Página de Diário IV

             A morte é coisa que não se aprende. Ponto final. Dificílimo de aceitar. Não há maneira nem jeito.

             E sermos aceites por todos? – Também impossível. Para uns, és «besta», para outros, «bestial».

             Porque me incomodam sobremaneira os primeiros? E não ouço os segundos? E não vejo o seu afeto e seus gestos amorosos? Distraída ou, simplesmente, querendo não ver (o que importa)?

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    É isso mesmo

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.