A caminho de Dublin (faltam 5 dias)


A gastronomia não é propriamente um dos melhores cartões de visita da Irlanda e dos países que compõem a Grã-Bretanha. Jacques Chirac chegou a dizer uma vez, referindo-se à Inglaterra, que um país que não tem gastronomia não merece qualquer consideração.
Assim, não admira que a maior especialidade de Dublin seja o Fish and Chips, ou seja, Peixe com Batatas Fritas. Trata-se de um filete de peixe frito, envolvido num polme e vendido, juntamente com as batatas fritas, numa folha de jornal.

Em Dublin, o Leo Burdock é o restaurante mais famoso no que diz respeito ao Fish and Chips. Sem lugares sentados, é já um lugar mítico devido aos nomes famosos que passaram por lá: Kate Moss, Rod Stewart, Naomi Campbell, Bruce Springsteen, Tom Cruise, BB King, Edith Piaf e muitos mais. Enrole-se o peixe e coma-se no agradável largo da Christ Church, que fica mesmo ao lado.
Já que falamos de comida, aconselho o pequeno-almoço irlandês. Quase todos os hotéis permitem optar pelo continental, mas comer bacon com ovos, feijão e salsichas às 8 ou 9 da manhã é uma experiência a ter em conta.

Comments


  1. Aprovado! A minha cara-metade é que quase ia tendo um treco ao ver-me a avantajar-me a um pratinho desses logo pela manhã 😀 (não foi na Irlanda, foi durante uma visita a Oxford)

    Mas é do melhor! Tirando isso e os Sausage Rolls, a comida é pra esquecer 🙂

  2. Ricardo Santos Pinto says:

    E a minha cara-metade mandou vir e não conseguiu comer, por isso comi o meu prato e comi o dela…


    • Eu não tive essa sorte, ela já sabia de antemão e portanto, foi directamente pros suminhos e torradas … 🙂

  3. Manuel Duarte says:

    Descupe lá, mas fish & chips na Irlanda é considerado uma “inglesice”. Não é que a comida tradicional seja grande coisa, mas se quer comer tradicional, vá a qualquer pub em Temple Bar e peça bacon & cabbages (isso mesmo, bacom com couves cozidas) ou shepherds pie (um mero empadão de carne). Já agora experimente um bom bife e vá ao bad ass cafe de Dublin. Qaunto ao pequeno almoço, o pequeno almoço irlandês tradicional não leva feijão, mas não pode faltar white ou black pudding (ou seja, morcela). Mais uma vez o feijão tem mais a ver com os ingleses. Quanto ao resto e já que o meu clube não vai à final que ganhe o melhor e que o melhor seja o Braga.

    • mariazeca says:

      Completamente de acordo, excepto mesmo com a última palavra. 🙂

  4. Ricardo Santos Pinto says:

    Até pode ser verdade o que diz, Manuel Duarte, mas também é verdade que a generalidade dos hotéis de Dublin serve o pequeno-almoço que está na foto, entre os quais o hotel onde pernoitei. E o «fish and chips» até pode ser uma inglesise, mas há muitíssimos retaurantes em Dublin que o vendem, entre os quais aquele que referi e que é famoso em toda a Europa.


    • O Manuel Duarte tem toda a razao. Os hoteis em Dublin servem o que as pessoas querem comer e geralmente ou sao continentais ou ingleses. O Leo Burdock e uma chafarica em Rathmines, mas vale ir la so pelo valor de curiosidade. Em qualquer pub, nao sendo necessario ser em Temple Bar, come um excelente bife grelhado com trimmings, ou uma guiness pie ou ate, porque nao, um rack of lamb. Fora dos pubs aconselho o presunto assado. Peixe tem o salmao grelhado (sem ser de aviario, porque tambem o ha). De resto a cozinha de restauracao em Dublin e internacional – nao se deixe levar e pelos guias turisticos que como sabe, podem nao indicar a melhor relacao qualidade/preco. De resto, desejo-lhe uma excelente estadia em Dublin.

      • Manuel Duarte says:

        Claro que a oferta de restauração em Dublin é variada e internacional e, mesmo fora de Dublin mas a pouca distância por comboio (condado de Kildare por exemplo), consegue encontrar algumas country houses com uma cozinha de qualidade internacional (mas os preços, meu Deus, os preços). Já agora, quando eu vivia na Irlanda (que não em Dublin) existia até um restaurante português em Temple Bar (perto do Bank Of Ireland), chamado de Little Lisbon. Quanto ao resto, encontra de tudo: espanhóis, frances, chineses, enfim é só escolher. Desde que, para os que gostam, seja acompanhado por uma Guinness (e até não é tanto o meu caso, que perfiro Murphys).

  5. Ricardo Santos Pinto says:

    Obrigado, mas desta vez não vou poder ir. Quando lá estive, em 2006, não fui via roteiros turísticos, fui pela Ryan Air e eu próprio marquei o hotel. Não sei como é agora, mas na altura comer num restaurante era caríssimo – completamente fora de hipótese para mim. Gostava muito de ter experimentado uma das vossas sugestões. No Temple Bar, infelizmente, foi só cerveja mesmo.


    • Sim, de facto os precos eram (e ainda sao) bastante mais altos que o equivalente em Portugal. Nao sei se a questao se pode por do lado Irlandes ou do lado Portugues (sei, mas nao queor entrar por ai)…para quem vive ca, ja e um habito que infelizmente sofre um choque de cada vez que se volta a terra-mae de ferias. Mas enfim, talvez se possa argumentar que se deixou a terra-mae por essas mesmas razoes. Quando ca vier outra vez, deixe uma mensagem que talvez de para nos encontrarmos.