Angélico declarado clinicamente morto

Tal como as estrelas que morrem jovens, Angélico Vieira passou como um foguete pela vida e brilhou fugazmente, mas com luz própria. Hoje caíu o pano, para desespero dos fãs, amigos e família. Uma história de glamour, vertigem, adrenalina e juventude roubada. R.I.P.

Comments

  1. Rodrigo Costa says:

    … Até agora, não consegui ver a cara de nenhum dos que o acompanhavam. Um que morreu, uma em estado grave, e outro com ferimentos ligeiros. Não acredito que toda a juventude se tenha concentrado no Angélico, e que, antes e depois dele, só haja velhos.

    A Vida farta-se de explicar o seu regime; farta-se de dizer que não perdoa a quem transgride os seus regulamentos, independentemente da capacidade económica, da fama, da cor, do credo e do sexo, mas as pessoas insistem em que é possível exercer influência. Não é nem seria justo.

    Fim das vigílias?… Quem, dos outros, estiver a sofrer, que se governe?…

    Lamenta-se, naturalmente, e espera-se que, pelo menos, sirva de exemplo, para que se perceba que só somos reis enquanto a Vida quer, e desde que a respeitemos.


    • Tem toda a razão, Rodrigo, há mais um morto a lamentar e um ferido, ao que parece em estado grave. O destaque dado a Angélico, por outro lado, é também natural, ele já se tinha destacado em vida e tinha talento, ainda que, por mero preconceito, haja quem não o reconheça.
      Quando se morre tão jovem é doloroso para quem fica, especialmente para os mais próximos. Lamento por todos.

      • Rodrigo Costa says:

        Pedro,

        Suponha que o Angélico tinha a figura do Dustin Hoffman. Acha possível comparar o talento do Angélico com o do Dustin Hoffman?….

        Admitamos que podíamos entrar nesta brincadeira! Acha que as mulheres, essencialmente e na maioria, iriam fazer vigília ou estariam lamentosas?… O Pedro sabe que não; porque o Dustin Hoffman não tem nada de sexi; limita-se a ser inteligente, e a inteligência, quer queiramos, quer não, só excita o espírito, porque é espírito, exige espírito e profundidade.

        O Angélico —e outros do género— terá vivido tudo ou quase tudo o que o seu aspecto lhe proporcionou. Se mais não viveu ou, essencialmente, não fez, foi, digo eu, porque lhe faltou talento, porque as portas estiveram todas escancxaradas, poderia er feito quase tudo o que lhe apetecesse, mas não fez, porque lhe terá apetecido uma vida diferente. Alguma coisa contra? Nada. Absolutamente nada. Só não podemos deixar que a emoção nos tire a lucidez e queiramos que aqueles de quem gostamos —ou nós próprios— sejam felizes m vida e felizes na morte, e que, se possível, vivam felizes e para sempre; os outros, porque não teriam talento nem eram jovens nem eram bonitos nem nos eram afectos, poderiam nem ter nascido, para não termos que, desagradavelmente, ouvir alguém no-los recordar, por altura das suas tragédias e das suas mortes.

        Como compreenderá, não está em causa o lamento pelo que aconteceu. Fora de questão. Agora, mais a baixo, o Pedro pode ler uma coisa destas: alguém que já não sentia uma coisa assim, desde a morte da Diana… As pessoas têm que ser princesas, rainhas e famosas, para que as suas tragédias provoquem consternação?…

        Há, aqui, no seguimento de toda a infelicidade, uma ilação, ou várias, a tirar: as pessoas não podem, por falte de legitimidade moral, combater os políticos e as suas políticas de favorecimento. Ninguém pode ficar ofendido, se um ministro ou secretário de estado preferir uma secretária ou assessora bonita, mesmo que incompetente, a outra não tão apetecível, porque, afinal, também têm direito a fazer opções, na decoração dos seus gabinetes… Onde isto nos levaria!…

        Por que havemos de querer que os políticos e as políticas mudem, se nós não somos capazes de mudar?

        • João Costa says:

          Espero que você seja bonito, pois da inteligência exemplificou pela argumentação de que está privado e sentido de oportunidade burra tem em excesso.

