Tudo o que quer saber sobre as manifestações de 12 de março e não tem vergonha de perguntar

1. A manifestação é pela demissão de toda a classe política?

Não. Existe um manifesto, onde em parte alguma se fala de tal coisa. Leia-o.

2. Mas então quantas manifestações estão convocadas?

Várias, nas principais cidades portuguesas e mesmo junto a algumas das nossas embaixadas. Houve uma confusão com o grupo “1 milhão na Avenida da Liberdade pela demissão de toda a classe política”, o qual já emitiu um comunicado, esclarecendo não estar “de forma alguma ligado à organização do protesto “geração à rasca. Enquanto movimento livre e espontâneo de cidadãos, este grupo desde a 1ª hora se solidarizou com o protesto, divulgando e incentivando os seus membros participarem da manifestação do dia 12 de Março”

3. E o mail que por aí circula com uma série de reivindicações?

Circula por iniciativa de quem o escreveu. Não foi subscrito pelos organizadores das manifestações.

4. Os partidos políticos foram convidados e vão participar?

Os promotores dirigiram uma Carta aberta a todos os Cidadãos, Associações, Movimentos Cívicos, Partidos, Organizações Não-Governamentais, Sindicatos, Grupos Artísticos, Recreativos e outras Colectividades, e irá quem quiser participar. No meio da confusão gerada, era o mínimo que poderiam fazer até para se demarcarem da ligação com a tal demissão de toda a classe política.

5. É verdade que a extrema-direita está envolvida na manifestação?

No facebook aparecerem convocatórias para várias manifestações, e concentrações, algumas claramente conotadas com a extrema-direita. Têm um apoio irrelevante.

6. A manifestação é para que idades?

Dos 7 ao 77, digo eu. Embora convocada por jovens, o apelo à participação abarca todos, os que de uma forma apartidária, laica e pacífica se queiram manifestar.

Digo eu, que sou doutra geração e vou, acrescentando que ando nisto há muito tempo e sei que a minha geração nunca seria capaz de organizar um protesto desta envergadura, e desta forma autónoma e independente. A minha geração era capaz de fazer 427 reuniões e discutir o 25 de Abril, o 25 de Novembro, o sexo dos anjos, e mais umas tolices. Ainda lá estávamos.

Comments

  1. FRUTA says:

    SERÁ QUE TAMBEM LEVAM AQUELA BANDEIRA COM MUITAS CORES E VÃO CANTAR UM INO AO CARLINHOS
    ASSIM TAMBEM VOU


  2. Entrevista na Antena 1 de Maria Flor Pedroso a Alexandre de Sousa Carvalho, um dos organizadores do protesto geração à rasca:

    http://ww1.rtp.pt/antena1/index.php?t=Entrevista-a-Alexandre-de-Sousa-Carvalho.rtp&article=3262&visual=11&tm=16&headline=13

    Interessante.


  3. Por estarmos com um problema no servidor, foi preciso desactivar a possibilidade de comentar usando o Facebook. Por isso passámos os comentários deixados para este espaço
     

    Cristiano Toste10:22 am
    ja algum tempo pedi, aqui no fbk, desculpa a todos os portugueses e portuguesas de ter votado neste governo..vivi a angustia do facismo e da guerra colonial ate aos meus 20 anos..estava na tropa no 25 abril rasguei mundos de esperança votando para melhor soares v freitas do amaral .para fora barroso …socrates -saiu o tiro pela culatra…ai minha terra que tens bons papeis quimicos…..vou..que se faz tarde .

    Message
     

    Maria Del Mar Moura10:44 am
    alguem sabe a q horas e aonde e a manifestaçao amanha…. obrigada

    Message
     

    Antonio Victor Pegas11:03 am
    Vou!
    Tenho 61 , filhos e netos.

    Message
     

    Nuno Vasques11:03 am
    @ Cristiano Toste, Não tente levar a manifestação para aquilo que´ela não é! Eu também votei no Eng. Sócrates e não vejo motivos para pedir desculpa! Não gosto dele, mas o problema é esse, infelizmente a oferta não vale nada!!! Provavelmente um dos maiores culpados do estado em que “isto” está, é o Sr. que na sua tomada de posse, veio dizer aos jovens para que “façam ouvir a sua voz”!! Este Sr. esquece-se muito rapidamente das violentas cargas policiais do seu tempo, às pessoas que queriam fazer ouvir a sua voz!!!
    Eu concordo plenamente com o motivo do protesto (infelizmente não poderei participar), mas não façam dele, aquilo que ele não é; uma acção contra o presente Governo!!!… mal ou bem, ainda tenta fazer alguma coisa, visto que foi forçado, devido ao estado a que tudo chegou!!!

    Message
     

    Jose Lucena Pinto11:04 am
    Não sei se se referem á extrema direita banqueira, aqueles que nos roubam até ao tutano. Esses é que são os maus. Quanto a Nacionalistas; temos muitos ( como eu ) que apoiam a manif. POR PORTUGAL E MAIS NADA. Esta terra não é só previlégio de alguns. Nunca os Nacionalistas estiveram metidos em confusões. Perguntem ás autoridades

    Message
     

    Carlos Miguel Sousa11:08 am
    Parabéns João José Cardoso. O ESCLARECIMENTO é a única arma LEGITIMA na guerra de contra informação. Et pluribus unum

    Message
     

    Rui Filipe Nunes11:11 am
    Sei e sinto que a minha geração sempre foi (e com razão) conotada com a geração do “deixa andar”, do “os outros fazem”, do “deixar para amanha”. O protesto de amanha para mim já venceu por isso mesmo, pois pelo menos teve o condão de despertar consciências, de nos por a pensar no que somos hoje e no que queremos para amanhã. Eu vou.

    Message
     

    José Vitorino12:00 pm
    Excelente e esclarecedor. Obrigado.

    Message
     

    Artur Pires12:10 pm
    Pelos filhos, pelos netos e pelas gerações seguintes, serei solidário! Vós ireis fazer uma sociedade diferente.

    Message
     

    José António Rocha12:13 pm
    Tem de ser….Tambem sou Pai e muito à rasca….A minha mulher è precária e os meus filhos vão pagar….A censura anda ai, por isso não há liberdade…Estes è que são os Fascistas…….Hitler tambem era Socialista……..
     

    Carlos FonsecaMar 10
    Tudo sobre o 12 de Março

    Message
     

    Luis Viegas12:43 am
    Lá estarei CONCERTEZA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Message
     

    Alexandre De Sousa Carvalho2:39 am
    Não sei quem escreveu isto, mas OBRIGADO!

    Message
     

    Ana Sofia Igrejas2:53 am
    Finalmente alguém que comenta o protesto e está informado!

    Message
     

    Sérgio Vitorino3:41 am
    Partilhem!

    Message
     

    David Sacramento8:41 am
    Não posso ir porque sou precário e vou estar a trabalhar, mas os que forem gritem por mim bem alto. Estes FP´s instalados vão fazer tudo para que sejam os jovens a pagar a factura enquanto que eles não querem ver mexidas nas suas regalias.
      

  4. Rodrigo Costa says:

    … Infelizmente, acho que estou em condições de garantir que esta e outras —mesmo milhentas— manifestações não levam a modificação alguma; porque não são os políticos ou parte da classe política —para mim, toda— quem tem que mudar, mas as pessoas, na generalidade; por ser a mentalidade burguesa e de conluio, de promiscuidade, nepótica, que levou e leva a este estado de coisas —quando digo “burguesa”, não pretendo referir qualquer classe, mas todas as pessoas, que, independentemente da classe a que pertencem, são burguesas.

    Só para dar um exemplo: há gente que vem de táxi, e com dois telemóveis, receber as tais pensões mínimas, mesmo aqui, ao lado do prédio. São coisas que eu vejo, não que me contam.

    As pessoas protestam, por que não têm emprego, porque a vida está má; mas ficariam como sempre estiveram, enquanto a fartura parecia realidade indestrutível, e muitos outros advertiam para o que viria.

    A pergunta é: que valem as orações, na hora da aflição?… Pode, a aflição, promover a modança?… São séculos e séculos com registos de aflição… e a Humanidade não muda. Em Portugal, então, a eternidade é, de facto, infinita. Sabemos, hoje —embora houvesse quem suspeitasse, antes—, que o 25 de Abril foi um processo contra-natura, um nado-morto… que viria a falecer, porque nunca houve um projecto para depois.

    Não penso que o 12 de Março, como manifestação, transcenda os movimentos gerados em Abril de 74. O que saiu, daí?… Assaltos a casas e a propriedades, tomadas de empresas; assaltos a tudo o que mexia e estava parado; passagens administrativas e lugar a tudo o que fosse tolerância e facilidades. Pensamento… nada! O que mais se viu, foi lobos, misturados com todas as bandeiras; porque, acreditem, contam-se, pelos dedos, os idealistas. As manifestações são preenchidas, esmagadoramente, por oportunistas; por gente que espera encontrar a sua oportunidade.

