Austerifornicação

Vivo em austeridade voluntária [não há dinheiro, tudo está pela hora da morte, combustíveis, tudo] e vivo assim muito antes da dita começar para os demais portugueses: em 2008 já andava eu com novos hábitos de contenção espartana e poupança minorca, demasiado sensível aos malefícios trapaceiros, ao rumo desvairado da tirania rapace socratesiana. Mas hoje começamos a ficar demasiado conversados em matéria de utilidade e justiça na austerifoda em decurso, imposta pela Troyka e aplicada pelo tripé de porcelana Passos-Relvas-Portas. Não consigo que as minhas vísceras revolvidas em rejeição de quaisquer fraudes políticas e de quaisquer maus caracteres políticos se descentrem da denúncia e combate à Espessa Mentira Socratesiana que nos trouxe aqui [o Primadonna tem a sua cela prisional vaga, aguardando-o!] para se centrarem na mentira e Covardia dos que dizem querer tirar-nos daqui: qualquer coisa que o Governo Passos faça ou não faça que recorde o modus operandi Sócrates é Sócrates e é, por isso mesmo, o diabo, ainda o diabo!, a começar pelos laivos de arrogância gaspariana, manto com que nos nivelam em totós: a respeito dos cortes nos subsídios, o lixo começa a avolumar-se, a verdade e a transparência esvaem-se, sobretudo quando se pensa nos Interesses Intocáveis e nos Privilégios Vitalícios habituais. Se Passos pensa que pode prosseguir austerifodendo-nos sem nos olhar olhos nos olhos, sem a rocha sólida de uma cumplicidade todos os dias renovada Governo-Povo votante, nem pense!

Comments


  1. 🙂


  2. Os homens com disfunção erétil de poucos meios economicos tiveram que deixar de comprar viagra e perderam o privilegio de…. e de dar consolo às suas mulheres. Os que passam fome na sombra do seu lar por vergonha de assumir ou os que morrem sem assistência com medo das taxas moderadoras.
    Uns com tanto e outros com falta de uns miseros euros para serem felizes.


  3. É, chegar a 2015 e trocar estes por outros…é tudo o que deves fazer, tudo o que podes fazer e tudo o que queres fazer (todos nós).
    O sonho inerte ou a ilusão da vontade.

  4. LUCINO DE MOURA PREZA says:

    #3 Quem pensa que nos pode governar?… Mas haverá algum português que nos consiga dar paz?… Além de se ter de acabar com os partidos, será que teremos que importar gente honesta que tome conta deste * jardim prantado a beira mar*?… Veja tudo quanto se está a passar no PS… todos falam mal uns dosoutros e, somente querem o poleiro. Por mim, não acredito em ninguém. Os PS estão “a cabeçada uns contra os outros.


  5. #4 “Quem pensa que nos pode governar?” – Quem?
    -Nós.
    “Por mim, não acredito em ninguém”. – Precisamente!

    O meu amigo diria sim ao abandono da agricultura, pescas, e industria?
    O meu amigo diria sim ao apoio à intervenção no Iraque?
    O meu amigo diria sim à compra de submarinos?
    O meu amigo diria sim ao aumento da escravização laboral ou procurava incrementar a componente tecnologica?

    Democracia directa é a alternativa, nós é que decidimos o rumo que queremos como povo.
    As decisões são nossas, não deles em nosso nome,- porquê? porque à muito que não correspondem á nossa vontade.
    Abraço

  6. LUCINO DE MOURA PREZA says:

    Caro Hoirizonte XXI.

    Era isto precisamente aquilo que eu estava tratando. e escrevendo. Também não acredito em ninguém que nos possa governar com sabedoria e isenção. Estou plenamente de acordo consigo de tudo quanto escreveu. Nós povo mandamos e po-mo-los no poleiro e, depois, fazem e dirigem o País ao seu belo prazer.
    Desculpe-me este meu atrevimentoi: de horizonte XXI somente vejo Braga por um canudo..
    Há que alterar, ainda este ano, a Constituição Portuguesa para poder alterar o seguinte da mais elementar justiça. Faço aqui um apelo a todos os seus contactos e a todos os portugueses para a única união que poderá derrubar este e qualquer outro governo pela atrocidade cometida pelos mesmos.
    1º: – Os deputados serão pagos apenas durante o seu mandato e não terão reforma provenientes do mesmo.
    2º. – Os deputados irão contribuir para a Seg. Soc. de maneira igual aos restantes cidadãos. Todos os deputados( passado, presente e futuro ) passarão para o actual sistema da Seg: Soc., imediatamente.
    3º. – Os deputados devem pagar o seu plano de reforma como todos os portugueses.
    4º. – Os deputado não deverão votar nos seus próprios aumentos salariais.
    5º. – Os deputados irão deixar o seu seguro de saúde actual e irão participar no mesmo sistema de saúde como todos os outros cidadãos do seu País. Os deputados irão participar nos benefícios do regime da Seg.Soc. exactamente como todos os outros cidadãos e da mesma maneira.
    6º.- Os deputados, também, deverão estar sujeitos às mesmas leis que o resto dos portugueses. O fundo de pensões não podem serem usados para qualquer outra finalidade. Não haverá privilégios exclusivos.
    7º. – Servir o Parlamento, é uma honra, mas não uma carrreira. Os deputados deverão cumprir os seus mandatos (excepto em casos de compadrio, corrupção e tráfico de influências), não mais que 2 anos e, depois, arranjarem empregos sem ser no Estado ou outro qualquer organismo pertencente ao mesmo como se denota, hoje em dia, na troca de empregos e cadeiras que, saindo do Parlamento ou de algum ministério, têem logo lugar assegurado num banco, numa Stª. Casa da Misericórdia. etc.etc..
    É tempo de se alterar a constituiçãoe, se possível, ainda este ano da graça de 2012..
    Deste modo, o povo terá a oportunidade de alterar os abusos insuportáveis da Asssembleia da República.
    Caro Amigos: tudo está nas vossas mãos para quem tenha a consciência tranquila.

  7. fernando van-dúnem says:

    Fodai-vos o Sócrates serve para lavar tudo. Abri os olhos cabrões.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.