    • Helena Gonçalves says:

      Dos comentários mais acertivos que já li sobre o assunto.
      Qualquer vida perdida é lamentável. Mais lamentável ainda é quando se perde como preço por irresponsabilidade o que acontece tão recorrentemente. O Angélico era famoso. Lamento profundamente a morte dele como a de qualquer outro desconhecido nas mesmas circunstancias. Mas não é um martir. Não foi albarroado por um carro em contra mão. Era o condutor e não cumpriu várias regras, correu o risco na roleta russa e saiu-lhe a câmara do revolver que tinha bala.

      Das outras vitimas fala-se superficialmente e não se acompanha a situação. São mais uns no meio de tantas vitimas diarias que temos que fazem capas de jornais mas depois deixam de interessar. Infelizmente já é banal. Neste caso, visto que ainda há uma vitima a lutar pela vida resultado do mesmo acidente faria todo o sentido haver a sensibilidade de manter a vigilia.
      Os pais dessa vitima, no mesmo hospital, testemunharam a que foi feita para o Angélico, no seu desespero provavelmente ansiaram que aquela força também beneficiasse a filha. Neste momento, após a morte do cantor voltam à pouca importancia do seu anonimato.

      Todos estes casos deveriam ser noticiados com pormenores.De forma doentia mesmo. Regularmente, diariamente, efusivamente. Até que se tornasse assustadora e nauseante a ideia de prevaricar na estrada.

      Que se retire do caso do Angélico e de todo este mediatismo alguma lição. Talvez até funcione, durante algum tempo até já nao se falar nisso e todos se considerarem de novo invenciveis. Como mãe doi-me o peito de imaginar a dor destes pais que esses sim sofrem sem terem feito por isso.

    • Tina says:
      • Desafiar a morte da nisso... says:

        Meu caro estas a chamar aos portugueses ignorantes?? Se tens os olhos tapadinhos é problema teu , ou se preferes acreditar em mentiras só para poderes dormires mais descansado, azar o teu.
        So falta dizer que eles vinham a 50km por hora, lol. Viste no estado em que ficou o carro? Ou és cego?? vais me dizer que eles vinham numa velocidade regrada no qual manda a lei?? SE ÉS PARVO NÃO O SEJAS! independentemente do azar que tiveram, com a sena do pneu, se viessem mais devagar e com a segurança que tem os carros topos de gama que não se compara com a maioria dos carros de um cidadão normal, que são umas autenticas penas com materiais mais rascas e fracas que existem no mercado. A BMW em termos de segurança e robustez são uns dos melhores, por isso mesmo com o cinto posto ou nao, uma coisa é certa, vinham lançadissimos, 200 e muitos km por hora, por isso nao é de estranhar o desfecho final, Á é verdade ja me estava a esquecer, esse gajo falou por conveniência, porque ele faz parte do dito stand de automoveis, pois é…..

        • João Costa says:

          Não necessariamente se foi o eixo traseiro q se partiu. Pergunte ao seu mecânico ou a qualquer mecânico.
          Pode ir a 20 num carro normal e é bem capaz de não ter muita sorte com a carroçaria.

  2. Cesar says:

    É um manto de tristeza que cobre todos quantos valorizam a vida. “Há cinto que prende á vida…” que slogan tão forte que, continua a ser esquecido. Pena tristeza que toca ver um rapazão cheio de vida desparecer assim…
    É uma grande família despedaçada por todas as v´timas deste acidente. Relembro que todas as vidas tÊm o mesmo valor, independentemente da raça, da religião, da ascendência, da condição social (Artº 8º CRP). Há mais do que uma vítima e, por isso, lamentemos e relembremos ambas de igual modo.
    Às famílias enlutadas os meus sinceros pêsamos e esperança de continuem a trilha desta vida terrena com paz, amor e … muita esperança no nosso semelhante.

  3. Artur says:

    Mesmo a quem não transgride os seus regulamentos, a vida não perdoa.
    Todavia parece-me sensato assumir comportamentos que possam ir adiando a inevitável morte.

    • Rodrigo Costa says:

      Claro Artur! A boa utilização das ferramentas não impede o seu fim, mas ajuda à longevidade.

