Much Ado About Nothing


Este é o chamado “post kamikase “. Sim porque se, por estes dias, alguém disser que passou, um dia, a menos de 10 metros de Miguel Relvas, essa ousadia garante-lhe, desde logo, o ostracismo social. Se, por desventura, alguém muito estúpido ousar dizer que conhece Miguel Relvas pessoalmente, no mínimo, publicar-se-ão 742 primeiras páginas indignadas por tal confissão, ainda, não ter originado 16 comissões de inquérito e vários processos-crime daqueles porreiros que têm nomes catitas. Pior, se um desatinado qualquer tiver o topete de defender, publicamente, Miguel Relvas, nem sequer a danação eterna seria suplício bastante para remir tamanho sacrilégio.

Pois, o problema é que eu nunca pautei as minhas opiniões pelo temor ou respeito ao “mainstream” (que por acaso e numa perspectiva aritmética, não é assim tão “main” como isso). Por isso aqui vai, e a ver se nos entendemos:

As actuais licenciaturas (pós-Bolonha) correspondem, mais coisa menos coisa, ao há muito caído em desuso e, definitivamente, extinto em 2005, grau de bacharel. A partir do meio do século XX, o Bacharelato era concedido a quem completasse a primeira fase do curso universitário, normalmente, os seus 3 primeiros anos. E de tal forma esta correspondência é verdadeira que para muitos empregos se exige o moderno grau académico de Mestre (mais ou menos, o antigo grau de Licenciado).

Assim, e porque como eu, muita gente está pelos cabelos com esta “trampa” que pôs, não o País, mas as redes sociais e a, sempre isenta, comunicação social em estado de sublevação, que tal pôr as coisas em perspectiva, e dizer que Miguel Relvas obteve não a licenciatura, mas sim, o Bacharelato. E conseguiu ser Bacharel num ano (isto sem falar dos 15 ou 20 que levou a conquistar o currículo que lhe permitiu obter os créditos universitários). Sim, num só ano. Bacharel. Pois. Grande coisa. E foi só ele? Não, claro que não. São dezenas, provavelmente centenas de pessoas que aproveitaram as facilidades da lei e obtiveram o grau de bacharel (eu sei, eu sei que a nomenclatura oficial é licenciado) com a nova tramitação académica. Eles são políticos, eles são jornalistas, etc. (já agora, não posso deixar de registar esse “porra, que ainda estou vivo” que o bom do Narana fez; não foi nem rigoroso nem exacto, mas, caramba, sempre disse alguma “coisita”). E fizeram alguma coisa de ilegal, alguma coisa de criminoso? Não, obviamente que não. Então porquê este alvoroço todo? Se não for pela ignorância total de uma lei que já tem 7 anos, não se explica. Ou melhor, se calhaR aTé se exPlica bem.

Os nossos problemas são muito, mas mesmo muito maiores que isto.

Comments

  1. MAGRIÇO says:

    Fiquei com uma dúvida: a alegada licenciatura domingueira de Sócrates é algo de criminoso?

  2. Não posso deixar de lhe transmitir a minha admiração pela sua grande coragem!
    É verdade que, se calhar, nem me teria apercebido de ser necessária tanta coragem, para escrever um texto em defesa de um ministro acossado, não fosse a sua gentileza (e mesmo coragem) em realçá-la logo no início do seu texto.
    Não posso também deixar de lhe agradecer a forma inteligente como me (nos?) fez perceber o essencial do que estava em causa (uma licenciatura pós Bolonha devia afinal chamar-se bacharelato, para não nos confundir), e a forma subtil como nos dá a entender quais os interesses obscuros que estão por detrás desta tentativa de “assassinato de carácter”, a privatização da RTP.
    .
    .
    .
    Já agora agradeço-lhe também por ter vindo aqui demonstrar, se ainda fosse preciso, que por mais baixo desça um canalha (chame-se ele Relvas, Coelho ou Sócrates) nunca faltarão sabujos, para os defender contra tudo e contra todos, nem que seja contra a verdade, nem que seja contra a mais banal das inteligências.

    Obrigado pela sua coragem.

  3. nightwishpt says:

    É gente assim que merece os politicos que tem.

  4. A “questão Relvas” mais do que a importância questionável que possa ter, alerta para uma outra realidade, essa sim merecedora de alguma atenção… Refiro-me à dependência dos portugueses em relação à importância do “estatuto homologado” face à competência demonstrada… Não ser “doutor” ou no mínimo engenheiro constitui um estigma social inultrapassável e especialmente sensível em certas áreas, como a da política. Os doutores apenas respeitam doutores, e os não doutores desconfiam dos que o não sejam. Jamais a Dona Maria ou o Senhor Joaquim votariam num tipo sem “canudo”. Sem o dito, toda a credibilidade se esvai… Esfuma-se, desaparece…
    Temos assim de aceitar – com compaixão – que certas pessoas tenham sentido a necessidade de colmatar as brechas da sua vidinha agitada com “canudos expesso”, como é o caso do Dr. Relvas… Todos sabemos muito bem que o “kit” imprescindível de acesso à “profissão” política é constítuído por um par de fatos escuros, umas quantas gravatas discretas e um título universitário. Seja ele em que domínio for. A competência e conhecimento é, e será sempre, uma questão menor… “No title, no job…”.
    Temos ainda uma outra debilidade: a falta de “senhores” (ou senhoras). Não temos senhores em condições… Ser-se “senhor” qualquer coisa (normalmente um nome próprio), designa sempre um jardineiro, um mecânico, ladrilhador, ou simplesmente alguém mais idoso e mal vestido.
    Enquanto se vai discutindo – apaixonadamente – quem é doutor ou não, e se acentua a clivagem do “antes de Bolonha” ou depois, etc. (que também é uma conversa gira!), seria de todo interessante que se começasse a olhar para os “senhores”…. Há que os dignificar e formar nas cadeiras complicadas do sentido crítico, boa educação, maneiras, respeito pelos outros, etc. Creio que este País começa a precisar de senhores… Mesmo que cumulativamente sejam bacharéis, licenciados, mestres, ou até mesmo doutores!

  5. pergunto-me como é que as novas gerações absorverão este (e outros) caso e de que forma a condescendência com que isto é sempre tratado tem a ver com o clima de corrupção e venalidade verdadeiramente endémicos na sociedade portuguesa.

  6. Ao estilo novas oportunidades ,que este governo tanto desprezou , temos o relvas com canudo

  7. maria celeste ramos says:

    Já não me lembrava do ano do advento do bacharelato e Bolonha, já que eu fiz 5 anos + tese (1 ano pelo menos e obrigatório), ou seja, somei mais de 6 anos, aliás o meu curso como o de medicina, eram os cursos mais longos das universidades de Portugal, e no fim dos quais se ficava, apenas, licenciado – Bolonha contenta-se com 3 anos – o tal Bacharelato que com + 2 dá não sei quê, o mestre ?? em vez de licenciatura e, depois ?? o doutorado por extenso é o quê ?? Os 3 + 2 (bolonha) + 2 de investigação (e aulas) para doutor e que dr ?? O PhD ??? não sei já quantos anos embora o honoris causa seja título de prestígio sem ++ nada
    É que qaundo estudei o PhD era possível apenas depois da licenciatura ( 6 anos) e em geral pelo menos mais um ano, totalizando 7 no mínimo – creio – Agora apenas com um ano na lusófona o que se é ??? Ou seja é o 12ª + 1 ano = e, assim, estudei mais 6 anos do que devia – Olha que tempo perdi – Mas acho Bolonha um lindo local – depois repeti a dose anos mais tarde e em vez de 5 eram 4 anos já que era um curso “derivado do 1º” com muitas cadeiras a repetir (não se repetia claro) mas sempre + 1 – o de tese de licenciatura de pelo menos um ano – ou seja, fiz 7 + 4 + 1= 12 anos (será??) – pois foi – Já não sei como é nas Universidades europeias mas para gostarem tanto dos desempregados universitários portugueses – mesmo pior do que antes – é porque estarão pelo menos à altura europeia e nem sei as “equivalências” na UE – um dr. aqui não sei que tipo de dr. é “lá”
    1969 Joaquim Agostinho na 1ª vez que correu o Tour ficou em 8º e ganhou uma etape -. RTPInformação – estão a falar nele enquanto corre o Tour e agora tudo está diferente mas não foi esquecido pelos organizadores do TOUR – estão a correr, creio, e não sei porque os comentadores e Marco Chagas falam dele mas será perto do local onde em França lhe construíram estátua de bronze e ganhou etape, não percebi – Os portugueses que correm não estão mal mas já é uma geração de gente nova e diferente – e têm 20 anos – não sei que idade teria Agostinho e Alves Barbosa – estão a correr numa paisagem portentosa de grandes e planas propriedades agrícolas e Castelos (o ouro de frança essa portentosa paisagem agrícola (os bocages que só havia ali e já não há lamentavelmente) – mas não percebi onde era – Dizem que ontem morreu um corredor belga de 30 anos e que era jogador de hokey que resolveu correr e foi o coração mais uma vez que falha em desportistas – o dopping mata mesmo – os ciclistas vão parar em Saint Quentin (61 mil habitantes e bela catedral gótica sec XIII e cidade de Joana D’Arc ??) dentro de 50 km (5ª etape) – já passaram por Besançon – É mesmo bonito ver mesmo na TV as imagens de helicóptero – só a 22 de julho chegarão a Paris – muito há para pedalar – o heli voa quase em cima de pá de torre eólica – é maluco – bem, agora fazem o elogio de Peter Sagan “o camisola verde” – 99ème edição da Volta a França – Os comentadores estão a dizer que Agostinho com outras estruturas e acompanhamento como há hoje teria ganho o Tour já que ganhou muitas etapes e tendo sido descoberto por um francês que o valorizou, e morreu no Algarve porque um cão se atravessou na estrada e caíu e não tinha capacete – não dá para acreditar que nessa altura não fosse já obrigatório usar capacete em tais circunstâncias de desporto – desde quando é que se usa capacete em desportos ? Interessante como alguns moradoures do mundo rural fazem na propriedade ou à beira das Estrada um casal com filho em gante escultura, u depois uma gigantesca camisola amarela no campo, ou noutra grande área o desenho de uma gigantesca biciclete com tractores – só o heli dá por essa escala – bem chegaram, como ontem, depois de haver queda e molho de ciclistas e bicicletas – alemão ganhou e etape de ontem e de hoje – 2 portugueses chegaram sem problemas mas não dizem em que lugar não os mostram – MAs o considerado o maior mas mais polémico de todos os tempos foi Eddy Merx que venceu 8 etapes numa só volta, o que mais etapes ganhou mas acusado de dopping e em Italia acabou por ser expulso do “giro”O4:30 – Euronews – Ankara cativa frança para investir a todos os níveis – Arménios de France estão paziguados – Aznavour um dos meus favoritos fgiu do seu país e em frança viveu toda a vida – Ukrania – language row – são bilingues e se se não apoiam a sua lingua ficam como nós com o brasilês – Bares de Berlim aumentam preço do direito à musica por causa de direitos de autor – protestos há uma semana e fazem barulho e o perigo do fim dos clubes de Berlim – O arranha-céus mais alto do mundo é agora em Londres e, dizem alguns, um atentado à cultura e o sky line (terá mais de 12500 postos de trabalho – terá hotel de 5 estrelas-restaurantes e escritórios) – RTPInformação Erick alemão que se instalou em Portugal no norte resolveu ficar e adora e faz horta sem adubos nem pesticidas que tem todo o tipo de legumes, falam bem português as filhas adoram e outro fala da carne barrosã e o casal já viveu por tida a europa e nada se compara aquele lugar + Monte de srª da Lapa em até os meninos pequenos tocam concertina muito pequenina + ranchos + mosteiro aldeia de Vieira do Minho + procissão – ai tudo em granito que maravilha ++ Soutelo com novo Auditorio com teatr e musica classica tocada pelos alunos da Academia – mas que lindo auditorio e mais um programa que só às 04:10 e fazem isto para que a terra não seja abandonada e se eles jovens forem embora é mau e fizeram um projecto INCLUIR – mas que gente maravilhosa de 20 anos quem são ?? e esperam emigrantes para julho em todas as aldeias – ora viva Vieira do Minho que já cativou estrangeiros para lá viveiram e prendeu os adolescentes
    Noticiário 05:12H-corte inconstitucional-Frasquilho quer mais tempo-BE baixou para 0.75% – Benfica recebe Braga no início do campeonato-Ratton diz que a diferença de tratamento era det tal modo acentuada etc – mas como é tarde este ano fica o previsto “inconstitucional até pró ano-Passos nem o quero ouvir de novo mais uma vez hoje está a ficar careca e com maior testa parecerá mais inteligente e seguro do que quer dizer que vai fazer – muito gosta ele de falar à TV – Seguro contente-PCP diz que devia ter efeitos imediatos e que o Ntal devia ser pago e o governo coloca a troika acima da constituição (para tirar fizeram tão depressa e para devollver não tªem tempo ??) – CDS não rege ao tribunal-Paulo Mota Pinto do Trib Constitucional o que se impõe os compromisso do governo tem de ser honrados -Pedro Bacelar Vasconcelos presente constitucionalista presente na TV – a decisão não é surpreendente pois já sócrates queria em 2011 sacar apenas natal por circunstâncias excepcionais e não permanentes e o psd anuncia outra coisas e prometer para 2013 altera a situação – bem nada de novo afinal – não vou ver UM AVO – TV pergunta alguma vez os FP podem reaver ?? não nem férias nem natal e é discutível entre juristas e ao começar a vigorar – ou seja quem ficou sem ele sem ele fica e quem não foi sacado nada lhe será tirado – foi pedido de deputados depois do anuncio de 13 outubro pelo 1º ministro acima de mil euros – Cavaco diz que mudou de governo mas eu não mudei de opinião (disse na altura) – não quero ouvir o que já ouvi demais- Alberto Costa muito contente e esta noite disse que a constituição existe mesmo em tempos de crise – +e dinal bon dado pelo TC – ele diz que os FP deviam receber o Natal e esperava que o PR dissesse isso e não promulgasse a LEIdos cortes – Paulo Rangel discorda dos fundamentos da decisão do Tribunal consticional – Mas o governo ainda tem de cortar MIL MILHÕES de euros – Manuel Carvalho comentador quem fica mal é o governo mas deixa-lhe um problema e tem um deficit de 3ª em 2013 à irritação do privado o TConstitucional deixa uma porta de saída ao governo – o PR só pode ser “julgado” por ter aprovado mas é a democracia – Natalidade este ano a mais baixa de sempre

  8. Carlos de Sá says:

    A importância do caso é só a de relevar do carácter do sujeito. É irrelevante, para o caso, se o sujeito está a ser perseguido pela intenção de entregar de bandeja a RTP aos amigos da Ongoing. De resto, a compra de canudos tornou-se mais ou menos banal… e já era um hábito no PSD.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s