Madeira, um caso de polícia

Mais um buraco nas contas do governo de Alberto João Jardim, desta vez  por dívidas que não foram registadas, pagas ou comunicadas às autoridades estatísticas. O bailinho leva a inscrever mais 1681,3 milhões de euros nos défices de 2008 a 2011.

Das duas uma: ou há leis em Portugal para estas coisas (e não sou defensor da penalização jurídica do que deve ser castigado politicamente, mas para tudo há fronteiras e limites), ou não havendo, tem de haver. Se somarmos a todo este regabofe o offshore madeirense, por onde se escoam milhões todos os dias, a solidariedade com o todo territorial de um país acaba aqui. O governo é de Portugal, o presidente da República é de Portugal, a Procuradoria Geral é de toda a República, ou actuam sobre a Madeira ou isto nunca mais pára.

Comments


  1. Igualzinho ao caso de Sócrates. Não é altura de fazer jurisprudência, mas de comerem ambos.


  2. E este candidato a buraco, http://pol-norte.blogspot.com/2011/09/golpe-de-misericordia.html, “featuring” Santana Lopes e Helena Lopes da Costa?


  3. Por mim, pode continuar o bailinho. Gosto de festas, sobretudo quando sou eu a pagar.