    Quem acham que são ou de onde provêm as pessoas, agentes, que controlam as manifestações?… Acham que algum deles é filho ou irmão do Belmiro de Azevedo ou do José Sócrates, ou de outro qualquer, com influência na vida do País? Meus caros, quem vos vai vigiar e pressionar, se for necessário, são pessoas que pertencem às classes trabalhadoras; porque são sempre os trabalhadores que executam os projectos dos, agora, sim, burgueses; porque as pessoas, mais do que uma ocupação, querem emprego, querem sobreviver; e tornam-se, por isso mesmo, peças do xadrez.

    Essa é a base do sossêgo dos poderes, a necessidade. Se Sócrates vier à varanda e mandar tirar, à sorte, um dos manifestantes, convidando-o para jantar… ele vai. E se, durante o jantar, lhe prometer uma melhor posição, ele aceita-a, e acabará por vos dizer, à saída, que o homem até nem é má pessoa. Foi assim que muitos e muitos dirigentes sindicais “venderam” os direitos —excessivos, por vezes— conquistados.

    Em todas as revoluções, há, pelo menos, um pobre, entre os “traidores”. Mas há mais, porque há tarefas que os ricos não desempenham.

    O momento que vivemos é o do mediatismo; é o da necessidade, natural, de protagonismo. O problema é que o protagonismo não é pensado, não vem na sequência de projectos pensados… E aposto em como, na manifestação ou manifestações, estará ou estarão pessoas que participaram nos BigBrothers. Tenho a certeza de que haverá um ou outro incauto que dará corpo à antítese —a não ser que já se tenha suicidado ou esteja na cadeia.

    Quem é que, mesmo sendo bom político, pode encarar a missão muito a sério, se os princípios deixaram de ser a orientação, e qualquer advertência é tida por ingerência ou censura, porque se acha ser dever do Estado subsidiar todos os projectos, inclusive os que são promovidos por por pessoas em desequilíbrio e que hão-de desenbocar no precipício?…

    Aguarda-se que sejam criadas as “salas de chuto”, com rendas pagas pelo Estado, enquanto pessoas que trabalham vivem em condições miseráveis. Assiste-se à distribuição de sopas e de mantas a pessoas que correm para elas com sapatilhas Nike —não é uma força de expressão, eu vejo; há uma concentração, todas as noites, próximo do sítio onde trabalho. Só ainda não percebi —mas hei-de perceber— quais os benefícios das pessoas que se dedicam à distribuição; embora já me tivessem dito que a Segurança Social estará por trás disto.

    Infelizmente, começa a egotar-se a razão para a creditar nas pessoas, porque o que nos habita é o animal, é o Instinto. Do clero, da nobreza ou do povo… é por nós, indivíduos, que vivemos e lutamos.

    • Luís Bastos says:

      Um comentário com conteúdo, parabéns! Quando as pessoas perceberem de uma vez por todas que quanto melhor estiverem aqueles que estão à sua volta, melhores condições terão para crescer e desenvolver e este processo se tornará num ciclo. Mas para isso teria-mos de deixar de ser egoístas, mesquinhos e invejosos uns para com os outros.
      Será isto possível?

  5. 12 March 2011 - Peaceful Revolution in the World says:

    O REINO DOS PALHAÇOS CHEGOU AO FIM

    Enquanto houver governo, haverá luta de classes. O acto de governar é o acto de dominar exercido por uma classe sobre outra. Nascemos contra a ordem de miséria e de violência Capitalista, nascemos do desejo de igualdade e liberdade. O povo já foi enganado muitas vezes por falsos profetas oportunistas, e não adianta chamar o Estado que o oprime de Democrático, de Popular ou de Operário e Camponês. O povo continua sendo massacrado, excluído e usurpado de decidir sobre sua própria vida, de exercer sua própria liberdade, de produzir livre na terra, nas fábricas e oficinas, que são de todos, mas que enquanto houver um governo, haverá uma classe para usurpá-las.
    A Anarquia não é somente contra o Estado, e nem somente contra o Patrão, mas contra todas as formas de Privilégio de Poder. Combatemos todos os privilégios de cor, género ou herança. A hierarquia é o caos, a fonte máxima da tirania e da violência generalizada que vivemos.

    Pedro Barroso – 14.00 horas ( Portas da Gare do Rossio ) – 12 March 2011 – Peaceful Revolution in the World

    • orlando says:

      Com todo o respeito pelos anarquistas (alguns estiveram na fundação do meu Sindicato)e estou á vontade para o dizer, quando se fala na Luta de Classes ela existe sempre que existam explorados e exploradores, patroes e trabalhadores, os governos sao uma consequencia disso, que se tornam ainda mais preocupantes quando fazem a apologia de um estado social e depois deixam que o poder economico se sobreponha ao poder politico e governam para esse mesmo poder que o domina.

  6. Rodrigo Costa says:

    Peço desculpa, mas, apesar da extenção do anterior comentário, esqueci-me de referir as pessoas que não assinam os comentários com o seu nome ou que os assinam com outro nome, que não o verdadeiro. Há, inclusive, uma pessoa que assina como “bloguer convidado”, que já esclareceu que a a Admnistração do blogue sabe quem é, e que que acha que isso é suficiente; e que, pelos vistos, também vai fazer parte da manifestação. Eu pergunto: estas pessoas vão de máscra ou de cara tapada? Em que circunstâncias é que podem ser elas ou sentem que devem ser outras?… Que mudanças é que estas pessoas pretendem?… Haverá alguma manifestação que lhes valha?…

    Peço desculpa, uma vez mais, mas, quem não pode assumir-se, não se assuma; mantenha-se em silêncio, porque não assiste qualquer legitimidade reivindicativa.

    • Sócrates says:

      Caro Rodrigo Costa,

      Estou assinar como Sócrates… serei ele?

      “Olhe que não…”

      Cumprimentos,
      Sócrates


  7. Recomendou-se a quem participasse na manif d amanhã q escrevesse numa folha A4 as razões do seu descontentamento. para simplicar (se ainda não foi feito pela organização) eu proporia qq coisa como: a- identificar 1 ou 2 situações sobre a qual existe um descontentamento pessoal; b-1 ou 2 propostas/soluções/argumentos q possam contribuir para resolver essas situações. Seria interessante/importante q isto acontecesse para n corrermos o risco d cairmos no esquecimento e do sentido da manif se esvaziar por completo.
    A análise deste valioso material serviria de base para uma reflexão que culminasse na apresentação de um documento final público junto do Governo. Disponibilizo-me desde já activamente a contribuir para esta tarefa.

  8. maria monteiro says:

    jjc vou levar para o Facebook


  9. O que me preocupa é mais esta questão:

    7. É verdade que a extrema-esquerda está envolvida na manifestação?


    • Porquê? as pessoas têm lepra por serem de extrema-esquerda? Sei perfeitamente que gente ligada ao PNR vai estar amanhã onde eu vou estar, e não faltava mais nada que agora fosse prescindir dos meus direitos e deveres de cidadania por causa disso.

      • luis tenrinho says:

        Eu não tenho nada contra a extrema – esquerda, e acho que isso nao importa. Vamos todos lutar contra esta miseria de Estado, fomos imperiais e agora dependemos de outros para sobriviver isso é escandaloso. Com tanto mar com tantos campos, tinhamos alguma razão para depender de outros. Por exemplo a Alemanha manda em nós e diz – nps como e quando gastar o dinheiro?! Este socrates que é teimoso como uma mula e que teima em vender uma imagem de um pais rico, ao assinar contratos milionarios para TGVs !Para que? Eu não votei nele e sinceramente smos burros ou massoquistas pois já nos tinha mostrado o seu lado miseravel mas votamos nele novamente.
        Sim amanhã estarei lá como jovem não como precário ou desempregado pois trabalho num firma de segurança privada á 4 anos, estarei lá para lutar pelos os que nada fazem e recebem rendimentos minimos sejam ciganos, brancos ou negros se nao trabalharam ou nao querem trabalhar não merem estes rendimentos.Ainda este mês descontei 241 euros pra seg social e IRS não pra mim basta de ver gentinha que s´querem estar no café de perna cruzada isso é um insulto aos JOVENS QUE TRABALHAM par desenvolver este PAÌS !!!!!!!

    • Mercedes says:

      Depois de isto tudo, isso que o preocupa?
      Fique em casa…parece que vai chover…

  10. Jorge Castro says:

    Eu vou! Serão mais 59 anos a acrescentar aos enrascados. Espero que não haja cargas policiais que já não estou muito para correrias. Mas vou, claro que vou!

  11. Enrascado says:

    Boas. Só uma informação, a manif em Lisboa sai da Av. Liberdade em direção à praça Camões ou ao contrário?
    Obrigado


  12. À RASCA?
    Não dêem troco aos políticos e seus acólitos:
    eles virão a reboque desde que haja um movimento em torno dum novo paradigma social não consumista, em que o lucro deixa de ser o motor da economia, em que a bestialidade humana é condenada, em que a boa vida é rainha, em que a qualidade de vida é guia.
    Nessa altura lá estarei.
    JÁ LÁ ESTOU! e muito mais gente também, só que ainda não fazem cabeçalhos nem breaking news nos media.
    — E lembrem-se de exigir explicações acerca dos RASTOS QUÍMICOS que os aviões despejam por cima das nossas cabeças!
    (citadinos: lembrem-se de olhar para o céu de manhã, à tarde e à noite: roubaram-nos as nuvens!)
    — CRIEMOS MOEDAS LOCAIS INDEPENDENTES das falcatruas financeiras universais!
    — Criemos: comércio local de trocas!
    — Abaixo a indústria alimentar que nos envenena!
    — Abaixo a medicina das vacinas e dos medicamentos ao serviço do capital!
    — Viva as medicinas alternativas não invasivas!
    — Abaixo os alimentos trangénicos!
    — Abaixo os produtos tóxicos espalhados nos campos e mortíferos para o equilíbrio da terra, mares e ar!
    — Abaixo a criação industrial de gado, aves e peixes!
    — Abaixo o sistema educativo que estropia a imaginação infantil!
    — Abaixo a diplomacia da falsidade
    — Abaixo os media que nos servem violência, mentiras, obscurantismo e omissões sem fim!
    — Pela comunicação ao serviço da saúde mental e da DEMOCRACIA DIRECTA !
    — PELA DESPENALIZAÇÃO do canabis e de tantas outras substâncias inócuas e saudáveis que vão desaparecendo porque não interessam ao capital!
    SÓ SAÚDE!
    O exercício da VERDADEIRA normalidade e da simplicidade são
    R E V O L U C I O N Á R I A S ! ! ! !
    A BEM DA NAÇÃO!
    VP


    • Aqui está uma boa receita para se morrer de fome.

    • Rodrigo Costa says:

      …. Caro Vítor Pomar,

      … Esse é, exactamente, o problema: os políticos vêm atrás de todos os paradígmas. Há gente que começou por ser (?) de “esquerda”, que beneficiou da proximidade ou da integração no aparelho comunista, e que, depois de consumados os objectivos económico e de estatuto, foram atrás de outros paradígmas. Mas há, também há, os que vivem como nababos, com comportamentos de magnata e que teimam em afirmar que são de “esquerda”, e que até se mantêm próximos e no Partido —em quem, no meio da confusão, é possível fazer fé?…

      Depois do 25 de Abril, o paradigma aconselhado era o de “esquerda”. Com o tempo, depois de todos estes anos —ou nem tantos—, podemos perceber que a questão não é de “esquerda” nem de “direita”. Primeiro porque não há, de facto, ninguém de “esquerda”; há é quem, ingenuamente, pense ser; e há aqueles a quem dá jeito parecer que são. O problema é similar ao que se coloca, quando se fala de Monarquia ou República: é, apenas, uma questão de pessoas e do seu carácter, da sua formação; do seu entendimento do que é a Vida.

      Qual a diferença entre o cidadão comum e os políticos, sendo que, uns e outros, são pessoas suportadas pela única trave que as liga, o Instinto?… Será possível tornar a realidade mais fácil do que criar slogans? As pessoas necessitam da canabis, de tabaco, de alcoól —de qualquer outra droga—, por quê?…

      Que andaram a fazer, os “intelectuais” ou alguns “intelectuais; de que medraram?… Os que tinham acesso aos meios de comunicação; os que dispunham de espaços de divulgação, venderam-no, por dinheiro e por cumplicidade, por corrupção. Onde estão, agora?… Desaparecidos em combate. Vendido o elixir, envenenados os tolos, fecharam a barraca —ou alguém lha fechou. Esgotaram o tempo de serem úteis, de darem voz —pelo menos, também— a quem tinha alguma coisa séria para dizer. Sobra o quê?

      Por sugestão do Jorge Feliscorno. Ouvi a entrevista, feita pela Maria Flor Pedroso, ao Alexandre Carvalho. O “interessante”, com que o Jorge terminava o “apêlo”, soou-me a ironia. Penso que não me enganei. Ouvi um menino mimado, filho de famílias com possibilidades, com uma bolsa de estudo, a ganhar 900 Euros por mês, e a dizer que se sentia um privilegiado… Pudera! Como é que se consegue bolsas sem ser por “acompanhamento”, através do exercício de influência?…

      Porém, a sua luta não é, segundo ele, por ele, mas pelos que não têm os mesmos privilégios. Põe em causa a classe política, mas responde com cuidados políticos, essencialmente quando lhe é perguntado o que pensava do discurso de Cavaco Silva. Não foi capaz. Porque, digo eu, não quer hipotecar o futuro. Respondeu evasivo, como um político; incapaz de pensar pela própria cabeça, de pôr em risco a sua opinião, independentemente das consequências —quis promover a manifestação, para e por quê?!… Porque a tomada do poder começa, muitas vezes, por acções aparentemente inócuas; que podem e são, não menos vezes, confundidas com atitudes de altruísmo. Mas, não é por altruísmo, pelo interesse dos outros, que os políticos lá estão?…

      Não andaram —e continuam—, indivíduos com espaço na Comunicação, repito, a “vender “trangénicos”?… Qual a diferença, entre Democracia directa e indirecta, se, já hoje, elas coexistem; porque nem a indirecta funciona, nem a directa faz tudo o que quer, apesar da onda de incontinência que prolifera, daí o cortejo para o caos…

      E quando se fala em Anarquia, fala-se como se a Anarquia prescindisse do pensamento organizado; como se fosse possível viver sem regras. Os anarquista, no sentido lato do termo, não são às resmas; às resmas são os incontinentes, os que acham que se pode fazer tudo, a qualquer hora e em qualquer lugar.

      Há uma diferença, enorme, entre Anarquia e desleixo. Anarquia é dizer, poder dizer, que o último discurso de Cavaco Silva foi covarde, porque fora de tempo, já tarde; quando, como presidente, não tem futuro, para além deste mandato; quando não tem que fazer cálculos e contar as armas, por depender dos votos.

      O que o Presidente disse já eu lho tinha dito, em carta que lhe fiz chegar, em mão, deslocando-me, propositadamente, ao Palácio de Belém. Tê-la-á lido? Não sei, porque não me encontrei com ele. Naturalmente, não pude passar da portaria. Que alguém a leu, leu, porque, vá lá!, recebi uma carta a confirmar a recepção e a agradecer —sinceramente, nunca precisei de manifestações, para me manifestar; eu posso, sozinho, ir a qualquer lado, porque não tenho de desconfiar de quem me acompanhe.

      Não voto nem nunca votei, porque não acredito nas instituições. Não devo nada ao Estado, porque tenho vivido por minha conta… Mas tenho, porque tenho, a necessidade de observar os comportamentos de quem me cerca; exactamente por que sou anarquista, mas porque percebo que não se pode viver sem pensamento nem sem regras. A questão é: quem e como, em que contexto e que regras. E há, ainda, as regras que nos podemos e devemos impor, porque o nosso equilíbrio, o equilíbrio individual, mais do que do exterior, depende da qualidade da nossa consciência.

  13. josé fernandes says:

    Apesar dos meus quase 50 anos, dou o meu apoio, com a minha presença na manif. Depois do que ouvi hoje, das intenções da escória política que devora este País, sobre novas medidas para tramar quem trabalha, entendo ser meu dever expressar o meu direito à indignação. Tenho duas filhas e a angustia é muita quando me pregunto, que País, que futuro vou deixar para elas? Se o SIS (a nova PIDE, a PSP ou outra força ligada ao regime vigente lêr isto, pode vir à minha procura). A luta é alegria, camaradas!!!

  14. Regime à Rasca says:

    «Os principais líderes do manifesto ‘Geração à Rasca’ foram investigados pelas polícias SIS e PSP que assim se preparam para controlar e vigiar onze manifestações autorizadas amanhã, sábado.» http://ur1.ca/3gwds

    «CENSOS 2011: os falsos (embora reais) recibos verdes vão ser contabilizados como trabalhadores/as por conta de outrem»: http://fartosdestesrecibosverdes.blogspot.com/

    E por último, confirma-se o velho ditado «com papas e bolos que se enganam os tolos». Este Census não é nacional e após o tratamento de dados será partilhado com Bruxelas: http://ur1.ca/3gw4b


  15. Vou

    Não há uma geração à rasca.. há um país à rasca…. por causa de meia dúzia de boys … RASCAS

  16. Raul barros says:

    Se és um jovem português Atravessa a fronteira do teu País E parte destemido Na procura de um futuro com Futuro.
    Porque no teu País A Educação é como uma licenciatura Tirada sem mérito e sem trabalho Arquitectada por amigos docentes E abençoada numa manhã dominica.l
    Porque no teu País É mais importante a estatística dos números Que a competência científica dos alunos o que interessa é encher as universidades Nem que seja de burros
    Porque no teu País A corrupção faz parte do jogo onde os jogadores e os árbitros São carne do mesmo osso e partilham o mesmo tempero
    Porque no teu País A justiça é ela própria uma injustiça Porque serve quem é rico e influente Com leis democraticamente pobres
    Porque no teu País As prisões não são para os ladrões ricos Porque os ricos não são ladrões Já que um desvio é diferente de um roubo
    Porque no teu País A Saúde é uma doença crónica Onde, quem pouco tem É sempre colocado na coluna da despesa
    Porque no teu País Se paga a quem nada faz E se taxa a quem pouco aufere
    Porque no teu País A incompetência políticaé definida como coragem patriótica
    Porque no teu País Um submarino é mais importante que tu E o mar apenas serve para tomar banho E pescar sardinhas
    Porque no teu País Um autarca condenado à prisão pela justiça Pode continuar em funções em liberdade Passeando e assobiando de mãos nos bolsos
    Porque no teu País Os manuais escolares são pagos Enquanto a frota automóvel dos políticos É topo de gama
    Porque no teu País Há reformas de duzentos euros E acumulação de reformas de milhares deles
    Porque no teu País A universidade pública deixou cair a exigência E as licenciaturas na privada Tiram-se ao ritmo das chorudas mensalidades
    Porque no teu País
    Os governantes, na sua esmagadora maioria
    Apenas possuem experiência partidária
    Que os conduz pelas veredas do “sim ao chefe”
    Porque no teu País O que é falso, dito como verdade, Sob Palavra de Honra ! São votos ganhos numa eleição
    Porque no teu País As falências são uma normalidade O desemprego é galopante A criminalidade assusta O limiar da pobreza é gritante E a venda de Porsches … aumenta
    Porque no teu País Há esquadras da polícia em tal estado Que os agentes se servem da casa de banho Dos cafés mais próximos
    Porque no teu País Se oferecem computadores nas escolas Apenas para compor as estatísticas Do saber “faz de conta” em banda larga
    Porque no teu País Se os teus pais não forem ricos Por mais que faças e labutes Pouco vales sem um cartão partidário
    Porque no teu País Os governantes não taxam os bancos Porque, quando saírem do governo Serão eles que os empregam
    Porque no teu Paí sÉs apenas mais um número Onde o Primeiro-Ministro se chama Alic eQue vive no País das Maravilhas
    Mesmo ao lado do teu.
    Foge !
    E não olhes para trás !

    Raul Barros

  17. Raul Barros says:

    DE TANTO VER TRIUNFAR AS NULIDADES, DE TENTO VER CRESCER AS INJUSTIÇAS, DE TANTO VER AGIGANTAR-SE O PODER NAS MÃOS DOS MAUS, O HOMEM CHEGA A DESANIMAR DA VERDADE E A RIR DA HONRA PARA TER VERGONHA DE SER HONESTO

  18. orlando says:

    ESPERO QUE DIA 19 LÁ ESTEJAM TODOS, PARA AI TAMBEM LUTARMOS EM CONJUNTO CONTRA A PRECARIEDAE O DESEMPREGO, OS BAIXOS SALÁRIOS, E POR TUDO O QUE NOS PROPORCIONE UMA VIDA MELHOR E MAIS DIGNA


  19. APOIO!!!!!!!!!!!!!!!!+1
    e tu?

  20. woopon says:

    Protestem lá como se a culpa fosse toda do governo…


  21. Sim, estou totalmente de acordo! O problema é mundial, o sistema económico mundial não funciona. E isto está entregue às grandes corporações, os políticos já não mandam nada.
    Mas sou a favor do protesto, a quem nós votamos, tem que defender o interesse do povo e tal não acontece. Também já reparei, que não existe um politico neste pais, que tenha uma solução para que saiamos do abismo. É caso para dizer”Eles falam falam e não dizem nada!”…
    Força a luta continua… vamos todos para a rua!!!

  22. jacky says:

    Força Jovens mostrem a vossa revolta, mas não esqueçam que o problema está na promiscuidade que se instalou no País, e cada vez se cimenta mais, mal empregado o tempo e energia que dei pelo 25/4/74, pois já nessa altura, apesar dos sonhos populares, já se desenhava o sistema que nos arrastou até aqui. Já tenho uma idade pouco aconselhável para estar junto de vocês mas estou totalmente do vosso lado.FORÇA

  23. jose carvalho says:

    toda a gente fala de economia mas não da pré economia que são as empresas, razão da sua existência?

    Onde está o estudo sério da oferta do mercado de trabalho no nosso país, sem o qual nada se pode pensar sobre o futuro?

    Onde está o mesmo por actividades, especialidades , tendências e regiões
    comparado por meses e anos?

    Para quê as “conversas em familia” televisivas para jovens, onde eminentes senhores pardos fazem a quadratura do circulo para defenderem o tacho com unhas e dentes?

