Memorando da troika: Governo engana os portugueses

Para grande surpresa, o memorando da troika que foi primeiro divulgado apenas em inglês e que o Aventar traduziu não é aquele que posteriormente foi assinado pelo governo na reunião do ECOFIN duas semanas depois. Existe uma segunda versão do documento e esta é que foi assinada pelo governo.

Diferenças:

  • Alterações menores (?) de calendário [Público]
  • «As empresas municipais e regionais passaram a ser mencionadas especificamente, ao contrário do que acontecia no documento original. Ainda que com prazos mais alargados, estas empresas a cargo das Câmaras Municipais e regiões autónomas vão ser sujeitas ao mesmo tratamento que as empresas tuteladas pela administração central.» [Expresso]
  • Concurso para nova licença UMTS/3G à qual não poderão concorrer os actuais operadores [Negócios]
  • As alterações à Taxa Social Única (TSU) têm de estar preparadas com um estudo a a concluído até Julho deste ano  o que significa, segundo Passos Coelho, que o governo já tenha decisões tomadas neste momento [ionline]
  • Alterados prazos para mudanças no regime de indemnizações por despedimentos [Público]
  • Alterações ao regime da contratação pública foram adiadas três meses [Negócios]

Como se tudo isto já não fosse mau, escreve o Negócios:

[Read more…]

Tratado de Semiótica da Imagem

O que vê nesta fotografia?

 

Passos Coelho e a Democracia

 

Ao longo destes anos de Democracia têm-se conhecido os mais variados tipos de políticos e têm-se assistido aos mais variados dislates. Nem vale a pena fazer-se o rol das asneiras – dava um livro! – basta recordar, a título de exemplo divertido, o expressivo “bardamerda” do defunto almirante Pinheiro de Azevedo e o discurso de tomada de posse do Pedro Santana Lopes. Foram momentos de enorme gozo e hilariedade. Houve – e há – nesta matéria de políticos, um pouco de tudo. Uns mais fleumáticos, outros mais emotivos, até mesmo coléricos. Todavia, no meio de tantas personalidades e de tão distintas idiossincrasias, não creio ter havido – pelo mesmo que me lembre – nada de comparável ao desastrado Pedro Passos Coelho. A sucessão de erros e equívocos são contínuos e exemplares. Nunca, em tão pouco tempo, um político se desacreditou tanto. Ainda ontem, informado Francisco Louçã sobre a surpreendente posição do líder do PSD acerca da IVG, reagia este, irónico, à comunicação social: “Ai o Dr. Passos Coelho disse isso esta manhã?! Então à tarde já muda de ideias!”. E foi. À tarde já o líder do PSD amansava a posição sobre um referendo e suavizava o motivo de ter abordado o assunto, desculpando-se com o facto de uma entrevistadora lho ter perguntado. E ele, na modéstia das suas próprias palavras “que é um homem de enorme franqueza”, lhe ter confessado o que pensava. Ignorando-lhe a sinceridade o facto de estar a responder aos seráficos microfones da Rádio Renascença… e pelas razões que toda a gente percebeu. Entretanto, à noite, não fora o dia suficientemente conturbado, pegou-se-lhe outra vez a asneira à franqueza e vá de desancar no Pacheco Pereira acusando-o de “semanalmente fazer campanha contra o partido”. O que até nem é de todo mentira, só que confunde o partido com ele próprio e não era a ocasião indicada de o dizer. O que lhe vale, para já, por parte do Pacheco ofendido o epíteto de… “caluniador”. Já hoje, depois dos incidentes ocorridos num comício do PS de ontem à noite, incidentes esses que contaram com a presença de elementos ligados ao PSD como foi noticiado pela TVI, em vez de se demarcar claramente do ocorrido condenando de forma inequívoca comportamentos atentatórios da liberdade de reunião e de expressão, limitou-se ao sacudir a água do capote num simples “lamentar o sucedido”. Mais! Ainda veio implicitamente verberar o comportamento policial, tentando adoçar as provocações e o comportamento dos provocadores, travestindo-os em “manifestantes”, coitadinhos, vítimas do excesso de zelo policial. Será que Passos Coelho nunca ouviu falar em ordem democrática? Ou, tendo ouvido falar, não sabe o que esse conceito significa? Terá saltado para a história directamente do 24 de Abril? Assim não vai lá. Era o que (nos) faltava!