      • Helena Gonçalves says:

        “A velocidade é de tal forma eficaz que por vezes os seus adeptos chegam ao outro mundo mais cedo do que esperavam”

        • Rita Gomes says:

          Sinceramente.cada comentário invejoso, vocês são feitos de quê, a fama faz inveja é por causa de maus olhados que pessoas como Angélico, jovem, lindo, talentoso perdem a vida assim. E ainda não tem vergonha e mostram claramente que nem vos dói o acidente trágicoq que lhe aconteceu. Ele não teve culpa se o pneu arrebentou. Deus lhe proteja e guarde, a ele e os amigos que estavam no carro.

          • Rodrigo Costa says:

            …. Desculpe, Rita, mas se o Angélico fosse feio —o talento não conta, porque há muitas pessoas talentosa, pelas quais ningém dá um chavo—, você dáva-lhe a mesma importância?…

            Sabe que eu ainda não sei se a rapariga que está em perigo de vida é bonita ou talentosa, porque pouca ou nenhuma gente fala nela? Da mesma maneira que ainda não sei se o rapaz que morreu primeiro era bonito ou talentoso, porque não vi, ainda, a fotografia.

            Acha que o aspecto das pesoas é tudo; que as pessoas menos dotadas, fisicamente, não têm sentimentos, podem morrer à vontade, porque não fazem falta, a paisagem até agradece?… Está disponível para fazer uma vigília pela rapariguinha?…

            Enquanto viveu e foi feliz, o Angélico terá pensado em quantos, por ese mundo fora, viviam vidas de desacrifício e morriam a trabalhar? Claro que não, porque a vida é assim. Acha que ele pensou que ia ao volante de uma máquina potente e que não ia sozinho e que acabou por fazer e desfazer da vida dos outros, sem que eu o culpe, em exclusivo, na verdade, porque não os deve ter obrigado a acompanhá-lo?.

            Dezassete anos, Rita, é a idade da miúda que está às porta da morte. É feia, não tem talento, naõ está a sofrer?… E os pais?…São feios, naõ têm talento, podem sofrer, porque não são bonitos nem talentosos?…

            E os do rapaz que morreu primeiro, também não contam; não têm grande musculatura nm sabem, fazer pose, logo, não fazem parte deste cenário?…

            Quando acusa ou outros de inveja, não acha, a Rita, que alguém a pode acusar de ser discriminadora?

            É claro que só pode ser uma jovem, e que é compreensível o seu desalento… O que não pode é resumir o drama ao drama do Angélico.

          • João Costa says:

            Rodrigo Costa
            Qual é o seu problema?
            Atirar-se como imbecil ao argumento de que Angélico só era o que era porque era belo é digno de um idiota.
            É por apologias imbecis como a sua à fealdade que muita gente bonita competente e profissional e talentosa é substituída por gentinha feia, incompetente e que faz da sua fealdade a sua Inteligente mais valia. Que estupidez, e que bem distribuída que ela está. Continue a confundir o ser feio/a com inteligente e verá a sua triste figura.

            Quanto ao seu infeliz especular sobre a ausência de preocupação do Angélico sobre os outros, só mesmo alguém que não o conhece nem o acompanha poderá ser tão atrevido. Informe-se antes de falar. Se se informar verá que o Angélico tão jovem, com tudo para usufruir tão egoistamente (estava no seu direito) não fez nada disso. Mas informe-se devidamente, para ter noção da sua triste figura a usar o Angélico nesse seu chorilho de papagaio louco, não só na caquéctica conversa “ai ai o belo se fosse feio” como “ai ai não merece o que ganhou”. Sabe, secalhar, o Angélico até lhe deu razão antecipadamente, isto atendendo à forma proba como ia partilhando os seus rendimentos. Mas informe-se para não dizer disparates.