    Não bradam aos céus, bradam aos infernos, por lhes porem os neuróneos a caminhar à velocidade da luz na esperança de encontrarem um qualquer caminho sem que nem uma luzinha ao fundo do tunel consigam ver.

    este comentário serve para acrescentar ao que lhes enviei ontem

    Também como ontem continuo velho e a dar-lhes o meu incondicional apoio

    felicidades

    jose alvaro de carvalho

  24. Duarte Branco says:

    Estou feliz por este mar de gente livre pelas avenidas deste país à rasca. .. Mas, infelizmente não posso deixar de estar triste pela minha cidade. Aqui em Coimbra éramos não mais de 200 (no caminho vi mais, jovens, embatinados e embriagados numa qualquer festa da praxe e perfeitamente alheados do que se passava ali a 100 metros) e mais os “velhos” quarentões que os jovens. Aparentemente, aqui é um outro país, acomodado, laico e socialista que me deixa vontade de ir morar para outro lado. A minha opinião vale pouco mais que nada, mas perante a festa de liberdade que desce a avenida, hoje tenho uma vergonha imensa da minha cidade. ..

  25. Fernando Adao da Fonseca says:

    Aqui vai uma proposta concreta. Exige ser bem percebida. Não quero maçar ninguém, mas pelo menos ficam seguros de que estou a propor algo que foi muito meditado. Está em http://pt.scribd.com/doc/34665089/Estado-Garantia-O-Estado-Social-do-seculo-XXI.

  26. Antonio batista santos says:

    GERAÇAO A RASCA,OU FILHOS DE GENTE BRANCOS DE PRIMEIRA,A PROCURA DE NOME USANDO OS PEQUENO POVO,O VOSSO MANIFESTO DIZ TUDO,EU POR MIM SOU CONTRA MANIFESTAÇOES, GREVES E CRITICAS BARATAS,NAO ACREDITO NESTA DITADURA DEMOCRATICA,NEM NOS PARTIDOS,NAO ACREDITO NESTE SISTEMA DE ELEGER TUTORES PARA NOS GOVERNAR,NAO ACREDITO NUM MUNDO QUE SO BRILHA PARA MEIA DUSIA DE PESSOAS,O SOL NASCE PARA TODOS TODOS OS DIAS PORQUE RASAO ,ENTAO PERMITE DEUS QUE ISTO ACONTEÇA:1ºDEUS CRIOUNOS LIVRES,DEUS QUIS GOVERNAR O POVO DE ISRAEL E GOVERNOU ALGUM TEMPO,MAS O PROPIO POVO PEDIU UM REI DE CARNE,HOJE SOFREMOS O CASTIGO DE SERMOS GOVERNADOS POR TUTORES,E AU CONTRARIO DOQUE TODOS PENSAM NAO E VONTADE DE DEUS QUE ASSIM SEJA,A DEMOCRACIA TERIA SER FEITA PELO POVO AS LEIS DITADAS DIRECTAMENTE PELO POVO,E OS POLITICOS GOVERNAREM SEGUNDO A VONTADE DO POVO,E NAO O POVO SER GOVERNADO PELOS POLITICOS AO SABOR DE CANAS AGITADAS PELO VENTO,ACUSAM O FASCISMO MAS ESTOUNOS A TIRAR O BOM LEGADO POR ELES ISTO E QUE E VERDADE,NAO VEJO NINGUEM LUTAR PELA DEMOCRACIA MAS SIM POR SI PROPIOS,A DEMOCRACIA NAO E PARA TODOS OU QUASE NINGUEM E SO PARA AQUELES QU TEEM ESPIRITO E PURO,SO A UMA SAIDA DESTE SOFRIMENTO A VERDADEIRA DEMOCRACIA,E PARA A COQUISTAR A QUE FORMAR UM PROGETO PURO COLHER ASSINATURAS DA MAIORIA DOS PORTUGUESES E CRIAR CONDIÇOES PARA FORMAR UM PARLAMENTO NAO POLITICO NAO ESECUTIVO MAS SIM CONSULTIVO E FISCALIZADOR AONDE A VONTADE DO POVO SEJA BEM EXPRESSA,PARA SER RECTIFICADAS AS LEIS,A ULTIMA PALAVRA DEVE SEMRE PERTENCER AU POVO.DBN

Trackbacks


  1. […] mais importante – repito ainda, e tal como se pode ler em Tudo o que quer saber sobre as manifestações de 12 de Março e não tem vergonha de perguntar: 6. A manifestação é para que idades? Dos 7 ao 77, digo eu. Embora convocada por jovens, o apelo […]


  2. […] Ideias, propostas, sugestões? Nada. Parece que foram recolhidas hoje, em folhas A4. Parece que vão ser entregues na Assembleia da República. Alto! Perdão, vão ser entregues onde? Na Assembleia da República. A partidos políticos? Ah… está bem. […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.