E agora?

Em tempo útil, digo eu, tive oportunidade de fazer ver a quem de direito, da necessidade de dizer alguma coisa sobre o que ia acontecer hoje. Obviamente, a resposta foi não porque além de se desconhecer o gerador (em português, não fomos nós!) não havia uma ideia sobre o que se pretendia.

Agora que acabou, reconheço a razão dos argumentos: não houve um gerador! Houve milhões!

Não havia uma ideia! Havia milhares de ideias!

E esta é a minha primeira conclusão: não há monopólios do lado de quem luta. A luta do outro não é pior só porque não é minha.

Há uma  segunda conclusão – ao contrário do que teima em dizer a blogosfera laranja o problema do governo não é um problema de comunicação. O povo já percebeu MUITO bem a comunicação dos boys incompetentes que nos tentam roubar o país.

O que o povo pretendeu dizer hoje ao governo é que o caminho não é este. Admito até que a maioria dos presentes, questionado sobre a necessidade de manter a troika por cá, votaria no sim. Admito.

O ponto é outro: a troika (entenda-se financiamento) pode continuar por cá, mas está visto que a fórmula não está a resultar. É preciso mudar. O foco tem que estar na economia real e não no corte dos salários para entregar dinheiro aos bancos.

É também preciso deixar de aldrabar e não tentar introduzir políticas que em nada tocam nas questões financeiras, mas que se executam apenas por preconceitos ideológicos.

Se entenderem isto, o caminho continua. Se quiserem continuar cegos e surdos, então a porta da saída ficou aberta hoje.

Comments

  1. João Paz says:

    Não!
    A meu ver a Troyka (FMI etc) não pode continuar por cá.
    Há que meter os ladrões na prisão e nacionalizar-lhe os inúmeros bens que esconderam sob várias artimanhas e recusar o pagamento de uma dívida que é do BPN, do BPP e das PPP mas que não é certamente do povo português.
    Enquanto isso não acontecer o governo (ou desgoverno) que vier a seguir fará PIOR QUE O ANTECESSOR QUER SEJA PS, PSD ou outra qualquer fórmula que inventem com a miscelânia dos dois.
    Mas sim!
    Concordo que a luta dos outros não é pior que a nossa desde que, como foi hoje o caso, rejeite a Troyka externa e a interna que lhe serve de capacho.
    Enquanto não conseguirmos o OBJECTIVO CENTRAL da luta de hoje ” que se lixe a Troyka” iremos sempre de mal a pior. Não há volta a dar-lhe mesmo que os sucessores desta cambada que nos desgoverna sejam menos inaptos do que os Migueis de Vasconcelos que actualmente nos desgoverna… GOVERNANDO-SE.

  2. JotaB says:

    Imagens da manifestação em que participei, em Leiria:
    http://www.youtube.com/watch?v=g7sIEoVj7vY

    Nunca vi tanta gente numa manifestação, nesta terra.
    Havia pessoas de todas as idades, todas unidas na revolta contra os políticos deste país!
    O POVO percebeu que chegou a hora da mudança. Mas essa mudança terá que passar pelo combate a estes políticos e às suas políticas.
    Isso terá que ser inevitável!

    E, já agora, é isto que este senhor pensa:

  3. jorge fliscorno says:

    «não há monopólios do lado de quem luta»

    Uma grande verdade.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.