E África sabe disso?

Pedro Passos Coelho diz que casou com África.

Pergunto: e África sabe que está casada?

Strauss-Kahn poderá recorrer para a Relação do Porto

O Aventar já soube que o advogado de Strauss-Kahn irá intepor recurso para o Tribunal da Relação do Porto, caso os actos de que está acusado venham a ser provados.

Um Livro do Futre Para Cada Português

Desde que, cá na terra, se perderam os últimos resquícios de modéstia e de pudor, não faltam auto-proclamados génios, vencedores e gajos muita bons. Uns com razão – Mourinho, o especial – outros sem ela – Sócrates, “ainda está para nascer um primeiro-ministro que tenha feito melhor no défice”.

À parte está Paulo Futre que, quando fala, não se esquece de lembrar “eu fui bom”. É verdade. Paulo Futre foi bom, muito bom, foi dos melhores.

Mas Paulo Futre tem outras qualidades. A primeira é que não se leva demasiado a sério, ri-se de si próprio, faz rir, é assim uma espécie de malandreco porreiraço e assume-se como tal. E, nesse sentido, não chega a ser nunca imodesto; é um de nós, um puto com talento a quem as coisas correram bem. E, como tal, é um despudorado em quem não se nota a falta de pudor.

Além disso tem mundo e tem histórias. Muitas. Giras. Histórias de gente comum que, de repente, caminha nas estrelas e mantém os pés cá em baixo. Futre é um bem-disposto, um sem-peneiras, um tipo popular capaz de beber uma bejeca com qualquer de nós, com duas histórias de permeio, as mesmas (ou outras) que agora juntou em livro.

Recomendado especialmente para convencidos, vaidosos e macambúzios, um livro do Futre para cada português. Já.

O país que vive acima das suas possibilidades

No Governo Sombra, o melhor programa de actualidade política do momento, que por acaso até tem graça, é sublinhado que 50% dos trabalhadores portugueses ganham até pouco mais de 700€ e 75% ganha até pouco mais de 1100 €.

Atendendo a que é um facto que o país vive acima das suas possibilidades (estamos falidos) e olhando para estes números vergonhosos, será pedir de mais que nesta campanha eleitoral isto seja um assunto a esclarecer? Pode o engenheiro explicar onde está o seu estado social, fora da recorrente propaganda? Podem os partidos da oposição apontar para onde vão os impostos? Desde já agradecem os que vos pagam os salários.

A Lei de Talião

O princípio é simples e, para muita gente, trata-se de um acto básico de justiça: acontecer-te-á aquilo que me fizeres, consubstanciado no velho ditado olho por olho, dente por dente. Em última análise, não há limites para esta forma de “justiça”; cortas um braço, ser-te-á cortado um braço, furas o fígado, verás o teu fígado furado, esquartejas, serás esquartejado.

Pese uma fácil atracção popular por esta fórmula, a verdade é que a administração da justiça ver-se-á a cada momento confrontada com a mesma babárie que lhe deu origem, ou seja, a não existência de nenhum direito que se sobreponha ao direito/dever de retaliar de forma igual, colocando-a sempre ao nível do crime cometido e ao mesmo nível do criminoso.

Um dos avanços importantes das nossas sociedades ocidentais é a recusa da lei de Talião, substituindo-a por quadros e molduras penais variáveis, sim, mas conformes a algumas garantias e direitos (bem sei que alguns países ocidentais, a começar pelos EUA, ainda praticam a pena de morte, por exemplo).

Vem isto a propósito de um caso no Irão onde a sharia (lei da república islâmica) julga com preceitos de Talião. Um homem cegou e defigurou uma mulher atirando-lhe ácido sulfúrico para a cara. A mulher exigiu reciprocidade (façam-lhe o que ele me fez), [Read more…]

Dominique.

A comunicação social e os blogues não falam de outra coisa, da prisão de Dominique Strauss-Kahn presidente do FMI, acusado de abuso sexual. A excitação e os trocadilhos sucedem-se na habitual azáfama comentadeira. Mas o que eu acho mais frustrante e até triste é que o presidente de uma instituição internacional, poderosa, como é o FMI consiga ser acusado e preso devido ao testemunho de uma empregada de hotel e os nossos políticos, nomeadamente o Primeiro-Ministro, sobre quem pendem tantos rumores e acusações, permaneçam impunes e ainda sejam várias vezes reeleitos. A ver vamos se a maçonaria ajuda este socialista francês.

Taberninha da Estação

À estação de Barcelos, Maio 2011.

O imaginário das crianças: Os silêncios da cultura oral – Capítulo V

Capítulo V

Queres que leia. Mas eu pratico para entender os textos. O processo de ensino.

Pega no livro

Frase que eu já tenho utilizado (Iturra, 1990) e repetido várias vezes. Mais ainda, frase que corresponde à forma como o pequeno é tratada dentro dos seus grupos. Denomino processo de ensino os actos institucionais que regulamentam a vida das crianças para que entendam a interacção para além do lar. Já afirmei noutro texto (Iturra, 1994) que há pequenos desejosos de serem admitidos na instituição que vai regulamentar a sua vida, assim como a de todo o seu grupo. Talvez que, entre adultos e pequenos que moram num mesmo sítio e estão próximos, exista uma diferença no entendimento do processo. Bem sabemos que o processo de ensino é entendido de forma diversa, e vai desde o desinteresse pela assistência à escola, ao sentimento de obrigatoriedade de assistir, como a lei manda. Assunto que remeto quer para os meus textos (Iturra, 1990b, 1994a e 1994b), quer para os estudos feitos pelos historiadores da educação. [Read more…]

Afinal, o FMI é mesmo o papão

FMI

Presidente do FMI detido por ataque sexual

%d bloggers like this: