As viagens do governo, as mordomias, e a decência

Parece que o governo vai viajar nos lugares mais baratos quando voar pela Europa. Também parece que nem fica mais caro nem mais barato, porque a TAP dá borlas nos aviões (e a Carris deve dar nos eléctricos).

Claro que se trata de mera demagogia, cruzada com algum populismo: não é por aqui, mesmo que o estado pagasse os bilhetes, que se equilibram as finanças públicas, como é uso dizer-se.

Mas daí não vem mal nenhum ao mundo, e sempre dá um ar da sua graça. O que já não tem graça mesmo nenhuma é ver os que acabaram de sair do pote a apontar o dedo. E nem me dou ao trabalho de exemplificar com os esbanjamentos perfeitamente inúteis dos últimos anos, ou de repescar umas historietas a propósito do Falcon governamental. Constato apenas que em matéria de burguesia sempre preferi a tradicional, com aqueles tiques de dar esmolas aos pobres e a altivez toda, à burguesia recém-chegada, vulgo novoriquista, com o seu fedor a pato-bravo e a dificuldade em perceber que estes gestos fazem parte do jogo do poder, esses que lambem o pote até ao fim, lavando o fundo com a língua, e muito espantados ficam quando os outros deixam restos na mesa. Para estes não há mesmo pachorra.

Comments


  1. “parece que nem fica mais caro nem mais barato, porque a TAP dá borlas nos aviões”
    – Fica mais barato na mesma, pois que, ocupando lugares de turística liberta lugares de primeira, que dão bem mais lucro à TAP.

    “não é por aqui, mesmo que o estado pagasse os bilhetes, que se equilibram as finanças públicas”
    – Tipo de argumento frequentemente utilizado pelos mesmos que, noutras circunstancias, dizem que os exemplos TÊM de vir de cima.
    E, é bom não esquecer, que um bago de arroz não alimenta ninguém, mas um prato deles faz uma refeição…


  2. JHO: depois de aprender a ler, importa-se de ir marrar para outro lado, tipo os gajos que critico neste texto? obrigado.


  3. uma questão que ainda não vi esclarecida, sobre este assunto, se bem que já alguém a tenha colocado noutro blogue :
    – o primeiro-ministro viaja, em económica, com passageiros ao lado, à frente e a atrás, ou em isolamento? (porque tem que consultar papéis e documentos confidenciais, utilizar o portátil, etc…).
    tem informações sobre estes aspectos?

  4. Carlos - Vila do Conde says:

    Por que será que a TAP não cobra as passagens aos membros do governo? Por ser uma empresa rentável? Por esperar receber dos governantes contrapartidas especiais?
    É por estas e por outras que isto anda mal: ninguém sabe a quantas anda: quanto custam as viagens dos governantes? Não seria interessante pensarem mais em vídeo-conferências?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.