O corpo de Bin Laden

Bin Laden era, nos dias que correm, uma espécie de ex-presidente de uma grande multinacional na reforma, com a dificuldade acrescida de ter os movimentos limitados, as comunicações controladas e parte do mundo a tentar localizá-lo. Em abono da verdade, Bin Laden era, actualmente, quase inofensivo.

Para além de questões religiosas que envolvem a forma de tratar um cadáver islamita, que não discuto, existem aspectos que importa considerar. Um deles, talvez o mais importante, tem a ver com a força simbólica do corpo de Bin Laden. Desse ponto de vista parece-me evidente que o corpo morto de Bin Laden seria hoje bem mais importante do que o corpo vivo na sua última condição de refugiado. Quero dizer, se se soubesse exactamente em que local se encontram os restos mortais de Bin Laden, esse local passaria a concitar ódios e amores extremos e extremistas, seria sempre um lugar de elevada sensibiliade e com gente disposta a aproveitar-se do facto para os piores motivos.

Por outro lado, Bin Laden prisioneiro e julgado num tribunal internacional, readquiriria  também uma força simbólica que actualmente não possuía e as consequências de tal processo seriam absolutamente imprevisíveis no que se relacione com o aumento do terrorismo e das várias radicalizações fundamentalistas.

Suponho que a própria exibição das imagens de Bin Laden morto não acabará com todo o tipo especulações e teorias de conspiração. Tal como aconteceu com muitos ícones da cultura popular, Bin Laden, ainda que falecido, vai continuar a andar por aí.

A Festa das Cruzes em Barcelos (4)

Barcelos das suas 89 freguesias (ainda há tempos descobri mais uma) teve hoje o seu feriado municipal.

Real de Madrid roubado mais uma vez em Barcelona

O Real de Madrid não pode jogar contra o Barcelona sem ser roubado. Não está aqui em causa o valor de cada uma das equipas, mas o condicionamento do  jogo e do resultado por influência directa das arbitragens.

Uma falta inexistente na primeira falta assinalada a Di Maria em situação potencialmente perigosa para o Barcelona, um golo muitíssimo mal anulado a Higuain, cartões amarelos estrategicamente mostrados, faltas assinaladas -ou não- com critérios distintos, fizeram com que o campo se inclinasse em desfavor do Real.

Mourinho tem razão, o Real está proibido de ganhar ao Barcelona.

Futebol é outra coisa. Em Futebol, com uma bola redonda e um campo plano, até o Barcelona estaria sujeito a perder.

Agradar a “gregos” e “troicanos”

Por tróica entende-se um conjunto de três pessoas que visam um ou vários fins políticos em acção concertada. Mas significa, também, em russo, trenó puxado por três cavalos.

Agrada-me mais a vertente do trenó, que sempre dá a esperança de ser algo que vai dar algum tipo de impulso ao nosso país. Mera ilusão, é certo, porque não é para isso que os “troicanos” estão cá. Eles estão cá porque vemo-nos “gregos” para pagar aos nossos credores. E, em boa parte, porque não queremos abdicar das nossa guerras partidárias estéreis, com cartas de desamor à mistura, ou de estatutos e sinecuras que delapidam o Estado e seus recursos, entre outros mimos que têm minado a nossa República.

Até aqui, tivemos a Líbia, o casamento real e agora até a morte de Bin Laden (dizem que está morto, dizem …) para entreter a rapaziada, mas parece que a lista da cura de emagrecimento para a nossa obesidade insolvente já está na calha.

Agradar a “gregos” e “troicanos” não vai ser nada fácil.

A mensagem de Sócrates ao país sobre a ajuda externa

Nota: Se procura a tradução do  ‘Memorando do acordo estabelecido com o FMI-BCE-CE’, siga este link.

 

Citando de memória, foi isto que Sócrates disse ao país:

Governo chegou a acordo hoje. É um acordo que defende Portugal. A imprensa andou a dar notícias especulativas. Não há mexida no subsídio de férias nem de Natal. Não há mais cortes na FP. Não é reduzido o salário mínimo. Cortes nas pensões a cima dos 1500 €. Aumento das pensões mínimas. Não é precisa revisão constitucional. Não há privatização na CGD. Não há despedimentos na FP. Saúde continua tendencialmente gratuita. Mantém-se a escola pública. Não é privatizada a SS. Nem alterações nas idades da reforma.  Ainda não pode adiantar detalhes [Se não é completo qual é a credibilidade disto?].

As principais 5 medidas são:

[Read more…]

Dia complicado para os pavões

The Dead PeacockSócrates vai falar ao país em S. Bento. No mesmo local onde deu à TVI a última entrevista. Dia complicado para os pavões.

 

[Read more…]

Vai anunciar que se vai demitir…

ups, isso já ele fez.

 

o pecador calimero

(imagem republicada)

A finura e a delicadeza de um Bastonário

Manuel António Pina, que por acaso é um dos maiores portugueses vivos, acusou o Bastonário da Ordem dos Advogados , na sua habitual coluna de opinião do JN, de ter sede de protagonismo, ainda a propósito da «greve» às eleições de 5 de Junho.
Marinho e Pinto, respondendo ao nível a que nos habituou, chamou-lhe cretino (8 vezes), medíocre, megalómano, desonesto, canino (mais as variantes caniche e mastim), ocioso, parolo, frustrado, desesperado, senil, rancoroso, complexado e cobarde. Termina por dizer que ele precisa é de uma boa dose de iodo, recorrendo a um trocadilho especialmente inspirado: «Vá para uma boa praia e… ioda-se!». Calcula-se que o imperativo do verbo ioder.
Com a sua habitual fleuma, Manuel António Pina lá teve de responder à caricata personagem que «tenho um princípio de sobrevivência na estrada que consiste em dar sempre prioridade a um camião destravado (ainda por cima, este vê-se bem que faltou a alguma inspecção). Meto, pois, travões e ele que passe. É certo que, na sua fúria em contramão, o camionista atropelou repetidamente, provocando-lhe traumatismos vários, a pobre gramática da língua portuguesa. Mas gramática e ele que se entendam. Eu não me queixo. Podia ser pior, sei lá se o homem tem tomado a medicação.»
Li algures que Marinho e Pinto desta vez ultrapassou todos os limites. Não, não concordo. O decoro e a educação de Marinho e Pinto não conhecem limites. Digo eu, que sou um cretino…
Mas como a crónica de Marinho Pinto no JN, «Um cretino é um cretino», é absolutamente imperdível, aqui fica na sua totalidade:

«Comecemos por onde estas coisas devem começar: o escriba que diariamente bolça sentenças nesta página e que dá pelo nome de Manuel António Pina é um refinado cretino. Posto isto, assim, que é a forma honesta de pôr este tipo de coisas, nada mais haveria a dizer. Citando um treinador de futebol dado a elucubrações epistemológicas, «um vintém é um vintém e um cretino é um cretino». E… Pronto! Estaria tudo dito. Além disso, só se MAP não fosse tão cretino é que valeria a pena mostrar-lhe por que é que ele é tão cretino.

Não costumo responder a cretinos. Mas, correndo o risco de este, como todos os outros, se tornar ainda mais agressivo, vou abrir uma excepção e descer ao seu terreno para lhe responder com as mesmas armas que ele tem usado contra mim, até porque este é um cretino especial, do tipo intelectual de esquerda. [Read more…]

Uma Troika Atrasada e Desatinada

Será do clima, da água ou de alguma coisa que por cá se põe na sopa, mas os símbolos da pontualidade e da eficiência adquiriram rapidamente características de nativos, tal e qual os emigrantes portugueses no Luxemburgo.

Então não é que a troika anda atrasada e desentendida, desconversando da raiz à ponta dos cabelos, sem acordo interno -entre si mesmos- que possibilite o tal acordo externo? Ora, para ficarem assim, bem podiam ter permanecido em casa, isso fazemos nós melhor do que eles sem a ajuda de ninguém. Em matéria de atrasos, desacordos e desconversas nós somos os mestres e os rapazinhos estagiários.

Não tarda vêmo-los aterrar na Portela com fatos de astronauta, a beber Perrier e com rações de comida liofilizada nas pastas de executivo. Ou, então, começamos a exportar clima, água e sopa para todos, da Grécia à Finlândia. Uma europa ao nosso ritmo é melhor do que uma a várias velocidades e sempre diminuímos, por essa via, o raio da dívida externa.

Sustentar um burro a pão-de-ló

Não João Miranda, desconhecia a história do cavalo inglês. Obrigado.

Em troca da gentileza tenho a história do burro (do) espanhol: o animal a quem o dono deixou de dar de comer para que aprendesse a não ter fome. Foi emagrecendo, emagrecendo, até que se finou. Tal e qual o estado que não cobrou impostos com medo que os grandes contribuintes fossem a trote para a Suiça.

São parecidas? São. Mas o burro tinha sido criado não com palha, mas com  pão-de-ló.

Claro que as boas parábolas dão para os dois lados, tal como os bissexuais. Albarde-se pois a parábola o burro à vontade do dono…

Osama Bin Laden e as virgens

osama bin laden e as virgens, Osama Bin Laden, virgens, corpo à água, sepultar do corpo

Corpo de Bin Laden foi lançado ao mar

O viúvo alegre – fantasia barroca

A Viúva Alegre, de Franz Léhar

Narra a ópera A Viúva-alegre, a história de uma mulher que, para não sentir pena pelas tristezas da vida, se diverte: pinta-se, as suas roupas são coloridas, ama sem parar nem dar por isso ou propositadamente. Como as suas roupas, os seus amores são de sentimentos trepidantes e usa a artimanha do barulho para chamar a atenção. Conforme a sociedade manda devia estar vestida de preto, a cor do martírio do luto, a quem falece um marido amado. A ópera tem um autor, Franz Lehár (Komárno, 30 de Abril de 1870Bad Ischl, 24 de Outubro de 1948) foi um compositor austríaco de ascendência húngara, conhecido principalmente por suas operetas. Ele foi um dos maiores compositores da Áustria.