Televisões condenadas a realizar debates, só falta os partidos quererem

Já se sabe que os pequenos partidos querem debater. Têm razão, sem debate nunca deixarão de ser pequenos partidos. A questão é se os partidos com assento parlamentar aceitarão o repto. Apesar da notícia dar um belo título, a não ser que algum dos grandes partidos surpreenda, é de crer que as televisões não terão muito que se preocupar.

Renegociação da Dívida: mais um

O número de pessoas que favoráveis a renegociação da dívida portuguesa tem crescido e tende a aumentar. Para muitos, a actual situação é insustentável e estamos perante o tipo de tratamento que mata o doente. Questões de justiça (se os juros e demais obrigações são justos ou injustos) também são para aqui chamadas.

Sabemos já da posição de PCP e BE em relação ao assunto. Agora junta-se-lhes Boaventura Sousa Santos.

O Aventar tentará ir acrescentando nomes à lista dos que defendem esta posição. Estamos em crer que, a breve prazo, teremos uma lista enorme.

Declaração de Voto: a contribuição de um leitor

Paulo Marques

Penso que votar PSD é um erro. O partido quer privatizar tudo o que dá dinheiro e tudo o que garante um mínimo de nível de vida às pessoas. Concordo com varrer as empresas e institutos públicos de caciques, mas tenho muitas dúvidas se PSD será um partido capaz de não arranjar lugar para os seus.
Mas os serviços públicos não servem para dar lucro, pese embora os desperdícios de pagar 15000€ por jornalistas que servem para fazer favores ao regime, e milhões de euros a administradores. Não faltam casos de sistemas privados que funcionam mal, porque estão em posição dominante ou de conluio. Podemos ver o sistema de saúde americano e as privatizações das redes de comboio o que pode facilmente acontecer, sem falar nas dificuldades de regular adequadamente o setor antes de as empresas de habituarem, com a força do monopólio, a laxismos legislativos. Temo o que será da banca sem a concorrência de um banco do estado a impor limites.
Muito menos se deve vender o que dá lucro a preço de saldo. Já a austera Ferreira Leite ofereceu a rede de cobre por trocos, por isso não me parece que corresse melhor esta altura. E depois, por exemplo, a CP fica com o que só dá prejuízo até ser obrigada a fechar, e os bilhetes nas outras linhas duplicam, porque o objetivo passa a ser o lucro e não obter uma rede de transportes que controle externelidades
Passos Coelho prometeu inicialmente que mudaria o sistema eleitoral para um tipo de voto preferencial, mas já chegou à conclusão que prejudicaria o poder do bloco central e mudou o discurso para a simples redução de deputados, o que minaria irremediavelmente a representatividade e fomentaria ainda mais a bi-partidarização corrosiva da nossa democracia. Aliás, a sua convicção democrática é sempre posta em causa por quem conhece o regime da Madeira, cheio de intocáveis e não criticáveis. Ainda esta semana surgem mais dúvidas sobre o quanto está disposto a fazer para roubar um voto, aceitando voltar a referendar o que pode fazer o país voltar a uma situação que ele repudiava, o aborto clandestino. [Read more…]

Declaração de Voto: Declare, Afirme, Pronuncie-se

Iniciada a campanha eleitoral, com as eleições a aproximarem-se e os partidos a manterem distâncias relativamente fixas nas sondagens, o Aventar dá voz ao (e)leitor, convidando-o a expressar-se e a influenciar, se possível, os resultados finais. Pronuncie-se, tenha uma palavra a dizer, a tribuna é sua.

Porque devemos votar ou não votar, porquê num certo partido e não noutro, porquê num certo candidato em vez de outro? Qual a sua opinião?

Junte-se aos muitos (e)leitores que se têm pronunciado e faça a sua declaração aqui

E não me falem mais de pinturas nas escadas monumentais sff

Ficamos assim: eis a prova de que tudo o que se disse contra a pintura que no domingo a CDU fez nas escadas monumentais em Coimbra não passou de uma tentativa da direita de silenciar um partido de esquerda. Não vou perguntar onde estavam os meninos que agora protestam quando a JS teve o seu momento “mural nas escadas“. Nem vou qualificar a atitude do actual presidente da AAC, militante da JS. No esterco só se mexe com luvas.

Confesso que nem me lembrava desta (tradicionalmente o espaço é ocupado pelo PCP), mas apareceu, e não é uma manipulação fotográfica.

Assunto encerrado.

Comícios do PCP e do PS: dois pesos e duas medidas

O PCP foi acusado de vandalismo

foto: PÚBLICO

100 estudantes perturbaram o comício do PCP em Coimbra, nas Escadas Monumentais.

Foram empunhados cartazes e foram ouvidos gritos de ordem.

A manifestação terá sido ilegal.

Nenhum polícia apareceu no local.

Ninguém foi preso.

O momento em que o manifestante é interpelado pelos agentes à paisana

foto: DN

Cerca de 20 pessoas perturbaram o comício do PS em Faro.
 

Foram empunhados cartazes e foram ouvidos gritos de ordem.

A manifestação terá sido ilegal.

Esteve presente polícia à paisana.

Uma pessoa foi presa por polícias à paisana.

Barcelona: se os filhosdaputa voassem não se veria mais o sol

O futebol como desculpa: evitar confrontos se o Barcelona ganhar a final da Liga dos Campeões. À bastonada e a tiro tentam desalojar os acampados em Barcelona, que resistem de mãos no ar.

A seguir deve aparecer uma ordem de despejo noutras cidades baseada no facto de tanto tempo ao ar livre prejudicar a saúde e provocar cancro de pele.

Como cantou o catalão Pi de la Serra, se os filhosdaputa voassem não se veria mais o sol.

[vodpod id=Video.9666122&w=425&h=350&fv=]

veja mais vídeos e fotos:

[Read more…]

leva tracinho…

Discutindo pintelhos

Nos dez mandamentos da “arte da crónica” não consta nenhum que obrigue o cronista a começar por uma citação queirosiana. No entanto, fica sempre bem, dá-lhe um toque de intelectualidade chique e bem pensante. Por isso, aí vai ela. Diz João da Ega em “Os Maias”: “Neste país, no meio desta prodigiosa imbecilidade nacional, o homem de senso e de gosto deve limitar-se a plantar com cuidado os seus legumes.” Ora, no meio desta prodigiosa imbecilidade nacional em que hoje chafurda a alma da nação, que deve fazer qualquer cronista de senso e de gosto? Plantar legumes? Não. Trata-se de uma impossibilidade real. Então, que fazer? Pois bem. Nada mais nada menos do que “discutir pintelhos”, expressão em boa hora recuperada por Eduardo Catroga para o debate político eleitoral que tem decorrido de forma sensaborona e rasteira e chega agora a uma elevação pública e púbica, digna da dimensão desta “pintelheira” patriótica em que vamos forçando, sem arte nem engenho. [Read more…]

Numa Outra Estação

Muitas pessoas estão à espera do comboio.

Primeiro resultado positivo trazido pela troika

Fim dos ajustes directos. Lá se terão que arranjar outras formas de financiamento partidário.

O memorando aperta mais o cerco aos contratos por ajuste directo.
No memorando da troika há responsabilidades adicionais atribuídas ao Tribunal de Contas. Em documentos semelhantes de outros países não se dá tanta ênfase aos organismos de controlo. Esse papel acrescido reporta-se a dois aspectos: contratação pública, cabendo ao Tribunal o acompanhamento muito rigoroso da legislação e o seu aperfeiçoamento.

Está a falar do fim das excepções que facilitam os ajustes directos?
Exactamente, de acordo com o que o tribunal tem dito sobre essa matéria.

Entrevista de Oliveira Martins ao ionline. Outros aspectos interessantes: a questão da auditoria ao Banco de Portugal (“Não é uma questão de que eu possa falar”); visto prévio para as PPP; na responsabilização da gestão privada em PPP , “há processos pendentes que estão em segredo de Justiça”.

Guardas à paisana?!

O momento em que o manifestante é interpelado pelos agentes à paisana  O momento em que o manifestante é interpelado pelos agentes à paisana

fotos: DN

Dois guardas da PSP à paisana encostaram o homem a uma parede, tentaram identificá-lo e, mediante a sua recusa de se identificar, levaram-no para a esquadra. A meio do percurso, testemunhou o DN, o detido ainda reclamou: “Tenho direito a saber porque estou a a ser detido”. [DN]

Vários dirigentes socialistas sublinharam ainda que a manifestação era ilegal. [Público]

Familiares de desempregados da Groundforce, pessoal do aeroporto de Faro, mantiveram a acção de protesto durante todo o comício. [ionline]

Escapam-me aqui umas coisitas.

  1. Só pode ir a comícios quem concorda com o orador?
  2. Os comícios do PS têm direito a guardas à paisana?

Não sei porque é que o PS está preocupado com estes apupos. Se tudo está bem depois da governação socialista, nada há a temer.