Fenómenos de alavancagem em Espanha

alavanca interfixa

Alavanca Interfixa

A Espanha está submetida a um processo de autoflagelação, segundo as leis da física, pelo sistema da alavancagem: cai o Rei, sobem os juros.

O Rei, diz-se, está a recuperar; mas, no reino dos juros, o ambiente é agitado e suscita enormes apreensões: para empréstimos de dívida pública a 18 meses, os juros subiram de 1,711% para 3,11%, ou seja, um acréscimo de 81,8% no espaço de um mês.

O panorama não é apenas assustador para Espanha. As densas nuvens dos custos da dívida pública já causam temores de forte contágio a Portugal, segundo afirmações de Luís Verenne do IGCP.

Parece, pois, recomendável que os nossos responsáveis políticos, a destempo, não comecem a entoar falsetes acerca da queda dos juros da dívida para compensar desvios desfavoráveis da execução orçamental. Haja honestidade, prudência e sensatez… ao menos nisto.

Comments

  1. antonio oliveira says:

    Não andará neste “panorama assustador” a mão “socratesiana”

  2. Carlos Fonseca says:

    Caro António Oliveira,
    Por tradição ancestral e arreigadamente lusa, temos o hábito de atribuir indevido estatuto de poderosos e de universal reconhecimento a determinados cidadãos nacionais. À grande maioria destes o mundo não dá ou dá apenas relativa e efêmera importância. Creio convictamente que, apesar dos desastres na governação do País, Sócrates não tem poder para influir no comportamento dos mercados financeiros internacionais.
    A banca, que se financia a 1% junto do BCE, para emprestar aos Estados a taxas 5 ou 6 vezes superiores, no mínimo, essa banca, não precisa nem obedece a um qualquer José Sócrates do Portugal castiço. Ao Estado espanhol, utilizando esse esquema de financiamento, os bancos já emprestaram mais de 250 nil milhões de euros e não chega.
    Temos de ter noção da dimensão das nossas insignificantes personagens, no momento que passa.

  3. maria celeste ramos says:

