A noite da Música

  (adão cruz)

Passei o dia a ouvir música sempre a mesma alternando Madredeus e Erik Satie.

Como foi possível parecerem-me tão semelhantes?

Que percebe de sons este monocórdico espírito?

Mas foi o mesmo o que produziram em mim a sensação amarga de ter atirado fora uma paveia de sentimentos.

Como vou misturar é quase certo que nada existe nada está perto nem eu estou triste com Embryons desséchés e Peccadilles importunes?

Eu próprio me sinto mistura de contradições e acasos harmonia de contrastes santidade e pecado.

Nada percebo de música mas quero que a música seja ar chuva ou vento olhos boca sustento febre delírio amor e tormento.

Não sei onde fica a música nem a terra onde ela conduz sei apenas que é de sol e de luz ar puro e perfume o caminho da música para o alto dos montes.

Comments


  1. Uma inversão na propagação de génes ajudaria à “sintonia” do som…

    Adoro o texto, adoro o “desenho”.


  2. Estimado Adão, já tinha saudades de o ler! Adorei!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.