Ministro pode adoptar se for solteiro

Se um Ministro for solteiro pode adoptar. Até pode trazer jovens do Brasil e estes até podem ser motoristas oficiais do governo. Mas, se viver com outro homem, então não pode. A não ser que viva e ninguém saiba.

E com a ajuda do PCP – expliquem, por favor – um casal de pessoas do mesmo sexo não pode adoptar? Porquê?

Comments


  1. pois isso de personalizar atacando um membro da “comunidade” que se pretende defender parece que…
    tirando isso porque é que um velhote de 70 anos não pode adoptar uma miúda de 14
    porqué cuma velha de 60 nã pode adotar um puto de 12
    adotar é só pra casais?
    uma injustice…com tanto pai e mãe solteira…
    e só casal adota
    e se for um trio?
    e uma matilha de lobos?
    tem funcionado já há 20 mil anos….


  2. pra qué que querem adotar em duo…esta é a mãe nº1 aquela é a nº2 a outra é a mãe nº3

    e quem é que fica com as creanças em caso de divórcio o pai ou o pai
    escolho o pai nº1 porque deu mostras de ser um pai mais maternal?

    se solteiros podem adoptar …inda bem
    não casam e cada um adota os seus
    é mais personalizado


  3. #2 – Existe alguma regra que obrigue a que seja a mãe? Desconheço tal coisa.


  4. Não sei porque perdem tempo a falar e a pensar e a discutir sobre estas medidas de controlo do Estado… Primeiro adoptem e depois juntem-se, ou casem-se, ou assinem um ALD… deixem de se preocupar com o que é que o Estado vos deixa ou não fazer… tentem ser minimamente LIVRES!
    Sejam PORTUGAS… DÊEM A VOLTA AO ESQUEMA! 😉


  5. Mais do uma quase ausência de valores, como apontou, e muito bem, o José Magalhães no seu post “Ó Elvas, Ó Elvas, Justiça à Vista”, temos vindo a assitir a uma galopante degradação da vida e do seu equilíbrio. Cada vez mais se acham naturais coisas que são absolutamente anti-natura!
    Deixo algumas perguntas no ar: Com estas “liberdades” que abalam pelas estruturas os ritmos naturais da vida, para onde caminha a humanidade? Que comportamentos gerarão essas “famílias”? Que desiquilíbrios se produzirão no futuro?


  6. em termos de processo pé na nalga….o juiz seja home ou juiza geralmente vai pela mãe

    mêmo sa mãe tem uma vida ligada à agulha ou atão institucionaliza o puto

    se o pai tiver dinheiro a mais e untar as rodas da justiça….

    a justiça é feita de preconceitos e pré-conceitos

    é como as pré-adaptações dos pré-ebolucionistas

    há a ley de jure…e a ley do linchem o gajo qué mau mãe….

    e agora vou tentar ser livre ali na retret ou diz-se retraite

    na iceland é aos 67…mas já devem ter gasto os meus descontos até lá….

  7. marai celeste ramos says:

    Sim, poque não ?? há casais “tradicionais” (??) que até serão a maioria que dão o pior dos exemplos como pais e educadores e que tratam as mulhesres como cães – quantos preconceitos teremos para deitar abaixo ? quem é detentor do carinho e da capacidade pedagógica ?? amor só obedece a um figurino ???


  8. Pois… se calhar tem razão – é uma perda de tempo a LEI criar este tipo de situação. Estamos de acordo – deveria ser permitido a todos! JP

  9. Tito Lívio Santos Mota says:

    não comentarei os habituais escarros mentais de ódio de gentinha que só vem para estes blogues destilar o ódio de frustrações recalcadas.

    Não fico surpreendido pelo facto do Comité Central do PCP ser contra. Na Coreia do Norte estas coisas ainda são um “vício burguês”.
    Nem tão pouco a falta de carácter do conjunto dos deputados comunistas cuja maioria até tinha vontade de votar a favor mas, como os gerontes disseram que não…

    Uma coisa deveria interpelar tudo e todos, menos os que pensam com não sei o quê (com o crucifixo, se calhar) : enquanto não houver igualdade de todos os cidadãos perante a lei (qualquer lei) não haverá igualdade entre os cidadãos.
    E esta falta de igualdade perante a lei, como todas as igualdades, afeta não somente os que a ela não têm direito, como também os outros.
    Somos sempre o “preto” de alguém.
    E os que pensam com o cu ou com o crucifixo ou com o Comité Central, deveriam meditar nisto. Porque pode ser que algum dia lhes caia na sopa uma destas clausulas ou leis que os descriminam (e elas existem) e depois só poderão dar-se por satisfeitos se não houver quem venha para os blogues escarrar-lhes em cima.

    As leis que respeitam aos direitos e liberdades não obrigam ninguém a fazer isto ou aquilo.
    Ninguém é obrigado a abortar, a casar (mesmo antes do casamento de pessoas do mesmo sexo ser adoptado), a adoptar uma criança, a ir para um lar de idosos, nem sequer a ser reembolsado pelo SNS.

    A liberdade é isso mesmo, fazer e deixar fazer o que não interfere com seja quem for.

    Tito Livio Santos Mota


  10. “Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, no que respeita ao universo, ainda não adquiri a certeza absoluta.” Albert Einstein

    • Tito Lívio Santos Mota says:

      também não tenho a certeza sobre o universo, tão pouco sobre a humana.
      Já o seu conformismo bacoco, adornado de citações pescadas no “citador”, essa parece próxima dos confins do universo, lá onde se encontram os buracos negros.
      Dentro em pouco será certamente absorvida por um deles.


  11. Uuuuiiii Sr. Tito Lívio! Não me diga que achou que o meu comentário lhe era dirigido?! É que eu limito-me a dar a minha opinião sobre o assunto que aqui se discute e não a julgar, ou a insultar, pessoas individuais!
    E em questão de opiniões, a minha é tão válida quanto a sua, porque uma opinião não passa disso mesmo: é só uma opinião!
    Eu se fosse a si não levava as coisas tão a peito… ainda ganha uma úlcera!

  12. mortalha says:

    todo o processo de adopção precisa de ser revisto. para hetero ou homosexuais, a actual lei é insuficiente e injusta. e por favor deixem de ver isto como uma questão política para passar a ser humanitária: estamos a falar de crianças que nos seus tenros anos sofreram mais do que o comum adulto!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.