Limpa, Limpa, Camarada Vândalo, Limpa

É indiscutível que o PCP sujou muito menos -e de forma não tão indelével- o país do que PS/PSD/CDS nos últimos anos. Basta olhar o país desestruturado, betonizado e degradado em que vivemos. Mas, paleontologicamente, não evoluiu o suficiente para perceber que há uma sensibilidade nascente (haverá?) em relação à defesa e preservação do património.

E já que não cola outdoors, o PCP lembrou-se de transformar as Escadas Monumentais da Universidade de Coimbra num cartaz gigantesco. Nada que não fizesse há trinta anos, o lugar temporal onde o PC ainda se encontra em alguns aspectos. Mas, agora, choca e suja, mostra pouco respeito pela coisa pública como, aliás, confirmou o cabeça de lista por Coimbra:

“O que é público é de todos”, disse, lembrando o passado. “Quando estas pedras foram postas aqui foram-no em nome de uma coisa feia.

Referindo-se à escadaria como apenas pedras, tal como outros falam do campo e da natureza como sendo só mato, o PC mostra que precisa de reciclagem e de uns laivos de modernidade, 69, hoje, utiliza-se para referir outras coisas. E quanto a, por ser de todos, se poder vandalizar o que é público…

Por isso o PC precisa de baldes, escovas e esfregonas. Limpa, limpa, camarada, vê lá se aprendes e se evoluis um bocadinho. Estamos em 2011.

Agora para coisas realmente importantes


Disseram-me que saiu uma nova biografia do Felipe II escrita pelo Geoffrey Parker. É verdade? É? É que me disseram que tem 1000 páginas.

[Read more…]

O falso grande feito nas contas públicas

Sobre o grande feito das contas públicas propagandeado em Fevereiro passado, escrevi aqui, a 22/02/2011, que cá estaríamos para ver se não se estaria apenas a adiar a despesa o mais que se pudesse. E cá estamos para comprovar que a suspeita levantada na altura tinha razão de ser.

«Os técnicos do Parlamento detectaram que o Governo adiou o pagamento de compromissos assumidos pelo Estado no valor de 205,9 milhões de euros, só no primeiro trimestre deste ano. Com os atrasos nos pagamentos, a execução orçamental reportada pelas Finanças ficou beneficiada. A conclusão consta da análise da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) ao andamento das contas públicas nos primeiros três meses de 2011.» [Económico]

Em Fevereiro tivemos primeiras páginas de jornais e aberturas de telejornais a dar a falsa boa nova. Cá estaremos, novamente, para ver se o desmentido tem igual divulgação.

Depende de ti

Dedicado à Helena que no sábado se indignava com a gente acampada na Puerta del Sol, e à Matos que agora pede o Rossio cheio até 6 de junho. No dia 7 vai exigir, tal como a alcadessa de Madrid, polícia de choque e em força.

A bipolaridade da direita radical é muito complicada.

Eles ouvem-nos!

Hoje ao aceder novamente ao base.gov.pt para ver se encontrava a descrição de quais os contratos que aí são publicados, porque já tivemos algumas pessoas a perguntar-nos se são mesmo só as adjudicações directas, verifiquei nesta nova notícia

Novos Serviços de Pesquisa
Passa a estar disponível, no Portal dos Contratos Públicos, um novo serviço que permite efectuar pesquisas com base num campo de texto livre ou pesquisas estruturadas e exportar o resultado da informação consultada para um ficheiro em formato .csv.

Isto é muito interessante porque está a fazer um mês que foi lançado o site DespesaPublica.com, um projecto que tem como objectivo dar maior visibilidade aos contratos públicos, sendo que no desenvolvimento desse site um dos grandes constrangimentos para era a obtenção automática da informação dos contratos, já que ela só estava disponivel no site como resultado de pesquisas manuais, não havendo nenhuma forma de copiarmos de uma só vez toda a informação directamente do site.

Um mês depois do despesapublica.com estar disponivel, e alguns anos depois de uma iniciativa semelhante, o Transparência-AP, estar online o gestor do portal base.gov.pt passou a disponibilizar esta funcionalidade de exportar para csv. Parece uma coisa pouco importante mas na verdade é um passo importante para o efectivo acesso à informação pública.

O Braga das eleições

Há, sem dúvida, um lado muito clubístico no exercício do voto. A bipolarização, reflectida nas sondagens, em torno das eleições de 5 de Junho acentua esta evidência. Podemos não gostar do ponta de lança, ter dúvidas sobre a táctica, achar que a equipa está demasiado à defesa, ter pouca fé no derby final, assistir à derrota em casa por goleada, mas o cachecol, a bandeirola no espelho retrovisor do carro, o cartão de sócio do filho mais novo estão sempre garantidos à espera de alegrias futuras. Da mesma forma, muitos portugueses, quando questionados, consideram que a situação do país é trágica, responsabilizam o governo, têm a certeza de que o memorando da troika trará mais sacrifícios, avaliam o executivo com nota muito negativa, atacam o primeiro-ministro, consideram a liderança do PSD fraca ou inexperiente ou contraditória e, ainda assim, penalizam nas sondagens os partidos que recusaram um acordo com o FMI, BCE e União Europeia e mantêm o voto no PS ou no PSD. Os estudos de opinião confirmam que dos cerca de 70% dos eleitores que vão, de facto, às urnas mais de metade têm um partido com que simpatizam. Daí ouvirmos tantas vezes ”votei no partido X toda a vida”. O eleitor, e ainda mais num momento em que não há vencedor definido, deposita, na maior parte dos casos, o seu voto num partido ganhador. O jargão político do voto-útil é uma dura realidade para os partidos mais pequenos e uma dor de cabeça para o CDS-PP, que quer ser visto como um dos grandes. Tal como o Sporting de Braga, Portas não devia partir para a temporada a dizer que tem equipa para ganhar o campeonato. Até poderá acontecer, mas, ao assumi-lo, os comentadores desportivos depressa acusam o clube de sobranceria.