    Portugal actual parece contentar-se em eleger um culpado, imediato, sem ir mais atrás do que o conveniente para se ser mais prudente e consciente – se me apetecer até posso culpar o cavaquismo da dácada de 80 e de todas as atrocidades e assalto aos subsideos da CEE para infraestruturas mas essencialmente para reclassificação da mão de obra e de processos produtivos e os subsídios foram para o Torres Couto e para os Todo o Terreno que começaram na altura a existir no páis e para comprar casa na cidade e no algarve como os de agora são para Topos de Gama e em cada tranche de subsídios alta % nem se sabe utilizar já que o país nunca teve, dede os planos quinquenais de Salazar, um Plano nacional de Desenvolvimento – os novos ricos do “desenvolimento” gerando em paralelo os “novos pobres do desenvolvimento” na década de 80 e agora – os governos nunca souberam governar e abotoam-se com o $4 dos subsídios e o que sobra têm de devolver e país que não sabe planerar e projectar e tem de devolver o $$ que país é ?? Um dia estive com um amigo que já cá não está Eero Kalkinnen que era o Director Geral da FAO Timber Division – Genêve que tinha vindo a Lisboa conhecer o mundo florestal pois que ara para financiar plano de desenvolvimento florestal – Para já o que os meus colegas lhe disseram (DGF) não coincidia com o que eu disse e continua a afirmar – Mostrou-me em Genêve (FAO) quando o visitei, o PLANO proposto por Portugal – não era plano nenhum – era um papelote (1 A4) com meia duzia de disparates que não quiz acreditar no que via e li – era antes de 1986 – Mais tarde em 1993 voltei a Genêve para reunião da FAO (reunião do Grupo de Trabalho agricultura-ambiente sa+ido da ECO-92) e o técnico de Portugal no minstério dos Negócios Estrangeiros – quando lhe apresentei o documento em que escrevera o que diria na FAO.Genêve, disse que nunca nenhum português técnico que por lá passou o fez – e tanto que ele foi à Reunião da FAO comigo no Palácio das Nações (1993) – E há quantos anos se fala em ordenamento florestal ?? – só há FOGO porque será ?? – outra vez fui pela 1ª vez a um congresso – anos 60 ?? Le Monde rural gardien de la Nature – Paris UNESCO (creio que em 1974) – não vi nenhum português da longa lista dos que foram à custa dos serviços, no dito congresso – ainda tenho os papers e a lista dos ausentes (todos) – talvez tenham ido ao Lido e Moulin Rouge – ao congresso não foram porque eu fui e não os vi – E a comissão técnica que se deslocou a NY em 1992 ?? Também não os vi pois que era eu a representante a não eles e não nos podíamos sentar onde quizéssemos porca cada delegaçao tinha lugares exactos – e para NY as ajudas de custo eram chorudas – até poupei uns dollars porque nem precisava de gastar mais, enquanto que das outras vezes o dinheiro era rés-vés ou nem chegava (pelo menos para mim) – Mas para onde vai dinheiro da UE ??? o que é que se vê feito – e que planos e programas há – onde estão para ter acesso de que tenho o direito pois que quero saber onde o gastam ?? Quem o come como comeram os eis ministros das obras públicas com as autoestradas mal desenhadas + o $$ do CCB e derrapagem + a derrapagem da EXPO 98 + do navio Hotel na beira Tejo que não teve turistas lá alojados para a Expo 98 ?? Mas que agricultura se tem ?’ E que floresta ?? e que porcaria de IPs ?? e assim quem é o culpado de quê ??? Depois de 1986 é fartar vilanagem e o que foi feito desde aí a não ser cair na mais profunda indigência governamental ?? Desde 1986 quantos biliões de contos e de euros recebeu Portugal e onde estão ?? onde se vê o quê ?? E porque se importa o que se come se se produzia até 1986 75% do necessário ?? e agora nem 20% e há fome e miséria que nem no tempo de Salazar ?? E o trigo que se compra a França ?? e a fruta dura que nem um corno de tantos químicos que se importa de todo o lado menos de Alcobaça ?? e onde estão os texteis tão pareciados na europa onde uma vez comprei uma camisa em Dublin (1980) linda e só ao chegar a casa vi que era made in Portugal ?? e agora é made in China e Bangladesh ?? e onde estão as fábricas de mobiliário de São João da Feira e etc ?? e venderam a Cimpor e aagora a TAP e que mais – e quantos milh~es se gastram em “n” projectos para o TGV que acho idiota como idiota é o aeroporto não sei onde pois na OTA era mais do que criminoso ?? mas onde estão todos estes jamais ?? Não me digam que foi tudo socratino por mias disparates que tenha feito e sei de alguns muito graves não pelos roubos mas pela falta de qualidade de tais projectos ?? MAs quem faz o quê e quem ensina o quê a estes alunos que são os piores para poderem ser ministeriáveis ?? Sócrates ?? Coitado nem sabe que não sabe nada e só desfez o TUA e o Vale do Tejo e outros lugares de Bragança com os super aterros de lixos urbanos misturados com industriais e destruíu ribeiras e áreas agrícolas espantosas de fertilidade e beleza e que era privada e expropriou à má fila e até deu reportagem na TV que logo retiraram, mas eu vi as mulheres a queixar-se dizendo que eram analfabetas mas não ignorantes ?? sócrates que tem a 4ª clase é mais culpado do que mira amaral (e a estupidez do Vale do Ave) é mais culpado do que o prof universitário ferreira do amaral das IPs e das pontes ?? e quem é o culpado da queda da ponte de Entre os Rios ??? da eis JAE ?? com tanto engenheiro de merda ?? Quem está descontente e aqui escreve só vê a foz do rio e esquece-se da “nascente” e que desde 2006 se empobrece porque tudo é gerido ad hoc ?? por curiosos mesmo “economistas” que são contabilistas e não t~em um plano de desenvolvimento e vendem e cortam e anulam – e cortam e anulam e culpam o passado e fazem pior ?’ ai ai ai ai – ao menos que não me tivesses lixado a TV pública – E porque é que o INH/IHRU as CM constroem em terra agrícola (fui juri 12 anos) e borrifa-se nos PDM (que li 398 todos em 1981 porque me mandaram lar e dar parecer e dei) e andam a fazer o quê ? – saberão o que é um PDM ou igoram-nos todos – e constroem em plena área húmida da Ria de Aveiro e metem bombas nas habitações para dernar o quê ??? Bombas ??Não era melhor construir em terra sêca ?? e disse isto ao presidente da CM de Aveiro que resolver acompanhar-nos na visita, nem digo como respondeu e eu nem quiz dizer mais nada, para quê ??? ou no que construiu para os pobezinhos ao lado da fábrica de celulose de Cacia e debaixo de feixe de fios de antenas de alta tensão e de TV e telemóveis num terrivel campo electyromagnético – mas são lugares para se viver ??? e construir com dinheiro do INH e da autarquia ?? mas que “chefias” há por aí seja onde for ?? Quem aqui escreve queixa-se do ministério da educação ?? Pois eu queixo-me do de agricultura + do ambiente + do planeamento e ordenamento, e etc

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.