  4. Mafalda Branco says:

    Fogo… Não sentia uma coisa assim desde a morte da Princesa Diana. É estranho…

  5. Carla Maria Velez de Sousa Pereira says:

    É UM MANTO DE TRISTEZA QUE AGORA COBRE OS NOSSOS CORAÇÕES…

  6. Andreia says:

    No passado a morte de Francisco Adam alertou para o consumo de cocaína e álcool, agora a morte de Sandro Vieira alerta para a necessidade de uso de cinto de segurança e de cumprir limites de velocidade, bem como manter a segurança dos outros ocupantes do veiculo (apesar de hoje em dia a responsabilidade ser de cada um e não do condutor).
    Que todos aprendamos com estas duras lições.
    Os meus sentimentos às familias de todas as vitimas de acidentes de viação.


  7. Não sei da luz, sei que o pano caiu. Hão-de escrever-se muitos obituários, mas bastariam estas três linhas.

    Que o deixem descansar.

  8. Susana Lopes says:

    Apenas sabemos que e uma lição de vida… só com as tragedias e que infelizmente abrimos os olhos… que nos sirva de lição para todos.. o uso de cinto de segurança e muito importante nao so pelo o facto de levarmos uma pesada multa se formos apanhados pela policia, mas para evitar casos como estes…. e uma morte tragica… que nos deixa com uma enorme tristeza… so temos de rezar por ele e deixa-lo agora descansar em paz…. ja que nestes ultimos dias este rapaz teve de tudo menos uma morte santa…. descansa em paz Angelico .. ESTAMOS CONTIGO:.. ate ja!!!!


  9. É uma tragédia? É. Há responsabilidades no cartório? Há.

    Carro emprestado com uma potência imensa.
    Sem seguro.
    Conduzido em excesso de velocidade numa auto-estrada..
    Passageiros sem cinto.

    É um drama? É. Mas a mim incomodam-me mais as dezenas de mortes diárias de condutores vitimas de outros irresponsáveis. pessoas atropeladas na passadeira, inocentes no verdadeiro sentido da palavra, que não arriscaram um milésimo e mesmo assim foram traídos pela sorte. Esses são dramas infinitamente maiores.


  10. Que o Deus criador do Mundo e de tudo o que nele habita o proteja. As pessoas quando andam em grupo (as meninas muito lindas e os meninos )deviam tanbem zelar umas pelas outras mas só pensam em se divertir .Elas em andar a mostrar o corpinho a todos (velhos ,crianças ,mulheres e nos facebooks então. Eles coitados com tanto assédio Eu quando ando com amigos dentro do carro sempre reparo se põem o cinto e se vejo que não puseram aviso e se não puserem ponho lhes eu ou levam comigo.É lógico que pode acontecer as pessoas só repararem passado alguns cinco minutos ou dez. Não sei há quanto tempo faziam a viagem .Mas de certeza que se um avisa-se os outros eles punham o cinto .Não vejo porque iam negar .Peço desculpa a minha revolta.Que Deus o proteja e tenha no seu coração e lhe perdoe tão grande falha.


  11. .O professor universitário e membro do Conselho Nacional de Ética Agostinho Almeida Santos entende que dois médicos poderão decidir confirmar a morte do cantor e ator Angélico Vieira desde que declarada a falência do sistema nervoso central. Para este professor aposentado da Faculdade de Medicina de Coimbra, isso deverá ser decidido após a declaração de morte cerebral.É necessário que isso seja confirmado por dois especialistas, normalmente da área da neurologia e dos cuidados intensivos — explicou, acrescentando ser esse o entendimento do Conselho Nacional de Ética.

    Diário Digital / Lusa


  12. Parece-me não fazer muito sentido dizer-se que só se fala neste assunto porque o Angélico era bonito. Outras coisas acompanham este facto como “ele não tinha talento nenhum” ou “ninguém fala das outras mortes”. Eu não acompanhava de perto a carreira do rapaz, mas acho que todos o conhecíamos do grande ecrã, e sendo uma figura pública, é natural que se dê mais destaque à sua morte do que a todas as outras. Sempre foi assim, e sempre assim será, afinal, é para isso mesmo que as figuras públicas existem: para se tornarem públicos os acontecimentos da sua vida, ou neste caso, morte. Sejamos sensatos, se fosse um simples comum a ter este mediatismo todo iríamos continuar a dizer que haviam muitas outras vítimas sem mediatismo nenhum, o que era injusto outra vez! Aqui não interessa (pelo menos para mim! acredito que haverá alguém a pensar como eu…) se era bonito ou feio, se tinha talento ou não; era alguém conhecido que perdeu a vida e fez que outra (ou outras) se perdessem, em parte por responsabilidade sua, sim. Considero também que não somos ninguém para julgar, pois há aí tão boa gente, quem saiba até nossos familiares, que, sem darem conta da gravidade da situação, cometem muitos outros erros estúpidos ao volante. De certeza que já aconteceu, sim! Julgo que em vez de o condenarmos agora, que já nada podemos fazer, devíamos era tirar o melhor partido da situação e agir correctamente para que nada de semelhante aconteça a nós ou a quem amamos muito.