O que incomoda

Sem dúvida, o que incomoda no caso do uso de indianos, de paquistaneses, de africanos de diversas nacionalidades e de chineses no comício PS de Beja é o facto de serem imigrantes (talvez ilegais, até) que se encontravam numa situação de clara fragilidade, que não votam e que lá foram apenas porque lhes ofereceram comida e bebida (e promessa de papéis?). Não é a mesma coisa se fossem portugueses porque, com esses, haveria a dúvida se não estariam a juntar o útil ao agradável.

Um erro não pode ser justificado com outro erro, pelo que dizer que outros partidos também recorrem à camionetas de apoiantes não é desculpa para o PS também o fazer. Mas, e este é que é o ponto, o PS foi mais longe na falta de vergonha do que os outros partidos alguma vez foram. É isso que incomoda.

Comentários xenófobos? Admitam que erraram em vez de procurarem branquear um acto vergonhoso.

Quem se mete com o PS leva na cara

Um espontâneo queria oferecer a Sócrates a taça de maior mentiroso do mundo. Levou na cara para ganhar juízo. Mai nada.

PPP significa Parcerias dos Partidos do Poder

O vídeo que se segue mostra como PS e PSD (se) têm governado e de que modo continuarão a governar(-se). Para aqueles que vêm neste pequeno filme de animação apenas mais uma manifestação de esquerdismo infantil, seria útil que mostrassem contas ou argumentos que contrariem o conteúdo que é aqui apresentado.

Num filme tão curto, algumas questões estarão, com certeza, simplificadas. No que se refere à renegociação, há que ter em conta que os contratos estarão devidamente blindados por competentes escritórios de advogados, sempre em benefício dos privados, com a conivência criminosa dos representantes do Estado, que, já se sabe, têm lugar garantido nos mesmos privados para cujos benefícios contribuíram.

A rábula que se segue, caso o PSD ganhe as eleições, é a do costume: “Ah e tal, isto já estava tudo mal feito pelo anterior governo e agora somos obrigados a respeitar compromissos que já estão contratualizados e as leis são para respeitar.” É claro que se for considerado necessário baixar salários ou aumentar impostos, não haverá problemas em atropelar direitos e lá estará Cavaco a funcionar como garante de que não levantará problemas. O argumento dos superiores interesses do Estado nunca será usado contra os poderosos que garantem empregos aos futuros ex-ministros. Entretanto, o mexilhão continuará a pagar a corrupção alheia. [Read more…]

Morais Sarmento Faz-me Lembrar Pablo Escobar, Quando Apresenta o PSD como Um Cartel Que Vende Droga.

Morais Sarmento Afirmou que Sócrates lhe faz lembrar Saddam Hussein! Porque, imaginem, Sócrates não acredita que o Povo Português dê vitoria a quem apostos para Traficar os bens Públicos para Grupos Económicos Privados. Os tais, que nos bastidores telecomandam os Fantoches (sem carácter Y sem hombridade) como é a praga de Portugueses menores que dá o rosto a um Partido que já foi de gente séria noutros tempos, o PSD.

Em performances que deixariam Pablo Escobar morrer de inveja se fosse vivo, assistimos ao Pablo Escobar Português – Morais Sarmento – apresentar um PSD como o Benfeitor do País. Pablo Escobar com o tráfico de Droga também era tido como Benfeitor do seu Povo. A Droga salvava o Povo da Miséria Y da Fome; a Droga – diabolizada por tudo Y por todos – era o garante de vidas que sem ela não se orientariam na vida, condenadas à mais pérfida das Indigências. Assim Pablo Escobar granjeou as graças do seu Povo – com a Indústria do Narcotráfico -, assim Morais Sarmento  almeja arrancar apoio para o seu Cartel, vendendo a Droga PSD como salvífica. O PSD já não é um Partido. É um Cartel que vende Droga, diz que é a salvação, como se a Droga salvasse, como se a Droga não beneficiasse só os seus Traficantes, que sem escrúpulos tudo usam para eliminar o adversário. Assim está a Incontinência verbal de Morais Sarmento que como balas de Pablo Escobar atira nos seus adversário as mais ignominosas perfídias. Tal Y qual como Pablo Escobar não olhava a meios, assim está Morais Sarmento – um perfeito traficante de Droga. Sim o Programa do PSD é Pura Droga, nada mais do que isso. Y com tal Programa vai deixar muitos Portugueses Agarrados, a definhar que nem Toxicodependentes só para que uns quantos Outros Portugueses Possam Beneficiar Y ter vidas de da alto Nível.

PS.: Morais Sarmento, há Passos em que os Portugueses não alinham!

O amor do PS pelo ensino privado

Não olhes para o que eu digo, olha para o que eu fiz:

Ler uma interessante e desapaixonada opinião sobre a polémica ensino público vs privado de Ivo Gonçalves.

gráfico via Câmara Corporativa

Parabéns Robert Allen Zimmerman

Blowin In The WindBob Dylan faz hoje 70 anos.

A Minha Estação

Desde 1875 a deixar sonhar; todos os dias páram aqui uns 50 comboios directos a Braga e ao centro do Porto.

Aquela cor de fundo é suspeita: