Quem perdeu o debate Passos Coelho-Sócrates?

O moderador, nitidamente. Interrompeu por diversas vezes os dois opositores a meio de um raciocínio, não conseguiu aproveitar as intervenções para colocar questões e, quando as colocou, eram tão fora do contexto da conversa que não era  expectável que fossem respondidas de imediato. Para piorar, o sistema que mostrava o tempo aos candidatos avariou.

Fora isso, houve um perdedor claro e foi aquele que teve a lata de insistir que o défice de 2010 foi de 6.8%.  Já chega de Alice no País das Maravilhas.

Adenda: Começou agora na RTP o debate da segunda divisão com Relvas e Assis.

Leituras:

Nota final: tentei incluir posts mais favoráveis às posições socialistas mas não os encontrei. E procurei. Socialistas, então, meteram férias?)

chocadeira de aviário

Caridade

Quando ontem vi Paulo Portas a explicar que quem sabe tomar conta dos pobrezinhos são as IPSS, e para que não restassem dúvidas, a Cáritas e as Misericórdias é que sabem quem deve receber RSI em moedas ou em senhas de racionamento, fiquei desconfiado que indo a coisa em frente convirá à miséria em Portugal mostrar-se pelas igrejas.

Fra Angelico, S. Lourenço esmolando - fragmento

Fra Angelico, S. Lourenço Esmolando - fragmento, c. 1448-9

É tão legítimo, em tempo de crise, a direita querer voltar a 1973, como a esquerda a 1975.

Mas haja ao menos uma pequena noção do ridículo.

Novas oportunidades – IV

Até vieram lágrimas a Sócrates quando falou nas Novas Oportunidades. Por vezes a mim também, mas é de tanto rir, com a cultura de facilitismo que se instalou no país… Aproveito para relembrar um post do Ricardo Santos Pinto,  já com algum tempo, mas absolutamente certeiro, quanto às maravilhosas possibilidades das Novas Oportunidades…

O DNA dos principais partidos políticos portugueses.

O "DNA" dos partidos políticos portugueses a partir da análise vocabular dos seus memorandos e programas políticos

Durante a vida política, fora e dentro do Parlamento, antes, durante e depois das eleições, há sempre um discurso muito semelhante entre os partidos: todos se culpam e ninguém tem a culpa. Nesse sentido, a classe política, da Esquerda à Direita, acaba por acoitar-se sob um manto de desresponsabilização que caracteriza a Partidocracia. Numa democracia especificamente controlada por partidos, é natural que os partidos se defendam entre si, depois os seus clientes e eleitores e só depois, no final, os cidadãos, votantes e não votantes.
Para perceber até que ponto o discurso político-partidário não só é inócuo como semelhante, elaborei uma análise vocabular dos programas e compromissos eleitoral para as eleições que se aproximam. Recorrendo a um programa informático muito simples (o Polaris word count), contei os 20 substantivos mais vezes referidos pelos 5 partidos com assento parlamentar: BE / CDU / PS / PSD e CDS-PP. O resultado foi muito interessante e revela, de certa forma, como o discurso partidário se aproxima em forma e estilo de uma ponta à outra do espectro parlamentar nacional. É esquemático, pobre em conteúdo e pouco imaginativo. [Read more…]

Indignados!

Pontos acordados do manifesto plural redigido durante a madrugada de 18 de Maio, na Puerta del Sol.

Os manifestantes, reunidos na Puerta del Sol, conscientes de que esta é uma acção em movimento e de resistência, acordaram declarar o seguinte:

  1. Depois de muitos anos de apatia, um grupo de cidadãos, de diferentes idades e extractos sociais (estudantes, professores, bibliotecários, desempregados, trabalhadores…), irritados com a falta de representação e com as traições levadas a cabo em nome da democracia, reuniram-se na Puerta del Sol em torno da ideia de Democracia Real.
  2. A Democracia Real opõe-se ao paulatino descrédito de instituições que dizem representar os cidadãos e foram convertidas em meros agentes de administração e gestão, ao serviço das forças do poder financeiro internacional.
  3. A democracia promovida a partir dos aparelhos burocráticos corruptos é, simplesmente, um conjunto de práticas eleitorais inócuas, em que os cidadãos têm uma participação nula. [Read more…]

O estado da nação

Hoje de manhã tinha dois convites no facebook: um para a “Revolução Portuguesa / Portuguese Revolution,” o outro para o “Fim do Mundo!“.

Em princípio vou ao da revolução, e de qualquer forma o fim do mundo é logo a seguir.

Conduzir com álcool? depende da profissão

Uma procuradora do Ministério Público foi detida por conduzir em contramão com 3,08g de alcoolemia. Ainda por cima, usando o trocadilho popular, foi apanhada em flagrante delitro pela Polícia Municipal em Cascais. Soprado o balãozinho e cumpridas as formalidades legais, foi notificada para se apresentar em tribunal no dia seguinte.

Até aqui tudo normal, pode acontecer a qualquer um, em qualquer profissão, que conduza com uns belos copos a mais, confunda mão com contramão e ponha em risco a vida dos outros. No dia seguinte…

A procuradora compareceu perante o seu colega que considerou a detenção ilegal, tendo anulado tanto a detenção como o termo de identidade e residência.

Pelos vistos, fora-da-lei, estava a polícia municipal. Dentro ou fora, afinal, é só uma questão de profissão. E de colegas, claro.

Sessão de esclarecimento popular

Para que o povo não fique órfão da Justiça.

FUNDAÇÃO FILOS & apDC – associação portuguesa de DIREITO DO CONSUMO, associam-se para prestar um Serviço Público de INFORMAÇÃO a Consumidores “consumidos”… com cobranças ilegítimas e ilegais!

Para um povo indefeso
Um defensor… de peso!

Sessões de esclarecimento popular:

Defensor do povo em acção!

Se tem qualquer problema num dos seguintes domínios,

1. Contratos de Compra e Venda de Consumo.
2. Contratos de Fornecimento de Serviços Públicos Essenciais.
3. Água predial.
4. Energia eléctrica.
5. Gás e gás de petróleo liquefeito canalizado.
6. Comunicações electrónicas.
7. Serviços postais. [Read more…]

Político chorão ensaia discurso de campanha

via Submarino Amarelo

Ana Jorge, a ministra que desistiu de ser médica

Ana Jorge terá sido médica, em tempos. Agora, ministra, limita-se a macaquear a linguagem insensível de uma certa raça de gestores para quem os números são tudo, as pessoas menos que nada. Ora, mesmo não sendo completamente aceitável que um gestor seja um autómato feito de desumanidade, é compreensível que seja contaminado pela linguagem glacial das folhas de cálculo. De alguém que exerceu o ofício de Hipócrates esperar-se-ia mais alguma tendência para o humanismo, mas Ana Jorge já não é médica, é só mais uma figurante do circo socrático, sendo certo que não está sozinha no Ministério da Saúde, instituição muito frequentada por ex-médicos.

Assim, ouvir a senhora dizer que os portugueses recorrem a “demasiadas consultas médicas” é mais uma prova de insensibilidade, até porque, que se saiba, não há estudos que comprovem essa afirmação ou a contrária ou outra qualquer que fique a meio caminho. Deixar escapar esta afirmação é apenas insultar os portugueses. Nada de novo.

Novas Oportunidades: Bloco de Esquerda ao lado do PS

O Bloco de Esquerda volta a escolher a má companhia do PS, ao participar na defesa acrítica das Novas Oportunidades. Será eleitoralismo? Será uma atitude instintiva, face a aparentes ataques aos desfavorecidos? Será crença sincera? Seja como for, é a escolha do facilitismo, é o elogio da lágrima obscena de Sócrates, é querer estar ao lado de duas figuras sinistras como Luís Capucha e Valter Lemos.

Embora não acredite na sinceridade de Passos Coelho, desgosta-me saber que Cecília Honório, deputada do BE, se limite a usar argumentos que conseguem descer ao nível de Sócrates (ou mais abaixo), transformando as críticas a um sistema num “atestado de burrice” passado aos milhares de trabalhadores que passaram pelas NO. O próprio Francisco Louçã já havia iniciado esse caminho no debate com Passos Coelho.

Nesta caixa de comentários, tive oportunidade de concluir que não é obrigatório comungar deste dislate do Bloco para se ser de Esquerda. Ainda bem, mas não deixa de ser preocupante. Entretanto, na mesma caixa, vale a pena ler o testemunho do leitor António Monteiro.

socrímero

Torre de Moncorvo Estação

Nos primeiros anos da República, a estação de Torre de Moncorvo (Portugal)

Junta eleitoral proíbe protestos no fim de semana

Barcelona

Perto das duas da madrugada (hora de Portugal) a Junta Eleitoral de Espanha proibiu, numa renhida votação 4 contra 5, os protestos que ocorrem um pouco por todo o país. Os protestos continuam pela madrugada dentro e podem ser vistos em directo aqui. Mesmo antes desta decisão havia sido decidido em assembleia que a manifestação na Porta do Sol em Madrid também iria continuar no Sábado.


[Read more…]

Vagamente, uma ministra

Lembro-me vagamente de uma ministra da coltura (só pode ser), ficar feliz por abrir um museu por troca com uma barragem assassina – em V. N. Foz Côa, e fazer um comentário do tipo «a classificação (da linha do Tua)não é impeditivo da barragem». Ora, essa ministra vem agora dizer que e tal o PSD quer transformar a coisa numa secretaria de Estado! Para alimentar deste tipo de atitudes e baboseiras típicas de yesmen (note-se que disse men, homens, em inglês) – que ainda mais se estranha numa senhora – até podia ser um gabinete meio perdido nos paços de qualquer monárquico falido… Esta publicitação ao programa do governo – ou o que seja, nem li – só demonstra que para este ministério (com m minúsculo), até um programa pós-afundanço é coltura (só pode ser).

Tirem-me deste filme!

José Cândido