[Read more…]

Arranja-se já um!

Falta só um milagre a João Paulo II para ser Santo

Mas ainda não fugiram todos?

O João Miranda acha que os bens móveis, se forem taxados, fogem para a Suiça.  Quando se fala em cobrar ao capital, puxam logo da Suiça. Assim de repente:

“Uma tristeza”. Foi assim que Bagão Félix qualificou a proposta do PS de divulgação dos rendimentos brutos dos contribuintes na internet, alertando ainda para o “sério  risco da fuga de capitais”.  3. 02.10

ou mais ameaçador:

Uma intervenção do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do fundo de estabilização europeu em Portugal iria provocar a fuga de capitais para o exterior, alertou ontem Ricardo Salgado. 01.02.11

Donde ainda haver bens mobiliários em Portugal é um fenómeno surpreendente: pelas ameaças costumeiras, os ditos já deviam ter fugido todos. Ou então no meio disto tudo temos um banqueiro lúcido, e um já é fenómeno:

O presidente do Banco BPI garante que a tributação das mais-valias bolsistas não irá levar à fuga de investidores. “Não é a tributação das mais-valias a 20% que vai afastar investidores do mercado de capitais. O que pode afastar investidores é termos um défice da balança de transacções correntes de 10%, é termos a dívida pública e a dívida externa nos valores que temos”, frisou Fernando Ulrich. “Se os investidores acreditarem que podem ganhar não é por pagarem 20% que vão deixar de investir“, acrescentou. 24.04.10

Cinema na Casa Branca

40 minutos nem dá um episódio do 24 Horas.  No 24 Horas não espreitavam assim, da porta, mas tirando isso está parecido. É uma excelente foto do fotógrafo oficial da Casa Branca, com um Obama pequenino mas iluminado ao fundo, a mãozinha na boca da secretária de estado a dar o toquezinho de ansiedade, uma moldura de homens de braços cruzados, e ficamos a querer ver o que eles estavam a ver.

Estamos todos à espera da estreia. A execução de Bin Laden. Sem o Jack Bauer, suponho. Num Youtube perto de si.

Confirma-se, é o ADN do Bin Laden

confirma-se é o ADN do bin laden

Bin Laden: Análise de ADN confirma morte – responsável norte-americano à AFP

A Festa das Cruzes em Barcelos (3)

Ir ao concerto do Toni Carreira é melhor que ir à missa.

O imposto sobre o património mobiliário e o economista Louçã

Louçã apresentou o que ele afirma ser uma solução para os problemas do país. Sendo economista, os erros grosseiros não poderão ter sido desconhecimento, logo terá sido demagogia. Surpresa! E de que erros falo?

  • As acções distribuem dividendos e estes pagam imposto (21.5%). Portanto, é errado falar de ausência de tributação dos lucros em bolsa.
  • Quem investe no mercado de capitais, fá-lo com o dinheiro que sobra depois de se ter pago impostos (IRS, IRC, etc.) e as mais valias que forem geradas ainda vão pagar mais impostos.
  • Para as empresas, o mercado bolsista é uma forma de conseguirem financiamento sem ter que recorrer à banca. É mais barato do que recorrer ao crédito, logo faz sentido tornar o mercado bolsita mais atraente e não o contrário. A alternativa consiste em pagar juros à banca, mas isto já deve ser positivo…
  • Finalmente, para quem tiver mais de um milhão de euros prontinho a levar com impostos, há sempre a Suíça. Em vez de se procurar a poupança nacional, incentiva-se a fuga de capitais para o estrangeiro. Muito bem!

Claro que estes argumentos não resultam tão bem na campanha como dizer “nós vamos fazer os ricos pagarem impostos”, mas não se pode ter tudo, pois não?

suiça

A chapelada dos media.

A ideia de que a Comunicação Social existe para salvaguardar a Liberdade, para defender os Direitos Humanos, cai por terra quando se percebe a dimensão do logro da manipulação da imagem sobre a morte de Bin Laden. A Comunicação Social existe para isso mesmo, para manipular, para especular, para enganar. E por detrás de uns tontinhos que saem das escolas de jornalismo a pensar que vão salvar o mundo pela notícia, está o bonecreiro que idealiza um outro mundo, mais de acordo com as suas regras e com as regras de um ou outro grupo de homens bastante mais inteligentes do que os aprendizes de frases feitas. De resto, o dito jornalismo “independente” é tão ou mais independente consoante sobem ou descem as audiências.

%d bloggers like this: