Um chá de tília para a direita

Vamos retirar do vademecum medicamentos que se possam substituir por alguma coisa natural.

A frase é de Ana Mato, Ministra da Saúde do estado espanhol, conhecida militante da Opus Dei. É certo que os bancos deles são mais caros que os nossos, e que Ana Mato é capaz de dizer coisas como “adoptámos uma medida que já estava adoptada” ou “nada tem mais importância que uma medicina que cura doenças“, sendo conhecida por em tempos ter garantido serem as crianças andaluzes praticamente analfabetas (é do clima), mas antes que a moda pegue por estes lados e excite o nosso ministro da médis, o melhor será que o governo tome um chá de tília. Sem açúcar, o efeito é mais rápido.

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    BOA – afinal a inteligência não é apenas do oeste ibérico


  2. Só Deus cura, as farmacêuticas apenas ganham dinheiro. E Portugal, povo de fé, chão de super Ronaldo agora, super Passos lá mais para o fim do ano quando voar o subsídio de Natal (de quem ainda o tiver), não tem razões para ficar doente, e se o ficar, uma canja e uma reza, e está curado.


  3. Estas figuras poPPulares são umas irresponsáveis com a vida das pessoas e o único que PProduzem com os seus PPuados sistemas sistemáticos, são marginalidades sofridas por quem as vive e as sente. PPuaf.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.