos jornalistas gays ou politicamente correctos.

    O caro Atento acha que essa malta quer saber alguma coisa do que se passa em Olhão da Restauração? Fizeram em Olhão o que fazem em todo o lado, com ataques a pessoas sérias e outras menos sérias, sem nenhuma prova, apenas arrotos panfletários que no caso de Olhão eram feitos por um vigarista. Mas será que o João Pereira é mais vigarista que o Louça ou que o UDP Fazenda? Não sei, mas se esses ‘camaradas’ deram cobertura ao Zé Pereira é porque são iguais a ele, sem princípios, onde os meios justificam os fins.

    • Xico says:

      OH! Amigo! Até é capaz de ter razão, mas a escrever dessa maneira não há quem o entenda.

      Eu não voto no BE, nunca votei, mas seria interessante que apontasse as ideias que considera erradas no programa do BE em vez de tentar destilar veneno de forma tão incompetente. Com o que escreveu mais vale limitar-se a dizer que não gosta do pessoal do BE e quando lhe perguntarem porquê, responda: Porque sim!


      • Ó amigo Xico, em relação ao programa do Bloco o que eu não gosto é basicamente TUDO mas o veneno que eu destilo na forma que consigo (pena ser incompetente) tem mesmo a ver com o não gostar do que o Bloco representa e nesse caso nem tem a ver com o programa pois também não concordo com nada do PCP mas respeito-o.
        Tenho a impressão que se estivéssemos em 1933 eu estaria contra um certo Adolfo, também ele justiceiro contra os corruptos, também ele populista e socialista, também ele nascido no bas-fond de bares só quem em vez de beberem coisas de 12 anos bebiam cervejolas da Baviera. Se calhar nessa altura também responderia que não gosto deles apenas porque Não!

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.