    • Rodrigo Costa says:

      Li,

      … Fala-se TANTO neste assunto, porque o Angèlico era um rapaz bonito, e, mais importante, porque era conhecido. Ser bonito, só por si, não bastaria, porque, como aceitará, há rapazes tão e mais bonitos, mas que ninguém conhece dos grandes palcos; porque é a fama, a relevância, o desejo de transferência, de transposição, que excita as as multidões.

      Para ilustrar o que lhe digo, recuo ao tempo em que o António Calvário, na fase em que era a loucura da maioria das mulheres, e relato o que, mais do que uma vez, presenciei: nos concertos, ninguém as segurava, era o delírio, ou mesmo quando ele aparecia na televisão; mas cheguei a parar, na rua, quando ele passava, apenas para tentar perceber o fenómeno, porque ninguém o reconhecia, e ele nem usava óculos.

      Quer dizer: como é que se passa de uma situação em que todas o queriam agarrar —e não me refiro às das claques organizadas—, em locais e momentos menos recomendáveis, e, de repente, à mão de semear, ninguém reparava nele, apesar da sua estupenda figura?…

      Não acha isso estúpido? Não acha que existe alguma falta de razão, de senso?… Na verdade, o que é que se admira nas pessoas; o que é que faz os outros parar? É o aspecto, o talento ou a fama?… Parece-me ser mais a última, porque as pessoas não são racionais, valorizam a realidade que as pode transportar ao imaginário —o que é normal—, mas fazem-no de um modo imaturo, reduzido, porque não são capazes de distinguir as coisas pela qualidade das coisas, mas pelo reconhecimento dessas coisas ou pessoas, como é o caso.

      E cito o exemplo do violinista famoso, Joshua Bell, convidado pelo Washington Post, para tocar no metro, mas de ganga, com a caixa do violino disponível para receber o que as pessoas quisessem dar; como se fosse um “ser comum” —como se não fosse ou seja!

      Com os bilhetes para os seus concertos a preços caríssimos, ali, as pessoas passavam por ele como o cão pela vinha. Alguns deixaram o seu dólar e andaram; apenas uma rapariga o reconheceu e ficou a ouvi-lo até ao fim, dirigindo-se a ele, depois, para fazer a confirmação; e houve um carteiro que reconheceu a qualidade da sua interpretação e a qualidade do som do violino, porque, não sendo, embora, ao mesmo nível, também tocava… Recebendo milhares, por cada concerto, ali, Joshua conseguiu arrecadar…. 32 dólares.

      Moral da história: poucos são os que sabem o que querem e para onde querem ir, porque não têm, dentro de si, referências; esperam-nas, vindas de fora, e ficam à mercê das fantasias que as sociedades fabricam, porque nem sequer, de entre as fantasias, são capazes de escolher as que façam sentido. Concentram-se nas pessoas, enquanto elas aparecem nos ecrãns e nas passarelas, porque é aqui, nos ecrãns e nas passarelas que estão os seus sonhos, porque a realidade não as entusiama; e acham que as pessoas famosas não ser seres comuns. Ora, o que ftorna um ser incomum não é a fama, mas a sua postura, a sua categoria, como pessoa. Ser famoso ou não ser não determina a qualidade dos seres; qualquer estúpido pode ser famoso, ser figura pública, mas não pode ter categoria, porque não tem alicerces.

      Pela parte que me toca, não condenei o Angélico, limitei-me a fazer constatações. No fundo, quase poderia dizer que ele viveu e morreu como quis, porque foi ele que, em parte, desenhou o caminho —e não me venham falar em cintos, em velocidades, na dificuldade de lidar com a fama, porque o problema é de educação, de crescimento; porque o deslumbramento tem um tempo, mas, se formos inteligentes, se tivermos talento, regressamos à realidade e percebemos que continuamos o que sempre fomos, mortais. Quem não for capaz disto, pode cantar maravilhosamente, pintar extraordinariamente, fazer o que quer que seja maravilhosamente, ter uma figura de bradar aos céus… a verdade, porém, é que lhe falta o talento, que advém da capacidade de pensar. É este o drama das pessoas que se desmoronam, apesar de eu reconhecer haver coisas que escapam ao nosso domínio —por isso é que somos todos seres comuns; porque não temos o domínio de tudo. Famosos ou incógnitos.


  13. Boas a todos,
    pelos vistos os comentários acabam sempre no mesmo. Irresponsabilidade, Morte Estúpida, Falta de civismo, etc.

    Mas o que me deixa estupefacto é haver alguns comentários pouco inteligentes, onde confundem beleza com talento ou dizerem que temos é inveja dele. O que uma coisa tem haver com a outra? Vê-se logo que são adolescentes a falar que não sabem o que é a vida, (ainda estão na idade da parvoeira) loll.

    Seja como for era um rapaz com relativo sucesso, mas nada de extraordinário, era bonito, giro, fazia vibrar as adolescentes e pouco mais. Mas em termos concretos o que ele conquistou?? Que trabalho ou obra ele deixou? Enfim…
    Seja como for, ainda ninguém falou do que vai acontecer a partir de adiante, depois da morte do Angélico! Mas eu sei, não sou bruxo mas é fácil adivinhar.
    – A TVI já começou, por causa das audiências, passou a manhã inteira no programa do Goucha a falar do angélico, dizem eles que é uma homenagem que a TVI esta a fazer: É o Tanas! trata-se simplesmente aproveitar o momento para ter audiências. Mas os principais Abutres ainda não apareceram. O próximo vai ser a Produtora, que vai antecipar o lançamento do Disco já gravado e de varias colectâneas. Isto claro o mais rapidamente possível enquanto as pessoas ainda se lembrarem dele. Porque não se eludam daqui a uns tempos ninguém se vai lembrar dele. Claro que a família vai ter uma pequena percentagem dos lucros das vendas, mas a MAIOR fatia vai para a Produtora Discográfica. lol

    Infelizmente a morte do angélico não vai servir para nada! Podiam sensibilizar os mais jovens a terem mais cuidado na estrada. Mas como a maior parte é burra e ignorante, que ainda agora num dos comentários que li de uma pessoa a dizer que …”ele teve foi azar porque o pneu arrebentou”… Perante isto a nossa sociedade ou é burra ou faz-se!

    • serena says:

      nossa muito bem comentado.. sim senhor parabens… e a prova disto é o francisco adam , sinceramente a morte dele so veio a tona novamente porque o angelico morreu, eu ja nem me recordava dele a muito tempo mesmo.. tendo em conta que eles tinham trabalhado juntos na novela e inclusiver na altura do óbito o proprio angelico cômpos uma canção para ele, e sentiu na pele o que a condução a alta velocidade pode fazer…. ele ja deveria tomar mais cuidado… mas lá esta provavelmente tomou precauções enquanto a morte do francisco estava fresquinha … tal como o francisco o angelico acredito vivamente que daqui a 4 no maximo 6 meses as pessoas ja vao recuperar do choque e retornarão as suas vidas, e os jovens vao concentrar se em outros artistas…. só tenho pena é de ele ter morrido tao jovem, mas nada podemos fazer.. espero que Deus tenha misericordia e que ele descanse em paz.

Trackbacks


  1. […] Só agora me apercebi que um jovem reconhecido pela juventude na TV morreu num trágico acidente. To… Uma tragédia, para a família e não para as miúdas idiotas que estavam à porta do hospital. Morreu um jovem, num acidente evitável e isso só pode deixar todos tristes. […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.