Não há dinheiro

Vinte e quatro comeram e beberam num jantar que custou um salário mínimo. Todos ganharam este pão com o suor do seu rosto. Nem sequer têm vergonha na cara. Não há dinheiro?

Comments


  1. Estas orgias do palato são deveras chocantes! Pelo menos, são-no para mim. Satisfazem mentes mesquinhas, fúteis, sem qualquer noção do que seja a humanidade que, como seres humanos que são, lhes devia ser inerente.

    Num mundo em que a cada cinco segundos uma criança morre de fome, esta coisa do “gourmet” é perfeitamente abjecta e, lamentavelmente, prolifera a um ritmo arrepiante. Estou convencida que funcionará do mesmo modo que a cocaína funcionou para as mentes vazias dos anos vinte. Máscaras de sofisticação, luxos exuberantes, frivolidades despidas de inteligência, são subterfúgios de mentes despovoadas de quaisquer sentimentos de partilha num mundo que fala de globalização mas que só se preocupa com o seu ego.

    E na revolta que sinto, dou por mim, quase inconscientemente, a desejar que se engasguem com o vinho de cem anos e não sei de quantas centenas de euros!

    E fala o caro João José de vergonha? Vergonha sentiríamos nós que temos consciência, mas esta gente não a tem

  2. Maquiavel says:

    Que “orgias do palato”? Säo “orgias da mania”, minha cara!
    Ouvir o Chefe a falar, entäo, é um regalo… quem lhe mantinha a casa era a “classe média-alta”, que já näo existe. Entäo quem sobra? Näo säo decerto os pobres a poder gastar aquela enormidade. Pois, sobram os “podres de rico”. Mas nem a Ferrari se aguenta só a vender aos 1%, por isso tem o resto do grupo FIAT a vender aos outros.

    A mim as manias enojam-me, e ainda mais no que respeita à comida. Eu tinha vergonha de queimar 100€ numa refeiçäo, quanto mais 450€. Porque é uma pura estupidez. Por 1/20 ou menos desse preço como melhor e em maior fartura, cozinhado por habilidosas mas humildes cozinheiras, por esse país fora!


  3. Absolutamente apoiado, caro Maquiavel!

  4. Maquiavel says:

    Mas que quer? Em Portugal cada vez se houvem mais pacóvios dizer em alta voz que “näo há nenhum bom vinho por menos de 10€ a garrafa” ao que eu respondo “a ti däo-te vinagre numa garrafa de Champagne e dizes que é um néctar divino”.


  5. 🙂 Está apuradíssimo o seu humor! E eu continuo a concordar!


  6. Acho que não notaram um pormenor: donde veio o dinheiro, e para onde foi!
    Estes jantares são o modo de vida do chef e equipa do restaurante, os produtores de vinhos, os fornecedores de mariscos etc etc.
    O dinheiro veio dos podres de ricos, muitos estrangeiros, que gastaram ali uma pequena fortuna. Para a economia foram exportações!
    Só exportamos vinhos de 3 mil Euros porque há quem dê essa quantia por um vinho!
    Ainda bem que alguns esbanjam para que outros possam fazer disso modo de vida. Os ricos têm obrigação de gastar o mais que puderem para criar negócios e empregos para a população em geral!
    Em também não gastaria 450€ em UM jantar, mas ainda bem que os que podem gastar o fazem porque não o levam para a cova de certeza.

  7. xico says:

    Também eu acho degradante para um ser humano gastar tanto dinheiro com um jantar que até nem tem esse valor. Mas a vossa raiva está mal direccionada. Senão vejamos. Alguém que tenha 450 euros para gastar num jantar, não o gasta e guarda o dinheiro ou investe na bolsa. O vizinho que tem os mesmos 450 euros gasta-os num jantar, distribuindo assim esse dinheiro por uma série de pessoas que trabalharam a fazer esse jantar. A vossa raiva vai para este último. Não consigo perceber porquê. Só degrada ele próprio, não os outros. E ao gastar o dinheiro até ajudou a economia dos outros, ao contrário do primeiro, que tem o dinheiro mas não o distribui.
    Então onde está o mal? O mal está não no gastar do dinheiro, uma vez que até é benéfico que quem o tenha que o gaste seja no que for, mas em que haja pessoas que podem ter 450 euros para gastar num jantar e outras que não têm dinheiro para o pão. Mas em nada ajuda que se impeça de quem o tenha de o gastar. Pelo contrário. Haja quem gaste dinheiro.
    É bom para todos. Bom seria que não houvesse quem ganhe tanto, não que o gaste.


  8. Raiva? inveja? é para esse lado que durmo melhor.
    Há dinheiro, não há vergonha, vi este filme em 72, 73.
    Venha o próximo episódio.

  9. xico says:

    Resumindo:
    Adoro ver os ricos gastarem dinheiro. Babo-me de gozo.
    Só detesto quando os vejo a ganhá-lo. Mas gastem-no, que me dá gozo.


  10. É verdade, quando alguém gasta mais numa refeição do que um terço das pessoas do mesmo país (ou quê) ganha num mês…
    É caso para dizer, que comam bolo!

  11. Miguel says:

    Nenhum de vós aqui tem um bom carro, pois não? De certeza que um toyota yaris não vos serve. Afinal cada um gasta como quer.
    Hipocrisia…..


  12. Ó caro Miguel, fale por si! Isso de generalizar a hipocrisia não é muito saudável, sabe?

Trackbacks


  1. […] José Cardoso, no Aventar, April 20, 2012 at 06:24PM Partilhe:Gostar disto:GostoBe the first to like this […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.